Vicki Jackman: O Senhor ama e espera o esforço

Nota do editor: Esta história é parte da série do Church News intitulada “Mulheres do Convênio”, em que mulheres da Igreja discutem suas experiências pessoais com o poder do sacerdócio e compartilham o que aprenderam por seguirem o conselho do Presidente Russell M. Nelson de “trabalhar com o Espírito para compreender o poder de Deus — o poder do sacerdócio” (“Tesouros Espirituais”, Conferência Geral, outubro de 2019).

Não faz muito tempo, recebi algumas novas designações em meu chamado como membro da junta geral das Moças. Estas novas responsabilidades pareciam enormes e bem fora da minha zona de conforto. Senti-me insegura sobre como iria realizá-las. Ainda mais do que isso, me senti lamentavelmente inadequada. Percebi que estava perguntando a mim mesma: “Como uma garota comum de uma fazenda de frutas em Brigham City, Utah, se qualifica para estar neste chamado na igreja?” 

Quanto mais eu pensava e ponderava, mais sobrecarregada me sentia. Minhas inseguranças atormentaram meu coração e mente, azedando tudo o que fiz e me enchendo de sentimentos de intensa inadequação. Sabia que não estava indo em uma boa direção então, depois de uma refeição, me ajoelhei em oração pedindo ao Pai Celestial para me perdoar por murmurar – orei pedindo por forças, além da minha própria, para carregar meu fardo, e então caí na cama.

Vicki Jackman, membro da junta geral das Moças.
Vicki Jackman, membro da junta geral das Moças. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Durante a noite, acordei ainda agitada e preocupada com minha habilidade para realizar o trabalho. Repeti minha oração anterior pedindo forças e imediatamente me lembrei do relato no Novo Testamento, quando o Salvador jejuou no deserto por 40 dias. Satanás foi implacável. Em todas as tentações que ele colocou na frente do Salvador, a que mais constantemente repetiu foi uma dúvida, “Se tu és o Filho de Deus…” (Lucas 4:1-13). Satanás nunca desiste. Enquanto estava na cruz, pessoas insultaram o Salvador com as mesmas palavras de dúvida: “Se és Filho de Deus, desce da cruz” (Mateus 27:40). Mas o Salvador nunca fraquejou. Apesar do que poderia ter sido uma mentira fácil de acreditar, Ele nunca questionou sua tarefa divinamente conferida. Ele sabia que tinha recebido poder do Pai para realizar Seu trabalho.

Percebi naquele meu momento, no meio da noite, que se eu permitisse que Satanás questionasse meu valor divino, ele ganharia. De repente, senti uma onda de poder, um sentimento de que, sem Deus, não conseguiria ter sucesso, mas com Ele não fracassaria (Helamã 5:12).

Deus me ama. Sou Sua amada filha. Esta é Sua Igreja e, como tal, minhas designações não têm a ver comigo, mas com Ele. A paz se estabeleceu em meu coração quando me ensinaram essa verdade eterna e fui dominada pelo amor do Salvador por mim. Eu sabia que poderia cumprir minhas designações.

Ao me levantar de manhã cedo, fiz uma oração com o coração cheio de gratidão e fui para o Provo Canyon na minha bicicleta, com meu marido.  Enquanto andava entre as majestosas montanhas de ambos os lados do cânion, me lembrei do que o Presidente Nelson havia dito a uma doce garotinha da Primária. Ser profeta é um trabalho árduo. Jeová pediu a Moisés que fosse ao topo do Monte Sinai, não para encontrá-Lo no meio do caminho, mas para caminhar todo o caminho até o topo. O Senhor espera e ama o esforço. 

Pedalando minha bicicleta, pensei no primeiro passeio da temporada. Tinha sido brutal. Mas naquele dia, senti uma habilidade de fazer o mesmo percurso com facilidade. Sim, o Senhor ama nosso esforço, mas Ele nos fortalecerá para que possamos suportar nossos fardos com facilidade (Mosias 24:15). Ele imediatamente estenderá Sua mão para nos levantar (Mateus 14:24-32).

Vicki Jackman pedalando no Provo Canyon, perto de Provo, Utah.
Vicki Jackman pedalando no Provo Canyon, perto de Provo, Utah. Credit: Cortesia de Vicki Jackman

Percebi que, quando fui designada como membro da junta geral das Moças, recebi autoridade do sacerdócio sob as mãos de um de Seus apóstolos ordenados. Conforme honro e guardo meus convênios do batismo e templo, sou abençoada com o poder do sacerdócio, o poder de Deus, e me qualificarei para obter Sua divina ajuda em cada parte da vida: casamento, filhos, netos, relacionamentos com familiares e parentes, amigos e vizinhos, irmãs ministradoras e chamados na Igreja. 

Muitas vezes me senti empoderada para dizer ou fazer algo além da minha própria habilidade mortal.  Sei que posso contar com Ele quando a vida ficar difícil e Ele me sustentará. As dificuldades nunca desaparecerão nesta esfera mortal, mas com Seu poder, posso sentir consolo, tranquilidade, paz e alegria. 

Os irmãos justos são portadores do sacerdócio, mas nós, mulheres, somos beneficiárias do poder do sacerdócio, como evidenciado por meio do poder do Espírito Santo, do poder da divindade e do poder da Expiação de Jesus Cristo em todos os aspectos de nossa vida.

O Presidente Russell M. Nelson disse que “os céus estão abertos, tanto para as mulheres que são investidas com o poder de Deus que emana de seus convênios do sacerdócio, quanto para os homens que portam o sacerdócio. Oro para que esta verdade fique registrada no coração de cada uma de vocês, porque acredito que ela mudará sua vida” (“Tesouros Espirituais”, Conferência Geral de Outubro de 2019). Quão grata sou pelo poder do sacerdócio. Ele muda minha vida todos os dias.