Menu
NAS NOTÍCIAS

‘Está sendo feito’: Como Susan H. Porter espera ajudar a fortalecer a fé das crianças como presidente geral da Primária


Durante o último ano, enquanto servia como conselheira na presidência geral da Primária, a nova presidente geral da Primária, Susan H. Porter, ponderou em espírito de oração sobre as necessidades das crianças ao redor do mundo.

“Muitas vezes, penso na importância de se ter um coração terno para com as crianças”, disse a presidente Porter. “Muitos deles estão sofrendo de tantas formas — guerras, fome, insegurança alimentar, ansiedade, desafios familiares, pandemia — então, meu coração se voltou ao Senhor, tentando receber revelação de como podemos fortalecer e abençoar Suas crianças ao redor do mundo.”

Ela também sentiu a necessidade de convidar as crianças que foram batizadas a honrarem seus convênios, participando do trabalho de salvação e exaltação. “Quando as crianças são batizadas, elas são membros confirmados de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, disse ela. “Então, se o Pai Celestial os considera prontos para serem membros oficiais de Sua Igreja, o que os estamos convidando a fazer?”

“Uma pergunta que ficou em nossa mente no ano passado é: como podemos fortalecer as crianças espiritualmente?” disse a presidente Porter. “Quando falamos sobre fortalecer a fé da nova geração, isso tem que começar na Primária.”

Durante a pandemia da COVID-19, a presidente Porter disse que muitas crianças não podiam participar da Primária. Ela também viu os desafios que as mulheres solteiras enfrentavam. Seu marido, Élder Bruce D. Porter, Setenta Autoridade Geral, faleceu em 2016.

Enquanto os membros não se reuniam pessoalmente, ela às vezes podia estar com a família da filha e do genro, mas havia muitos domingos em que ela não tomava o sacramento em casa.

Ao compartilhar suas experiências desde a morte de seu marido, muitas mulheres se conectaram com ela, dizendo: “Meu esposo faleceu ou passei por um divórcio doloroso ou não sou casada, então o fato de você estar servindo na Igreja me dá uma visão melhor de que a Igreja também precisa de mim.”

Susan Elizabeth Holland Porter nasceu em 31 de julho de 1955, em Ponca City, Oklahoma, filha de Hans J. e Charlene Coleman Holland. Ela cresceu no oeste de Nova York e frequentou um pequeno ramo da Igreja, a cerca de 32 km de sua casa.

Normalmente, a presidente Porter era o único membro da Igreja em sua escola, além de seus irmãos. Em seu discurso na conferência geral de abril de 2022, ela mencionou estar sentada no porão de uma antiga capela alugada para a Escola Dominical apenas com sua amiga Patti Jo.

“Eu jamais poderia ter imaginado fazer parte de uma irmandade mundial de milhões de mulheres”, disse ela.

A presidente Porter é bacharel em Química pela Universidade Brigham Young. Ela conheceu seu marido em uma aula de Religião da BYU, e eles se casaram em 2 de fevereiro de 1977, no Templo de Washington D.C.

Ela trabalhou como assistente de laboratório antes de seus filhos nascerem e mais tarde como professora de Matemática e piano por meio período. Ela também foi voluntária nas escolas de seus filhos e em várias organizações comunitárias. Ela e o marido criaram seus quatro filhos em Massachusetts, Virgínia, Alemanha e Utah, e cumpriram designações da Igreja na Área Europa Leste duas vezes.

Élder Bruce D. e a irmã Susan H. Porter posam para uma foto em 2011. Élder Porter faleceu em dezembro de 2016.

Élder Bruce D. e a irmã Susan H. Porter posam para uma foto em 2011. Élder Porter faleceu em dezembro de 2016.

Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Élder Porter, que foi chamado como Setenta Autoridade Geral em 1995, servia como conselheiro na presidência da Área Europa Leste, na Alemanha, quando seus rins falharam e eles voltaram para Utah. A presidente Porter o apoiou durante a diálise em Utah de 1997 a 2010.

Um terceiro transplante de rim, doado por seu filho mais velho, permitiu que Élder Porter servisse como presidente da Área Europa Leste, desta vez na Rússia, a partir de 2014. Mas no final de 2016, ele ficou gravemente doente. Eles voltaram para Utah e ele faleceu cerca de duas semanas depois, cercado por sua família.

“Minha vida mudou da noite para o dia”, disse ela na conferência geral de abril de 2022. “Eu estava sofrendo e me sentia fraca e vulnerável. Eu implorei ao Senhor para direcionar meu caminho: ‘O que Tu desejas que eu faça?’”

Poucas semanas depois, ao olhar a correspondência, uma pequena gravura em um catálogo chamou sua atenção.

