Sarah Jane Weaver: 1 aprendizado inesquecível da visita do presidente Ballard à Nova Inglaterra

SHARON, Vermont – Presidente M. Russell Ballard, presidente em exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, não deu atenção ao frio fora do centro de visitantes do Memorial do Local de Nascimento de Joseph Smith. Ele abotoou seu paletó e andou diretamente para a áspera brisa da manhã.

O venerável líder da Igreja de 91 anos passou a hora seguinte avaliando o monumento e o local da casa original da família Smith. Ele andou por um percurso de madeira, verificando a fundação de uma casa que havia sido de Solomon Mack (pai de Lucy Mack Smith) e parou para ver os restos da histórica ponte de pedra – que ainda possuía sulcos gravados pelas rodas dos vagões de cerca de 200 anos atrás.

Esta área, onde as crianças da família Smith passaram seus anos formativos, tem grande significado para o presidente Ballard, um trineto de Hyrum Smith, irmão do profeta Joseph Smith.

Mas, enquanto preparava-se para a viagem, presidente Ballard disse que seus pensamentos se voltaram para seu avô, élder Melvin J. Ballard – que passou alguns dos seus últimos dias neste local.

Perto do final de sua vida e apesar de seus problemas de saúde, élder Melvin J. Ballard, um membro do Quórum dos Doze Apóstolos de 1919 a 1939, viajou para Sharon, Vermont; sua esposa suplicou que ele não fosse.

Ainda assim, quando ele chegou em Sharon, élder Ballard ficou de pé por 40 minutos e corajosamente declarou seu testemunho sobre o profeta Joseph Smith no exato lugar em que nasceu. Então, dirigiu para Boston e deu o que se tornaria seu último discurso e testemunho como membro do Quórum dos Doze Apóstolos. Ele retornou para Salt Lake City – dirigindo cada milha e precisando de ajuda para sair de seu carro – e morreu de Leucemia duas semanas depois.

“Ele estava aqui e não poderia – mesmo com tão pouca energia – desistir de sua responsabilidade de declarar a palavra do Senhor ao mundo … no local de nascimento do profeta nesta, a dispensação da plenitude dos tempos”, disse presidente Ballard.

Quando recebeu a oportunidade de contemplar a última jornada de seu avô, presidente Ballard refletiu na sua própria infância.

“Meu avô Ballard morreu antes dos meus 11 anos”, disse presidente Ballard. “E, infelizmente, neste início de minha vida, meus pais não eram ativos na Igreja. E uma das maiores tristezas de minha vida hoje é que nunca o ouvi discursar, eu nunca o ouvi cantar. Eu nunca fui ao Tabernáculo para uma conferência geral na minha infância. E eu penso frequentemente, se eu soubesse que isso aconteceria comigo, essa questão de passarem-se muitos anos e andar onde ele andou, eu teria gostado de saber e eu ficaria feliz de tê-lo falando para mim mais sobre o que significa ser um Apóstolo.”

Assistir o presidente Ballard andar nos terrenos sagrados do local de nascimento de Joseph Smith foi refletivo. Esse local sagrado não só representa um início significativo, como também um senso poderoso de perseverança.

Um ano atrás, no aniversário de 90 anos do presidente Ballard, ele participou do funeral de sua amada esposa, irmã Barbara Ballard. Desde então, ele tem mantido sua agenda ocupada de trabalho e viagens como a Autoridade Geral servindo por mais tempo na Igreja.

Suas ações diárias são um tributo para sua herança. Assim como Joseph Smith Sr. e Lucy Mack Smith sobrepujaram quebras de safras e dificuldades econômicas enquanto viviam em Vermont e élder Melvin J. Ballard continuou a compartilhar seu testemunho do Salvador em suas últimas semanas de vida, presidente Ballard viajou para Boston e falou a um grupo de 12.000 pessoas.

Com uma visão apostólica, ele abotoou seu paletó, andou até o púlpito e pediu aos Santos dos Últimos Dias para “unirem-se ao novo movimento.”

“Eu peço a vocês esta noite para orarem por esse país, por nossos líderes, por nosso povo e pelas famílias que vivem nesta grande nação descoberta por Deus.”

Assim como os pais fundadores que estabeleceram os Estados Unidos e seus ancestrais Smith e Ballard, presidente Ballard pediu para cada um de nós que independente dos desafios à nossa frente, perseveremos.

Falando numa outra reunião em Boston apenas 24 horas antes, presidente Ballard havia explicado por que perseverar importava em 1805 quando Joseph Smith nasceu e porque isso é importante hoje. Nós temos que continuar seguindo, ele disse, “porque isso é verdadeiro.” 

— Sarah Jane Weaver é editora do Church News.