Menu
NAS NOTÍCIAS

Boyd Matheson: à medida que a incerteza aumenta, procure a voz que diz, ‘Eu o preparei’


Boyd Matheson: à medida que a incerteza aumenta, procure a voz que diz, ‘Eu o preparei’

Com o sofrimento físico e financeiro causado pela histórica pandemia de coronavírus que tem afetado milhões em todo o mundo, muitos estão se perguntando se estão prontos para lidar com tal dificuldade, desafio e mudança. Indivíduos, famílias e até a Igreja de Jesus Cristo tiveram que se adaptar, ajustar e perseverar.

A preparação de ontem pode proporcionar a calma de hoje e também encorajar a confiança de amanhã. No entanto, a incerteza atual coloca muitos de nós em uma posição defensiva, esperando pelo momento em que o “Eu te disse!” virá à tona. Essa não é a maneira do Senhor de ensinar e nutrir Seus filhos.

Olhar para trás e se perguntar “e se?” ou se envolver em um pequeno jogo mental do que “teria, poderia, deveria” não ajuda muito. Nem tampouco a frase passiva-agressiva “Eu te disse!”, muito usada por pais, professores, chefes e até mesmo cônjuges. Esta frase é míope, retrógrada e nocivamente humilhante.

Nosso Pai Celestial nunca nos despreza, mesmo com nossos muitos erros, para nos condenar com um desprezo esmagador de nossa confiança, falando “Eu te disse!”. Ele vê nosso verdadeiro caráter, como Seus filhos, e sabe que enviou um Salvador Redentor e nos preparou para dias melhores e para o desenvolvimento espiritual que estão por vir.

Os profetas e apóstolos ao longo dos tempos tiveram diversas oportunidades de dizer “Eu te disse!”. Sempre olhando para frente e nunca precisando provar que estão certos, os profetas simplesmente continuam a ajudar as pessoas do mundo a virem a Cristo.

Vídeo: O Presidente Nelson nos lembra a maneira de encontrar alegria e paz, independentemento do que está acontecendo

Jamais poderei imaginar o Presidente Russell M. Nelson dizendo: “Eu te disse!”. Não é da natureza dele nem como ele costuma nos encorajar. As atuais condições das crises do mundo certamente poderiam fazer com que um líder validasse sua própria sabedoria e profecia. O profeta não está preocupado em estar certo — ele está focado em ajudar cada um de nós a estarmos prontos.

Nos últimos meses, à medida que as condições globais se deterioraram e a incerteza aumenta, ouvi o eco de vozes de profetas e apóstolos do passado e do presente. Em particular, tenho ouvido regularmente na mente a voz gentil, firme e afirmativa do Presidente Nelson dizer: “Eu os preparei …”.

Revelação Pessoal

Em uma de suas primeiras mensagens à Igreja, após ter sido apoiado como profeta, o Presidente Nelson nos suplicou: “Orem, em nome de Jesus Cristo, por suas preocupações, seus medos, suas fraquezas — sim, os anseios de seu coração. E então escutem! Escrevam os pensamentos que vierem à sua mente. Registrem seus sentimentos e prossigam de acordo com as ações que forem inspirados a realizar. Ao repetirem este processo, dia após dia, mês após mês, ano após ano, crescerá ‘em [vocês] o princípio da revelação’”.

Presidente Russell M. Nelson, o 17º Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, se senta com seus conselheiros, Presidente Dallin H. Oaks, primeiro conselheiro (à esquerda), e Presidente Henry B. Eyring, segundo conselheiro (à direita), em uma coletiva de imprensa em Salt Lake City, Utah, na terça-feira, dia 16 de janeiro, 2018.

O Presidente Russell M. Nelson, o 17º. Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, se senta com seus conselheiros, Presidente Dallin H. Oaks, primeiro conselheiro (à esquerda), e o Presidente Henry B. Eyring, segundo conselheiro (à direita), em uma coletiva de imprensa em Salt Lake City, Utah, na terça-feira, dia 16 de janeiro, 2018.

Scott G Winterton

Em seguida, ele concluiu: “Eu os exorto que avancem além da sua habilidade espiritual atual para receberem revelação pessoal, pois o Senhor prometeu que, ‘se [buscares], receberás revelação sobre revelação, conhecimento sobre conhecimento’. Meus amados irmãos e irmãs, imploro para que aumentem sua capacidade espiritual de receber revelações.”

Durante estes dias difíceis, posso ouvir o Presidente Nelson dizer: “Eu os preparei … e agora são capazes de receber a própria revelação em meio à tempestade”.

O templo sagrado

No dia 25 de março, a Igreja anunciou que todos os templos do mundo seriam fechados devido ao coronavírus. Durante décadas, fomos ensinados por profetas e apóstolos que nosso lar deve ser um templo e um local sagrado de refúgio do caos do mundo.