“Ao olhar atentamente, vi que era a interpretação de um artista da mulher samaritana junto à fonte com Jesus”, disse a presidente Porter em seu discurso na conferência. “Naquele momento, o Espírito me falou claramente: ‘Isto é o que você deve fazer’. Um amoroso Pai Celestial estava me convidando a me achegar ao Salvador e aprender com Ele.”

Ela também disse ao Church News, no ano passado, sobre receber uma inspiração em sua dor: “Não fique pensando no que você perdeu. Lembre-se dos milagres.”

Entre esses milagres estava a vida de Élder Porter sendo poupada anos antes. Ela também percebeu mais tarde que a paz que sentia e a sensação de que não estava sozinha também eram milagres.

Leia mais: Após morte de seu esposo, irmã Porter recebeu uma inspiração que continua a sustentá-la

Ela disse a uma audiência da Conferência de Mulheres da BYU em abril de 2021, que uma das muitas bênçãos que o Salvador prometeu no convênio com Israel é “Não vos deixarei órfãos: voltarei para vós” (João 14:18).

A presidente Porter testificou: “Quer sintamos este consolo na ocasião ou apenas reconheçamos Sua ajuda mais tarde, presto testemunho de que Ele virá e nos dará consolo e força em momentos de necessidade.”

Convidando as crianças a agir

A irmã Susan H. Porter começará a servir como presidente geral da Primária em 1º de agosto de 2022.

A irmã Susan H. Porter começará a servir como presidente geral da Primária em 1º de agosto de 2022.

Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

A presidente Porter serviu como primeira conselheira na presidência geral da Primária com a presidente Camille N. Johnson e a irmã Amy A. Wright, segunda conselheira, no ano passado.

Ao se reunirem com as presidências da Primária, elas as incentivaram a considerar em espírito de oração, o que suas crianças da Primária, que já foram confirmadas membros da Igreja, podem fazer para honrar seus convênios. Por exemplo, algumas presidências da Primária convidaram as crianças de 10 anos para receberem as outras crianças na Primária, e até mesmo conduzir a reunião. Nas Primárias menores, as classes mais velhas foram convidadas a se sentar ao lado das crianças mais novas e ajudá-las a aprenderem as músicas.

Nas reuniões de liderança, a presidência geral da Primária compartilhou: “As orações nas reuniões da Igreja devem ser breves, simples e dirigidas pelo Espírito. Qualquer membro batizado da Igreja pode fazer uma oração inicial ou final” (Manual Geral 29.6). “Quando compartilhamos isso, podemos ver a luz nos olhos dos líderes”, disse a presidente Porter. “Vimos crianças bem preparadas fazerem orações simples e cheias do Espírito nas reuniões sacramentais, abençoando todos os presentes.”

A presidente Porter disse que essas experiências ajudam as crianças a praticarem seus convênios batismais. Elas podem servir e liderar de maneira individualizada e conforme sua idade, de acordo com a inspiração das presidências da Primária, bispados e conselhos de ala.

E, como resultado, essas crianças podem se sentir mais confortáveis e confiantes a compartilharem o evangelho em casa ou com amigos, e liderarem com retidão.

“Mais uma vez, o que podemos convidá-las a fazer? Porque muitas vezes é fazendo e servindo que nosso testemunho do Salvador e de Sua Igreja aumenta. As crianças podem aprender a buscar inspiração do céu”, disse ela.

Ministrando para crianças

A presidente Porter também sente a importância dos líderes e professores da Primária ministrando às crianças. Quando a pandemia começou, alguns professores da Primária pensaram que seu chamado era preparar uma aula de 20 minutos no domingo, disse ela. Mas no Manual Geral, um professor da Primária é chamado para ministrar e ensinar.

A ministração vai além da sala de aula. Os professores podem orar e cuidar de cada criança de sua classe, as visitando ou levando algo da lição para mostrar que elas fizeram falta. Por meio desse amor e ministração, as crianças podem ganhar confiança para dizer que querem voltar para a Primária.

“Nós realmente esperamos capacitar as crianças para abençoarem suas famílias. Se todos os professores pudessem fazer um convite para cada criança no final da aula, de compartilharem o que aprenderam com suas famílias ou contarem a seus amigos sobre isso”, disse ela, “as crianças terão o poder de ser uma influência para o bem.”

O conselho da ala também faz parte da ministração às crianças, especialmente com famílias que não estão tão ativas nas reuniões ou no retorno à Igreja após a pandemia. Seria útil se os nomes das crianças fossem levados ao conselho da ala, para que as necessidades de toda a família fossem consideradas, não apenas as dos adultos.

Outro conceito que a presidente Porter ponderou, com a presidente Johnson e a irmã Wright no ano passado, foi o de ajudar as crianças a buscarem e agirem de acordo com a revelação. Como parte disso, líderes da Primária podem identificar quando sentem que o Espírito Santo está presente e depois convidarem as crianças a descreverem como sentem o Espírito Santo.

