Presidente Kauwe da BYU–Havaí explica como rios e ondas do mar se relacionam à paz e retidão

O que poderosos rios e perigosas ondas do mar têm a ver com paz e retidão?

No primeiro devocional no campus do semestre do outono [do hemisfério norte] de 2021 na BYU–Havaí — e no primeiro devocional com um auditório cheio de alunos desde o início da pandemia de COVID-19 — o presidente John S.K. Kauwe III compartilhou o que aprendeu com a água nas escrituras, na terça-feira, 7 de setembro. Ele falou juntamente com sua esposa, a irmã Monica Kauwe.

“Vocês provavelmente já perceberam que aqui na BYU-Havaí, a água está em toda parte,” disse o presidente Kauwe. “Desde o oceano que desfrutamos até as lutas que temos contra as enchentes, ela nos traz alegria e provações.”

O presidente Kauwe ama a água, seja na forma de rios, lagos ou oceanos. O trabalho de campo para seu mestrado envolveu a coleta de certo tipo de um pequeno inseto aquático de todas as drenagens importantes de rios no oeste dos Estados Unidos, e ele continuou a fazer pesquisas na genômica de peixes marinhos em todos os oceanos do mundo. Quase todas as manhãs, ele arranja tempo para estar no oceano. “Ainda não parece o suficiente para mim”, disse ele.

Portanto, faz sentido que as passagens das escrituras sobre a água se destaquem para ele. Em seu discurso, ele se concentrou em 1 Néfi 20:18, que também se encontra em Isaías 48:18: “Oh, se tivesses dado ouvidos aos meus mandamentos — então tua paz teria sido como um rio e tua retidão, como as ondas do mar.”

Em paz como um rio

“O poder de um rio pode ser chocante”, disse o presidente Kauwe. Muitos rios que ele encontrou são surpreendentemente fortes, e sua força pode ser vista pelos caminhos que eles abrem. “Através da areia ou da pedra, os rios têm estabilidade, persistência e força que os transportam para cima, para baixo, ao redor ou através de qualquer obstáculo.”

Quando Isaías ensina que a obediência aos mandamentos de Deus trará paz como um rio, “acredito que ele está falando sobre uma paz que inevitavelmente continua em todos os desafios de nossas vidas, permitindo-nos prosseguir por cima, por baixo, ao redor e por tudo que enfrentamos”, disse o presidente Kauwe.

A conexão com a obediência aos mandamentos também é significativa, explicou ele. Os rios começam nos altos picos das montanhas, onde a precipitação do céu se acumula e flui, crescendo de riachos em rios estrondosos.

“Assim é com a paz”, disse o presidente Kauwe. Jesus Cristo é o Príncipe da paz. O plano de salvação é possível por meio de Sua Expiação, que dá paz permitindo que a pessoa supere qualquer obstáculo. “Sua paz está lá para nós, o tempo todo”, disse ele. “Podemos acessá-la aprendendo Dele, amando-O e seguindo Seus mandamentos.”

“Quando fizermos isso, nossa paz será como um rio.”

O presidente da BYU–Havaí, John S.K. Kauwe III, e sua esposa, a irmã Monica Kauwe, fazem o devocional de abertura do semestre do outono em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021.
O presidente da BYU–Havaí, John S.K. Kauwe III, e sua esposa, a irmã Monica Kauwe, fazem o devocional de abertura do semestre do outono em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021. Credit: Mark Gatus, BYU–Havaí

Justos como as ondas do mar

O presidente Kauwe passou muitas horas nas ondas do mar, seja pescando da costa ou em barcos, mergulho livre, body surfe, bodyboard ou surfe. “Eu experimentei ondas no oceano aberto que eram tão grandes que eu nem conseguia ver por cima delas”, disse ele. “Conforme você experiencia o oceano e suas ondas, você aprenderá que dentro dessa bela forma existe um grande poder.”

Nesse momento, ele fez uma pausa para adicionar alguns conselhos práticos aos alunos da BYU-Havaí. “Sempre tenham muito cuidado com o oceano”, disse ele. Enquanto as ondas de verão são geralmente suaves, as ondas de inverno são perigosas para quem não tem experiência. “Por favor, sejam cuidadosos. Queremos que vocês estejam seguros e sejam saudáveis.”

Ao explicar a comparação, ele ensinou que as ondas são o resultado da água transmitindo energia do vento e da atração da lua — ambas fontes encontradas no céu. A água reage e a energia é transferida através da água até formar uma onda quebrando na costa.

“O ensino de Isaías de ‘obter retidão como as ondas do mar ’por meio da obediência aos mandamentos está descrevendo uma pessoa cujas ações são completamente moldadas e em alinhamento com a energia dos céus”, disse o presidente Kauwe. “Tal pessoa entenderia e traduziria a vontade de Deus em ações que são belas e poderosas como as ondas do mar.”