É interessante notar que, na oração dedicatória do Templo de Salt Lake em 1893, o Presidente Wilford Woodruff talvez tenha visto o difícil estado do mundo em que vivemos aqui em 2020 e a necessidade de olharmos para o templo.

Ele orou: “Pai Celestial, quando Teu povo não tiver a oportunidade de entrar nesta santa casa para oferecer suas súplicas a Ti, e for oprimido e estiver em apuros, cercado por dificuldades ou atacado pela tentação, e voltar seu rosto em direção a esta Tua Santa Casa e pedir a Ti por libertação, por ajuda, por Teu poder para que seja estendido a favor dele, suplicamos a Ti, para que olhes para baixo da Tua santa habitação com misericórdia e tenra compaixão sobre ele, e ouve seus clamores”.

A estátua do Anjo Morôni no topo do Templo de Salt Lake de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, fica sem sua trombeta após um terremoto em Salt Lake City na quarta-feira, dia 18 de março, 2020.

A estátua do Anjo Morôni no topo do Templo de Salt Lake de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, fica sem sua trombeta após um terremoto em Salt Lake City na quarta-feira, dia 18 de março, 2020.

Crédito: Spenser Heaps, Deseret News

Por algum tempo não teremos a oportunidade de entrar nos templos sagrados, mas não precisamos temer. A preparação para o templo está sendo feita em casa, assim como a pesquisa de história da família, e fomos treinados para “permanecer em lugares santos”, começando em nossa casa.

Consigo ouvir a voz de Wilford Woodruff dizer: “Eu os preparei… para levarem as bênçãos do templo, o poder do sacerdócio e o espírito de Elias para seus lares”.

O trabalho missionário e a preparação

A Igreja também fechou todos os Centros de Treinamento Missionário, como cidadãos internacionais responsáveis, para ajudar a diminuir a propagação do vírus. Em vez de levar as mãos à cabeça em sinal de preocupação, podemos dar ouvidos a um apóstolo, o Élder David A. Bednar, que, a fim de dizer “Eu os preparei…”, declarou o seguinte na conferência geral de abril de 2019:

“O Centro de Treinamento Missionário mais importante é nosso lar; os Centros de Treinamento Missionário secundários se encontram em Provo, Manila, Cidade do México e outros locais”. 

As sísteres missionárias sorriem após uma reunião com o presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Lima, Peru, em 20 de outubro de 2018.

As sísteres missionárias sorriem após uma reunião com o presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Lima, Peru, em 20 de outubro de 2018.

Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Ele ainda declarou a preparação inspirada, concluindo: “Nossas aulas mais instrutivas da Escola Dominical devem ser nosso estudo individual e familiar em nossa residência; aulas úteis, mas de importância secundária, acontecem em nossas capelas”.

O Élder Dieter F. Uchtdorf disse aos missionários para se animarem pois o Senhor está no comando e os preparou para servirem de muitas maneiras diferentes. Ele lembrou a todos de que os élderes e as sísteres foram chamados para servirem como missionários e designados para o trabalho em diferentes locais. Independentemente de como, por quanto tempo, ou onde, todos nós somos chamados para trabalhar na vinha do Senhor.

Consigo ouvir a voz do Élder Bednar dizer: “Eu os preparei… para que o treinamento missionário prosseguisse”. Consigo ouvir Élder Uchtdorf dizer: “Eu os preparei … para que pudessem pregar, ensinar e compartilhar meu evangelho em uma infinidade de maneiras”.

Centralizado no lar

Alguns membros pensaram que os ajustes nas reuniões dominicais da Igreja significavam que elas passariam a ter duas horas. O Élder Quentin L. Cook viu além do horizonte, como os profetas e apóstolos fazem, para compartilhar a visão de uma dinâmica de adoração centralizada no lar e apoiada pela Igreja.

O Élder Cook aconselhou: “Esses esforços, com os outros anunciados nos últimos anos, não apresentam mudanças isoladas. Cada um dos ajustes é uma parte integrante de um modelo interligado que tem o propósito de abençoar os santos e prepará-los para se encontrarem com Deus”.

O bispo Darren L. Harline e sua esposa, Cherilyn Harline, com seus seis filhos, guardam o dia do Senhor em sua casa na cidade de San Clemente, na Califórnia, no dia 15 de março de 2020, depois que a Igreja suspendeu todas as reuniões devido à pandemia de COVID-19.

O bispo Darren L. Harline e sua esposa, Cherilyn Harline, com seus seis filhos, guardam o dia do Senhor em sua casa na cidade de San Clemente, na Califórnia, no dia 15 de março de 2020, depois que a Igreja suspendeu todas as reuniões devido à pandemia de COVID-19.

Crédito: Foto por Alan Gibby

Consigo ouvir o Élder Cook nos incentivar com confiança e dizer: “Eu os preparei … para que quando a igreja centralizada no lar fosse a única reunião da igreja disponível, vocês pudessem se reunir em Seu nome e serem abençoados por Sua graça”.

