Menu
NAS NOTÍCIAS

Time de futebol feminino da BYU faz tentativa histórica ao seguir para as Quatro Finais da NCAA


Para as pessoas que não fazem parte do programa de futebol feminino da Universidade Brigham Young, o empenho contínuo e histórico do time no torneio de futebol feminino da NCAA de 2021 parecia improvável no início desta temporada. 

O time dos Cougars desistiu de seus dois primeiros jogos fora de casa, antes de perder uma rara partida em Provo, no dia 18 de setembro, para a rival Universidade do Estado de Utah.

Porém, após garantir uma vaga na College Cup — as Quatro Finais do futebol universitário dos E.U.A. — ao derrotar a Carolina do Sul no dia 27 de novembro, Olivia Wade, meia-atacante e missionária retornada, confirmou que ela e suas companheiras de equipe estão exatamente onde esperavam estar.

“Isto é algo pelo qual nos esforçamos muito — então, francamente, chegar até as “Quatro Finais” não é uma grande surpresa”, disse Wade ao Church News. “Obviamente, estamos muito entusiasmadas e somos gratas por termos esta oportunidade.” É algo pelo qual realmente trabalhamos. É simplesmente o que esperávamos de nós mesmas nesta temporada.”

Qualificar-se para a College Cup é uma tarefa monumental. A BYU escalou equipes excelentes nos últimos anos, mas nunca chegou às Quatro Finais.

As jogadoras de futebol da BYU, Mikayla Colohan, à esquerda, e Cameron Tucker, são recebidas por torcedores do time dos Cougars com suas bandeiras enquanto se preparam para viajar para a Califórnia para a NCAA College Cup de 2021.

As jogadoras de futebol da BYU, Mikayla Colohan, à esquerda, e Cameron Tucker, são recebidas por torcedores do time dos Cougars com suas bandeiras enquanto se preparam para viajar para a Califórnia para a NCAA College Cup de 2021.

Crédito: Rebeca Fuentes, BYU Photo

Entretanto, Wade e suas colegas do time dos Cougars sabem que desafios mais difíceis as aguardam. A BYU enfrenta a Santa Clara, sua rival na West Coast Conference — o time que defende o título do campeonato nacional e que derrotou a equipe dos Cougars em outubro — na sexta-feira, dia 3 de dezembro, ás 18h30 (horário da Califórnia), no Stevens Stadium da Universidade de Santa Clara. O jogo será transmitido ao vivo na ESPNU.

“Estávamos ansiosas para termos outra chance contra a Santa Clara — e não há melhor hora e lugar para isso do que na partida das Quatro Finais em seu estádio”, disse Wade.

Se o time da BYU ganhar na sexta-feira, ele disputará o título nacional na segunda-feira, dia 6 de dezembro, às 17h00 (horário da Califórnia) na ESPNU, contra o vencedor da outra partida das semifinais na sexta-feira, entre a Rutgers e a Universidade do Estado da Flórida.

“Acho que nossa participação na College Cup ainda parece ser um sonho, mas é realmente uma grande conquista”, disse Jennifer Rockwood, treinadora principal, à mídia da BYU após o jogo na Carolina do Sul. “Sei que poucas pessoas têm a oportunidade de participar como treinadores ou jogadores, então aproveitaremos ao máximo.”

Rockwood, que dirigiu o time de futebol dos Cougars desde o início do programa como um esporte sancionado em 1995, disse que a equipe de 2021 é a melhor que a universidade já teve “em ambos os lados da bola”. 

Participar das Quatro Finais, acrescentou Mikayla Colohan, que recebeu status de All-American, é “algo pelo qual trabalhamos por toda nossa vida”. Desejei estar nesta posição durante todo o tempo em que estive na BYU.”

Colohan foi recentemente nomeada semifinalista do prêmio MAC Hermann Trophy de 2021 [em inglês], concedido ao melhor jogador de futebol universitário.

Olivia Wade, missionária retornada, é uma meia-atacante de destaque na Universidade Brigham Young.

Olivia Wade, missionária retornada, é uma meia-atacante de destaque na Universidade Brigham Young.

