5 pensamentos de líderes Santos dos Últimos Dias no significado da gratidão

Num banquete de Ação de Graças no meio dos anos 1990, presidente Russell M. Nelson e sua esposa tiveram 63 pessoas em sua casa.

Falando num devocional da BYU para uma congregação em 1995, o então-élder Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos relatou como sua esposa, irmã Dantzel Nelson, distribuiu folhas de papel para cada pessoa com o título, “Este ano, eu sou grato por …” e cada pessoa foi instruída a completar o pensamento na escrita ou desenhando uma figura.

Quando cada papel foi recolhido e lido em voz alta, presidente Nelson percebeu um padrão, ele disse.

“Geralmente, as crianças eram gratas pela comida, roupas, abrigo, família (e, ocasionalmente, animais de estimação). Suas figuras eram preciosas, por mais que provavelmente não fossem mostradas em nenhuma galeria de arte”, presidente Nelson disse. “Nossos jovens aumentaram suas expressões para incluírem gratidão por seu país, liberdade e a Igreja. Os adultos mencionaram a maioria desses itens, mas acrescentaram mencionando o templo, seu amor pelo Senhor e apreço por sua Expiação. Suas esperanças juntaram-se à gratidão.”

Presidente Russell M. Nelson de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias gesticula para congregação no State Farm Stadium em Phoenix, Arizona, no domingo, dia 10 de fevereiro, 2019.
Presidente Russell M. Nelson de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias gesticula para congregação no State Farm Stadium em Phoenix, Arizona, no domingo, dia 10 de fevereiro, 2019. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Contar bênçãos”, ele concluiu, “é melhor do que verificar problemas.”

Enquanto dava seu discurso na conferência geral de abril de 2012, presidente Nelson compartilhou seu pensamento sobre a gratidão.

“Quão maravilhoso seria se todos pudéssemos ser mais cientes da providência de Deus e amor e expressar essa gratidão a Ele”, presidente Nelson disse. “Amon ensinou, ‘Demos graças a (Deus), porque ele pratica a retidão eternamente’ (Alma 26:8). Nosso grau de gratidão é uma medida do nosso amor por Ele.”

Ao voltarem-se os pensamentos para o reconhecimento das bênçãos durante essa época de Ação de Graças, aqui vão alguns outros pensamentos de líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias sobre o significado da gratidão e agradecimento.

O que é gratidão?

Em seu livro, “Standing for Something: 10 Neglected Virtues That Will Heal Our Hearts and Homes” (Posicionar-se em Algo: 10 Virtudes Negligenciadas Que Curarão Nossos Corações e Lares), presidente Gordon B. Hinckley devotou um capítulo inteiro para o tópico da gratidão. Aqui vão quatro excertos:

“Gratidão é um sinal de maturidade. É uma indicação de humildade sincera. É uma marca de civilidade. E mais do que nunca, é um princípio divino. Eu duvido que tenha qualquer coisa em que ofendamos mais o Onipotente do que nossa tendência de esquecer suas misericórdias e ser ingratos pelo que ele tem nos dado.

“Gratidão é o início da civilidade, da decência e da bondade, de um reconhecimento que não podemos nos dar ao luxo de ser arrogantes. Devemos andar com o conhecimento de que precisaremos de ajuda cada passo do caminho.

Presidente Gordon B. Hinckley fala à congregação na abertura de terra do Templo de Oquirrh Mountain Utah em South Jordan, Utah, no sábado, dia 16 de dezembro, 2006.
Presidente Gordon B. Hinckley fala à congregação na abertura de terra do Templo de Oquirrh Mountain Utah em South Jordan, Utah, no sábado, dia 16 de dezembro, 2006. Credit: August Miller, Deseret News, August Miller/Deseret Morning News.

