Como ajudar as crianças a sentir, reconhecer e conhecer a influência do Espírito Santo

Num mundo cada vez mais repleto de distrações, nossos filhos com frequência têm dúvidas e receios, e se sentem desorientados. Ajudá-los a conhecer e buscar o Espírito e a saber quando estão sendo influenciados por Ele vai ajudá-los a encontrar forças nas situações do dia-a-dia. A influência do Espírito Santo vai ajudá-los a lidar com o lado obscuro da vida. O Santo Espírito é essencial para guiar, consolar, iluminar e testificar à preciosa alma das crianças.

A maioria delas têm o desejo de aceitar orientações sobre “como” fazer certas coisas se souberem o “porquê”. Ensinar, enfatizar e testificar sobre o plano de salvação vai fazer com que entendam sua divindade e o amor que o Pai Celestial tem por elas. Elas vão passar a acreditar na Expiação do Salvador e valorizá-la. Isso vai ajudá-las a reconhecer a necessidade especial da companhia do Santo Espírito e o papel que Ele desempenha na vida delas. É nossa sagrada responsabilidade ajudá-las a buscar e desenvolver um relacionamento com o Espírito Santo, bem como ajudá-las a entender de que maneira o Espírito as orienta especificamente.

Como cada filho de Deus é um ser único e todos aprendem e absorvem as coisas de maneira diferente, faz sentido que o Espírito se comunique de maneira individual. O Profeta Joseph Smith ensinou que o Espírito fala a nós de um modo que podemos entender. “O Pai Celestial está sempre pronto a nos ajudar. Ele se adapta ao nosso nível de entendimento. ‘Se for uma criancinha, Ele vai adaptar Sua comunicação à linguagem e capacidade de compreensão de uma criança’” (Joseph Smith, History of the Church, vol. 3, p. 392).

Uma família lê as escrituras numa noite familiar. Os pais precisam ensinar seus filhos a sentir, reconhecer e conhecer a influência do Espírito Santo, disse a presidência geral da Primária.
Uma família lê as escrituras numa noite familiar. Os pais precisam ensinar seus filhos a sentir, reconhecer e conhecer a influência do Espírito Santo, disse a presidência geral da Primária. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Quando procuramos saber, em espírito de oração, como ensinar nossos filhos e os observamos com olhos espirituais, podemos criar momentos e oportunidades em que eles sintam o Espírito Santo para que, assim, saibam como o Espírito interage com eles.

Não é comum recebemos grandes manifestações. Esse dom extraordinário concede as revelações que nossa alma anseia de maneira simples e habitual. O élder Boyd K. Packer explicou: “A inspiração é mais sentida do que ouvida” (“Prayers and Answers”, Ensign, novembro de 1979). Podemos ajudar nossos filhos a observar as diferentes formas com que o Espírito Santo se comunica conosco. O Espírito pode trazer paz à nossa mente, pode nos avisar de algo, esclarecer coisas e nos dar confiança ao buscarmos respostas.

Criar uma atmosfera para que o Espírito esteja presente pode ajudar nossos filhos a ver que o Espírito Santo é capaz de transmitir inspiração por meio de variadas experiências. Fazer com que nossos filhos ouçam hinos e música clássica pode aumentar a capacidade deles de ouvir o Espírito interiormente. As músicas da Primária ensinam a doutrina e o Espírito pode testificar de sua veracidade. O Espírito Santo pode inspirar aqueles que aprendem melhor visualmente por meio de belas pinturas e gravuras espirituais. Ficar ao ar livre, em meio à natureza, pode proporcionar à criança uma magnífica sala de aula onde o Espírito vai poder ensiná-la por intermédio da beleza e da reverência do local. Podemos também criar momentos diários de reflexão e meditação para que as crianças fiquem abertas às impressões do Espírito. Incentivá-las a anotar essas impressões será uma bênção para toda a vida delas.

Além disso, mostrar gratidão e servir ao próximo desempenham um papel importante no momento de sentir o Espírito. O presidente Thomas S. Monson aconselhou: “Quando vivemos sempre cheios de gratidão no coração, tocamos o céu” (“O divino dom da gratidão”, Ensign e A Liahona, novembro de 2010, p. 90). Ao incentivarmos nossos filhos a perceber as bênçãos que eles recebem e a serem gratos em todas as coisas, sua conexão com o céu será mais forte. Essa gratidão prepara a alma delicada de nossos filhos para sentir o Espírito mais prontamente.

Uma mãe ensina seu filho a orar. Os pais precisam ensinar seus filhos a sentir, reconhecer e conhecer a influência do Espírito Santo, disse a presidência geral da Primária.
Uma mãe ensina seu filho a orar. Os pais precisam ensinar seus filhos a sentir, reconhecer e conhecer a influência do Espírito Santo, disse a presidência geral da Primária. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Algo simples e sincero como um elogio já mostra que o Espírito está presente. A irmã Camila Kimball nos aconselhou a “jamais suprimir um pensamento generoso” (Irmã Julie B. Beck, “Sociedade de Socorro — Um trabalho sagrado”, Ensign e A Liahona, novembro de 2009, p. 114). Ao darmos oportunidades às crianças de servir às pessoas e ao incentivá-las a fazer gestos simples de bondade, podemos ter certeza de que o Espírito estará com elas.

Convidar o Espírito a estar presente em nossa vida diária é importantíssimo e aumenta nossa capacidade de receber orientação e sentir Sua presença. O élder David A. Bednar ensinou: “Recebemos e reconhecemos mais prontamente o Espírito do Senhor quando O convidamos devidamente para a nossa vida. Não podemos compelir ou coagir o Espírito Santo nem dar-Lhe ordens. Em vez disso, devemos convidá-lo para a nossa vida com a mesma brandura e ternura com que Ele nos sussurra” (“Receber o Espírito Santo”, Ensign e A Liahona, novembro de 2010, p. 96).

Imagine as crianças sendo ensinadas em sua própria casa, no mundo inteiro, a começar o dia com uma humilde oração, fazendo um convite pessoal ao Espírito para ser companheiro delas.

E todos os teus filhos serão ensinados do Senhor; e a paz de teus filhos será abundante” (Isaías 54:13).