“Talvez enquanto cantam ‘Ele Mandou Seu filho‘, você possa parar e dizer: ‘Crianças, sinto um Espírito especial nesta sala. O que vocês estão sentindo agora?’” explicou a presidente Porter.

“Johnny poderia dizer: ‘Sinto-me feliz’. E outra criança poderia dizer: ‘Sinto-me meio pensativo’ ou ‘Sinto paz’. Eu estava ansioso quando cheguei à Primária. Agora não estou. Ou, ‘Eu estava tão bravo com meu irmão, mas agora não consigo me lembrar do motivo.’

“Então você pode perguntar: ‘O que acham que é este sentimento? De onde acham que vem este sentimento?’ Com algumas perguntas ponderadas, você pode ajudar as crianças a entenderem que, aquilo que estão sentindo, é o Espírito.”

Crianças e Jovens

A presidente Porter diz que as crianças podem ser convidadas a participarem do trabalho de salvação e exaltação. Desta forma, ela trabalhará mais de perto com as presidências dos Rapazes e das Moças para que a progressão da Primária seja mais tranquila.

Ela acredita que o programa Crianças e Jovens pode ser mais simples e focado e que não precisa ser uma tarefa árdua ou ser visto como uma lista de itens a serem feitos. A ênfase principal está em fortalecer a fé no Salvador, buscando e agindo de acordo com a inspiração sobre como eles podem crescer como Jesus fez, em “sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens” (Lucas 2:52).

As crianças podem se envolver mais no planejamento das atividades da Primária, disse ela, à medida que cada ala e cada família se concentram no trabalho de salvação e exaltação, com os princípios de viver, cuidar, convidar, unir.

Os líderes podem perguntar às crianças: “Qual seria uma atividade para a qual você poderia convidar seu vizinho que ainda não foi à Primária este ano? Quem você conhece em nossa ala que poderíamos [todos] cuidar [unidos] como Primária?” e deixá-los pensar juntos com ideias e conselhos.

A presidência geral da Primária (começando em 1º de agosto de 2022): primeira conselheira Amy Wright (à esquerda), Presidente Susan H. Porter (no meio) e segunda conselheira Tracy Y. Browning (à direita).

A presidência geral da Primária (começando em 1º de agosto de 2022): primeira conselheira Amy Wright (à esquerda), Presidente Susan H. Porter (no meio) e segunda conselheira Tracy Y. Browning (à direita).

Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Servindo juntas

Antes de seu chamado como conselheira na presidência geral da Primária, em abril de 2021, a presidente Porter estava servindo no conselho consultivo geral da Sociedade de Socorro [em inglês] por três anos e meio. Seus chamados anteriores incluem presidente da Sociedade de Socorro da ala, presidente das Moças da ala, conselheira na presidência da Sociedade de Socorro da estaca, professora de Doutrina do Evangelho e líder de música da Primária.

A presidente Porter vê como todos estão envolvidos em uma grande obra, ajudando a trazer almas ao Salvador. Os membros da Sociedade de Socorro são as mães, avós, tias, vizinhas e professoras das crianças e jovens, por exemplo. Com a presidente Johnson saindo da Primária para se tornar a presidente geral da Sociedade de Socorro, as relações entre as organizações só podem se fortalecer.

A presidente Porter também está ansiosa para servir com suas conselheiras: a irmã Amy Wright e a irmã Tracy Browning. “Ambas são mulheres de grande fé”, disse ela. “Estou ansiosa para nos aconselharmos enquanto buscamos a vontade do Senhor para Seus filhos.”

E estejam preparados para ouvi-la falar mais sobre voltar “corações ternos para as crianças”, enquanto as convida a se envolverem, ensinando a ouvir revelação e capacitando a agirem em retidão em sua família, ala e vizinhança.

Informação biográfica

Família: Nascida em 31 de julho de 1955, em Ponca City, Oklahoma, filha de Hans J. e Charlene Coleman Holland. Casou-se com Bruce D. Porter em 2 de fevereiro de 1977, no Templo de Washington D.C. Eles têm quatro filhos. Élder Porter faleceu em 2016.

Educação: Formou-se em Química pela Universidade Brigham Young, em 1976.

Emprego: Trabalhou como assistente de laboratório no Massachusetts Institute of Technology [MIT], professora de Matemática por meio período em uma escola particular, e professora de piano. Voluntária em diversas organizações comunitárias.

Serviço na Igreja: presidência geral da Primária, conselho consultivo geral da Sociedade de Socorro, conselheira na presidência da Sociedade de Socorro da estaca, presidente da Sociedade de Socorro da ala, presidente das Moças da ala, professora de Doutrina do Evangelho, líder de música da Primária.

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.