Ministrar

Com a alteração do programa de professoras visitantes e mestres familiares para ministrarmos de uma forma superior e mais sagrada, o Élder Jeffrey R. Holland nos lembrou que, servir à maneira do Salvador, significava que “temos uma oportunidade, da Igreja como um todo, enviada pelo céu, para demonstrarmos a religião pura diante de Deus — ao carregarmos os fardos uns dos outros para que se tornem leves e ao consolarmos aqueles que precisam de consolo, ministrando às viúvas e aos órfãos, aos casados e aos solteiros, aos fortes e aos desamparados, aos oprimidos e aos poderosos, aos felizes e aos tristes”.

Duas irmãs da Sociedade de Socorro organizam arranjos de flores para serem distribuídos a pessoas necessitadas por meio dos Ministérios de Assistência às Famílias do Condado de Orange, na Califórnia.

Duas irmãs da Sociedade de Socorro organizam arranjos de flores para serem distribuídos a pessoas necessitadas por meio dos Ministérios de Assistência às Famílias do Condado de Orange, na Califórnia.

Crédito: Cortesia de Barbara Bell

Ele sabia que, um dia, seria mais necessário do que nunca, para aqueles que professavam ser santos dos últimos dias, que fossem as mãos do Senhor para levantarem aqueles que sofrem, “motivados apenas pelo puro amor de Cristo”.

Posso ouvir o Élder Holland nos lembrando de que, “Eu os preparei… para que nenhuma das ovelhas de nosso Pai Celestial se perdesse ou se sentisse solitária”.

Preparação temporal

O profeta poderia dizer, “Eu te disse!” referindo-se ao conselho de economizar dinheiro para os dias difíceis, preparar o armazenamento de alimentos e colocar nossas casas temporais em ordem. Em vez disso, o Presidente Nelson nos incentiva dizendo, “Eu os preparei … para que, em um momento de turbulência econômica, você, sua família e a Igreja de Jesus Cristo pudessem fornecer ajuda e assistência àqueles que estão sofrendo”.

Dar ouvidos às palavras do Senhor

Muitos membros ficaram decepcionados que a Conferência Geral de abril deste ano não incluirá uma oportunidade de se reunir no Centro de Conferências em Salt Lake City. Outros lamentaram pelos líderes da Igreja não poderem viajar para as conferências de estaca e estarem com os santos.

O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson acenam para congregação após a sessão da manhã de domingo na 189ª. Conferência Geral Semianual de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Salt Lake City, no domingo, dia 6 de outubro, 2019.

O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson acenam para congregação após a sessão da manhã de domingo na 189ª. Conferência Geral Semianual de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Salt Lake City, no domingo, dia 6 de outubro, 2019.

Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

A Conferência Geral se concentrará no 200º aniversário do início da restauração. Ela será como nenhuma outra conferência na história da Igreja em muitos aspectos. O Presidente Nelson convidou cada um de nós para se preparar para uma experiência transformadora. Por meio da tecnologia e dos meios da mídia atual, mensagens inspiradas, inspiradoras e poderosas serão enviadas ao mundo todo. O mundo inteiro estará conectado de uma maneira única e eletrizante.

Doutrina e Convênios 84:62 diz: “Portanto ide por todo o mundo; e ao lugar que não puderdes ir, enviareis, para que o testemunho parta de vós para todo o mundo e a toda criatura.”

Por algum tempo, os profetas e apóstolos não poderão viajar como fizeram em um passado recente, e a Conferência Geral será diferente. Mas onde eles não podem ir, os apóstolos e profetas enviarão a palavra de Deus para o exterior através de muitos meios.

Consigo ouvir a voz do Senhor dizer, “Eu os preparei … para que Minha palavra e Meu Espírito pudessem ser enviados por todo o mundo para cada nação, tribo, língua e povo”.

Uma das amigas do Presidente Nelson, a Reverenda Theresa Dear, cunhou a frase “Inadequada, despreparada, mas pronta”. Muitos de nós sentimos que, em meio a esta crise global, nos qualificamos nos dois primeiros — inadequados e despreparados.

No entanto, com profetas e apóstolos entre nós, estamos realmente prontos para qualquer teste ou julgamento que cruze nosso caminho. Se enfrentamos os efeitos de uma pandemia global, uma tragédia local ou do sofrimento individual, estamos prontos, porque os servos ungidos do Pai Celestial — juntamente com o Salvador que servem — ‘marcaram a senda que conduz a cada ponto do caminho’.

Apesar de nossas faltas, insensatez e incapacidade de seguir conselhos, os profetas e apóstolos não provocarão um turbilhão de condenações e declarações do tipo “Eu te disse!”. Em vez disso, eles irão nos incentivar, dizer e convidar com compaixão e um personalizado, “Eu os preparei …” para que possamos ter paz neste momento de provações, enquanto continuamos a trilhar o caminho do convênio em nossa jornada para o discipulado.

— Boyd Matheson é editor de opinião e encarregado de alcance estratégico do Deseret News

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.