Crédito: Madeline Mortensen

Representar coisas mais importantes do que o futebol

Enquanto servia uma missão de língua espanhola em Houston, Texas, Wade era uma representante da Igreja 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

Servir uma missão de tempo integral e competir no futebol universitário são atividades muito diferentes, mas Wade ainda sente um dever familiar cada vez que veste uma camisa estampada com o nome da universidade da Igreja.

“Representar a universidade da Igreja é uma grande responsabilidade”, disse ela. “Podemos ser missionários de várias maneiras diferentes. Esta é uma oportunidade para mim, bem como para outras meninas da equipe, de cumprir uma espécie de papel missionário, de representar a universidade e tentar representar nosso Salvador por meio de tudo que fazemos.”

Wade acrescentou que, a perspectiva eterna que desenvolveu através do serviço missionário de tempo integral, permanece com ela. “Entendo que o futebol não é a coisa mais importante.”

Carolyn Pode

Participar de uma temporada de futebol universitário pode ser fisicamente desgastante. Gelo e fita são constantemente aplicados a tíbias, panturrilhas, tornozelos e quadríceps para tratar ou prevenir tensões e lesões no próximo dia.

E desde o início do programa da BYU, muitas jogadoras de futebol do time dos Cougars têm confiado na diretora de medicina esportiva da universidade, Carolyn Billings, para mantê-las remendadas e prontas para a partida.

Carolyn Billings, Diretora de Medicina Esportiva da Universidade Brigham Young e treinadora de times de futebol de longa data, tira uma foto com a mascote, Cosmo. Billings tem sido uma mentora e uma fonte de inspiração para muitos atletas da BYU.

Carolyn Billings, Diretora de Medicina Esportiva da Universidade Brigham Young e treinadora de times de futebol de longa data, tira uma foto com a mascote, Cosmo. Billings tem sido uma mentora e uma fonte de inspiração para muitos atletas da BYU.

Crédito: Jaren Wilkey, BYU Photo

Wade e suas companheiras de equipe, do passado e do presente, acreditam que o cuidado de Billings vai muito além da fita atlética e da reabilitação de lesões. Ela também é um exemplo de força e coragem. Além de perder vários entes queridos em acidentes, ela tem lutado contra repetidos episódios de câncer.

Mas Billings segue em frente, motivada por seu testemunho do evangelho e sua amizade com as jogadoras, a qual não termina com as temporadas de futebol e a carreira universitária das jovens. Recentemente, ela compartilhou sua história com o “The Athlete’s Journal” [em inglês] da BYU.

O compromisso de Billings com o serviço continua a elevar as pessoas. Em seu relato, ela escreve: “Oro para que eu reconheça as pessoas que cruzam o meu caminho e que precisam de minha ajuda. Prometi que pararei o que eu estiver fazendo, não importa o que seja, e as ajudarei.”

Wade disse que se sente abençoada e entusiasmada por participar da primeira partida das Quatro Finais da BYU ao lado de Billings. Enquanto isso, as atuais e ex-jogadoras do time dos Cougars usam camisetas com as palavras “Carolyn Can” [Carolyn Pode] estampadas nas costas.

“A Carolyn é alguém que nunca desistiu de nós ou do programa”, disse Wade. “Mesmo quando tivemos jogos difíceis, ela sempre acreditou que poderíamos realizar o que fizemos agora. 

“Não teríamos sido capazes de fazê-lo sem ela. … Ela não é apenas uma técnica para nós, ela é uma treinadora de vida.”

Atualização: A equipe de futebol feminina da BYU venceu Santa Clara por 3×2 na cobrança de pênaltis no jogo da sexta-feira, e competirá na final do campeonato da NCAA contra Florida State na segunda-feira, 6 de dezembro.

A equipe de futebol feminina da BYU comemora ao vencer Santa Clara por 3×2 na sexta-feira, 3 de dezembro de 2021.

A equipe de futebol feminina da BYU comemora ao vencer Santa Clara por 3×2 na sexta-feira, 3 de dezembro de 2021.

Crédito: BYU Photo