BYU retomará aulas presenciais no próximo semestre, mas com vários ajustes

A Universidade Brigham Young anunciou na terça-feira, dia 23 de junho, planos para retornar às aulas presenciais para o semestre do outono norte-americano, que se inicia no dia 31 de agosto de 2020. 

Em mensagem publicada no site da escola de propriedade da Igreja, o presidente da BYU, Kevin J. Worthen, compartilhou detalhes do retorno antecipado ao campus de Provo, em Utah, após meses de instrução online devido à pandemia de COVID-19.

A decisão de voltar ao estudo presencial, observou o presidente, “está sujeita a mudanças, dependendo das tendências de prevalência da doença e da orientação dos governos estaduais e locais.”

O semestre do outono na BYU envolverá uma grande variedade de ajustes, incluindo:

  • Um retorno gradual dos alunos aos dormitórios no campus da BYU.
  • Aulas híbridas que combinam aprendizagem presencial e remota.
  • Número ampliado de Cursos Online da BYU.
  • Teste de COVID-19 para pessoas doentes e alguns testes para aqueles que estiverem assintomáticos.
  • Rastreamento de contato em parceria com o Departamento de Saúde do Condado de Utah.
  • Abordagem em fases para reintrodução de atividades e eventos.
  • Uso obrigatório de máscaras faciais par alunos, professores, funcionários e visitantes.
  • Uma mudança para instruções e exames remotos depois do Dia de Ação de Graças (no final de novembro).

Atualizações mais detalhadas serão anunciadas antes do início do semestre.

No início deste mês, a BYU-Havaí anunciou que seus cursos no próximo semestre serão apenas online. Enquanto isso, alguns alunos retornarão no próximo semestre para o campus de Salt Lake City da LDS Business College (que em breve se chamará Ensign College), que oferecerá seus cursos em formato híbrido.

A BYU-Idaho continua suas opções de estudo. Espera-se que outras decisões sejam tomadas até o final de junho ou início de julho, disse um porta-voz da universidade.

Todos que estiverem conectados ao campus da BYU “terão que desempenhar [um] papel” para que o retorno à instrução presencial planejado tenha sucesso, observou o presidente Worthen:

“A declaração da missão da BYU diz que todas as relações dentro da comunidade da BYU devem refletir ‘uma preocupação amorosa e genuína com o bem-estar do nosso próximo’. Certamente, essa pode ser nossa motivação para usar uma máscara facial, lavar as mãos com frequência e ficar em casa quando estivermos doentes. 

“Podemos reagir com empatia quando alguém que conhecemos testar positivo para a COVID-19. Podemos combater o vírus do desprezo com bondade, mesmo quando debatemos sobre a melhor forma de se responder como sociedade à pandemia.”

O presidente da escola também agradeceu ao corpo docente, aos funcionários e ao corpo discente da BYU por sua “inovação e determinação” após a mudança para cursos remotos no início deste ano.

“A ação rápida ajudou a diminuir o impacto imediato da pandemia em nossa comunidade do campus e nos permitiu seguir em frente como uma universidade.”

Em março passado, o presidente Worthen falou com o Church News sobre o compromisso contínuo da escola de permanecer uma “comunidade de convênios” mesmo quando a pandemia forçou os alunos da BYU a se dispersarem pelo mundo.

“Quando isso terminar, teremos aprendido coisas que podemos fazer remotamente”, disse o presidente Worthen na época. “Mas continuo convencido de que ainda há uma razão para se reunir aqui em Provo, e estou ansioso por esse dia. Contudo podemos manter nossa comunidade através dos meios que nos são fornecidos, na medida que pudermos, agora mesmo.”