“Quando andamos em gratidão, não andamos com arrogância e presunção e egoísmo, pelo contrário, andamos com o espírito de ação de graças que está tornando-se para nós e abençoará nossas vidas. Devemos todos ser gratos ao Onipotente por Suas maravilhosas bênçãos sobre nós. Temos tudo o que está grande era tem a nos oferecer neste mundo. Quão sortudos somos nós, realmente? Devemos ser gratos, agradecidos, andar com apreço e respeito pelas bênçãos da vida e felicidade que recebemos.

“Gratidão é a verdadeira essência da adoração – ação de graças ao Deus do Céu, que tem nos dado tudo o que temos de bom.”

Gratidão nas escrituras

Em seu discurso de outubro de 2010, “O Divino Dom da Gratidão”, presidente Thomas S. Monson voltou-se para as escrituras para ensinar princípios de gratidão.

Quando Jesus curou 10 leprosos, mas apenas um retornou para agradecer (Lucas 17:11-19).

Presidente Thomas Monson acena para congregação após uma sessão de conferência geral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no dia 6 de abril, 2007, em Salt Lake City.
Presidente Thomas Monson acena para congregação após uma sessão de conferência geral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no dia 6 de abril, 2007, em Salt Lake City. Credit: Foto por Jeffrey D. Allred, Deseret News

Quando Jesus usou sete pedaços de pão e poucos peixes para alimentar mais de 4.000 (Mateus 15:32-38).

Doutrina e Convênios 59: 7, 21 e Alma 34:38 relembram Santos dos Últimos Dias a darem graças ao Senhor “em todas as coisas” e viver “em ação de graças diariamente.”

“Independente de nossas circunstâncias”, presidente Monson disse, “cada um de nós tem muito pelo que agradecer se pararmos para contemplar nossas bênçãos.”

Presidente Monson continuou: “Podemos elevar a nós mesmos e outros assim como quando nos recusamos a permanecermos no domínio de pensamentos negativos e cultivar em nossos corações uma atitude de gratidão. Se ingratidão for numerada entre os pecados sérios, então gratidão está entre as virtudes mais nobres.”

Presidente Monson concluiu com este pensamento.

“Meus irmãos e irmãs, expressar gratidão é gracioso e honrável, promulgar gratidão é generoso e nobre, mas viver com gratidão sempre em nossos corações é tocar o céu”, ele disse.

Gratidão sincera

Em seu discurso de outubro de 2008, “Orar Sempre”, élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensinou que oração se torna mais significativa quando expressamos “gratidão sincera.”

Élder Bednar relatou uma experiência quando ele e sua esposa ajoelharam-se em oração com um membro do Quórum dos Doze Apóstolos. Um amigo da família havia falecido naquele dia e por mais que o casal Bednar quisesse orar pelo cônjuge que ficou e pela família, o líder da Igreja sugeriu que eles apenas expressassem “apreço pelas bênçãos recebidas e não pedissem por nada.”

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, irmã Susan Bednar, falam durante um serão na BYU Idaho em Rexburg, Idaho, no domingo, dia 22 de setembro, 2019.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, irmã Susan Bednar, falam durante um serão na BYU Idaho em Rexburg, Idaho, no domingo, dia 22 de setembro, 2019. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Irmã Susan Bednar seguiu seu conselho e agradeceu ao Senhor “pelas experiências significativas e memoráveis com este querido amigo” e expressou apreço pelo conforto do Espírito Santo e pelo plano de Salvação.

O casal Bednar aprendeu uma lição valiosa com aquela experiência sobre “o poder de ação de graças na oração significativa”, élder Bednar disse.

“Aprendemos que nossa gratidão pelo plano de salvação e pela missão do Salvador de salvação proveram uma confirmação necessária e fortaleceram nossa confiança que tudo ficaria bem com nossos queridos amigos. Também recebemos inspirações com relação a coisas pelas quais devíamos orar e pedir de maneira apropriadamente em fé”, élder Bednar disse. “As orações mais significativas e espirituais que participei tiveram muitas expressões de gratidão e poucos, se tivesse algum, pedidos.”