A justiça, ou ações de cada pessoa, devem ser completamente ditadas pelo poder do céu. “Essa retidão que obtivemos por meio da obediência, nos dará acesso ao poder divino em forma de onda”, disse o presidente Kauwe. Esse poder transformará a vida de cada pessoa e a vida daqueles ao seu redor de maneiras eternamente significativas, e pode superar qualquer desafio ou obstáculo e permitem que os alunos da BYU-Havaí mudem suas comunidades e construam a paz internacionalmente, disse ele.

Para encerrar, o Presidente Kauwe disse que a paz e a retidão “nos prepararão para confiarmos com paciência e confiança em nosso Salvador, Jesus Cristo, em todos os desafios.”

“Como um rio, nossa paz nos sustentará ao redor, ao longo de todos os obstáculos que enfrentarmos. Como as ondas do mar, traduziremos os poderes do céu em retidão que é inspirada em sua beleza e poder.”

Arbítrio moral

A irmã Kauwe comentou sobre uma pergunta que ouviu em uma discussão recentemente: “Se devemos nos conformar à vontade de Deus, o que isso significa para nosso arbítrio? (…) Temos arbítrio, o que significa que somos livres para fazer o que quisermos. Mas se temos que fazer o que Deus quer que façamos, como isso é realmente livre arbítrio?”

Arbítrio, ela explicou, é a habilidade e privilégio que Deus dá a Seus filhos para escolher e agir por si mesmos. Além disso, o termo “arbítrio” não é usado nas escrituras. “Em vez disso, Doutrina e Convênios 101:78 ensina ‘que todo homem aja em doutrina e princípios (…) de acordo com o arbítrio moral que eu lhe dei, para que todo homem seja responsável por seus próprios pecados.’

“Então, realmente o que estamos vendo é o arbítrio moral”, disse ela.

A esposa do presidente da BYU–Havaí, irmã Monica Kauwe, durante o devocional de abertura do semestre do outono em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021.
A esposa do presidente da BYU–Havaí, irmã Monica Kauwe, durante o devocional de abertura do semestre do outono em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021. Credit: Mark Gatus, BYU–Havaí

O arbítrio tem sido uma parte central do plano de Deus desde antes de qualquer pessoa vir à Terra. Por meio do plano do Pai Celestial, cada pessoa é responsável por suas próprias ações, desejos e atitudes; por meio do exemplo de Cristo, cada pessoa aprende como submeter sua vontade à vontade do Pai Celestial.

A irmã Kauwe então leu 2 Néfi 2:27-28: “Portanto, os homens são livres segundo a carne; e todas as coisas de que necessitam lhes são dadas. E são livres para escolher a liberdade e a vida eterna por meio do grande Mediador de todos os homens, ou para escolherem o cativeiro e a morte, de acordo com o cativeiro e o poder do diabo; pois ele procura tornar todos os homens tão miseráveis como ele próprio. E agora, meus filhos, gostaria que confiásseis no grande Mediador e désseis ouvidos aos seus grandes mandamentos; e que fôsseis fiéis às suas palavras e escolhêsseis a vida eterna, conforme a vontade do seu Santo Espírito.”

“Então, em resposta à pergunta que descrevi anteriormente sobre o que acontece com nosso‘ arbítrio’, quando fazemos o que Deus quer que façamos, não estamos abrindo mão de nosso arbítrio; estamos fazendo o que nos trará liberdade e vida eterna, em vez de cativeiro e morte”, disse a irmã Kauwe.

Ela usou o exemplo de membros da família que aprenderam recentemente a surfar para ilustrar esse princípio. Surfar não é fácil, especialmente com a mudança das condições do dia a dia. Embora seja possível aprender a surfar por conta própria, “realmente a melhor maneira de desfrutar de toda a experiência e emoção de surfar nas ondas é escolher aprender e praticar as técnicas básicas do surf.”

Para gostar de surfar e ter sucesso, é preciso seguir certas regras e praticar as habilidades básicas, disse a irmã Kauwe. “Da mesma forma, as escolhas que fazemos todos os dias para guardar os mandamentos, seguir o profeta, orar diariamente, ler as escrituras e viver nossa vida de maneira que mantenha o Espírito conosco são todos parte de nossa maior escolha de exercer nosso arbítrio e seguir Cristo e Seu plano para nós.”

O presidente da BYU–Havaí, John S.K. Kauwe III, e sua esposa, irmã Monica Kauwe, cumprimentam os alunos antes de fazer o devocional de abertura do semestre do outono no campus em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021.
O presidente da BYU–Havaí, John S.K. Kauwe III, e sua esposa, irmã Monica Kauwe, cumprimentam os alunos antes de fazer o devocional de abertura do semestre do outono no campus em Laie, Havaí, na terça-feira, 7 de setembro de 2021. Credit: Mark Gatus, BYU–Havaí