Irmão Corbitt explica como princípio vital de fé se aplica a entes queridos, a harmonia racial e sucesso conjugal

Durante a última Conferência Geral, em abril, Presidente Russell M. Nelson fez um apelo pouco comum à Igreja e a todo o mundo, observou o irmão Ahmad S. Corbitt durante o devocional no campus da BYU-Idaho na terça-feira, 21 de setembro.     

O irmão Corbitt destacou que o “apelo incomum” do Profeta não era um convite, ensino ou incentivo, mas um chamado para “começar hoje e aumentar sua fé.”

Falando do Centro da BYU-Idaho no campus de Rexburg, Idaho, durante o primeiro devocional presencial desde o início da pandemia, o irmão Corbitt, membro da presidência geral dos Rapazes, disse que se sentiu inspirado a ajudar seus ouvintes, a continuarem aceitando e magnificando o chamado de Presidente Nelson.

O irmão Corbitt começou seu discurso fazendo uma pergunta séria: “Você conhece e ama alguém que já teve um testemunho do evangelho restaurado de Jesus Cristo — um jovem aparentemente forte, ou até mesmo um missionário retornado, ou um adulto mais velho — que abandonou sua fé em Cristo e deixou a Igreja?”

Infelizmente, o irmão Corbitt disse, essa experiência não é nova.

Por que alguns dos filhos de Deus viram as costas para Ele depois de terem recebido luz? E como as pessoas podem aumentar a fé em Cristo e ajudar outras a fazerem o mesmo? Irmão Corbitt perguntou.

A resposta, disse ele, está em um princípio vital de fé em Cristo que muito poucos usam, entendem ou mesmo conhecem.

“Mas eu prometo que, se vocês ouvirem com atenção, acreditarem e humildemente aplicarem tal princípio, vocês deixarão este devocional armados com mais fé em Cristo e tendo respondido ao chamado do Profeta hoje”, prometeu o irmão Corbitt.

Os alunos mostram que estão prontos para aprender segurando suas escrituras durante o primeiro devocional presencial realizado no Centro da BYU-I, desde o início da pandemia.
Os alunos mostram que estão prontos para aprender segurando suas escrituras durante o primeiro devocional presencial realizado no Centro da BYU-I, desde o início da pandemia. Credit: : J. Lawson Turcotte, BYU–Idaho

Princípio vital de fé

Durante seu “ensino épico” aos zoramitas, o profeta Alma identificou dois níveis de fé. O primeiro é descrito como iniciante. 

“Essa fé experimenta a palavra de Deus e aprende que o evangelho é verdadeiro”, explicou o irmão Corbitt, citando Alma 32:28-29: “quando tiverdes essa sensação de crescimento, começareis a dizer a vós mesmos [e para outros]: Deve ser uma boa semente, ou melhor, a palavra é boa [a Igreja é verdadeira] porque começa a dilatar-me a alma; sim, começa a iluminar-me o entendimento.”

Para os entes queridos que se afastaram: “Infelizmente, sua fé nunca atingiu o próximo nível”, disse o irmão Corbitt. “Qual é o próximo nível? É olhar para frente com os olhos da fé e ver a promessa do Senhor de vida eterna já cumprida em nossa vida.”

Olhar para a frente com os olhos da fé é como um curso ou classe essencial, necessária para “graduar” a fé do iniciante ao permanente. “Se não fizermos este curso, nossa fé não se forma”, disse o irmão Corbitt.

Alma ensina que, se as pessoas não olharem para a frente com os olhos da fé, sua árvore do evangelho — ou testemunho — não sobreviverá à forte oposição que todos inevitavelmente enfrentam. “Nossa fé inicial era apenas plantar a semente para saber se o evangelho e a Igreja eram verdadeiros, não necessariamente para nos ajudar no desafio da mortalidade”, disse o irmão Corbitt. “Alma disse que, assim que tivermos essa experiência inicial, ‘não deveis abandonar vossa fé’” (Alma 32:38).

Alunos dão as boas-vindas aos participantes do primeiro devocional presencial no Centro da BYU-I desde o início da pandemia. O devocional, realizado em 21 de setembro de 2021, apresentou o irmão Ahmad Corbitt da presidência geral dos Rapazes.
Alunos dão as boas-vindas aos participantes do primeiro devocional presencial no Centro da BYU-I desde o início da pandemia. O devocional, realizado em 21 de setembro de 2021, apresentou o irmão Ahmad Corbitt da presidência geral dos Rapazes. Credit: Michael Lewis, BYU–Idaho

Olhando para a frente com os olhos da fé

Então, o que significa olhar para frente com os olhos da fé?, irmão Corbitt perguntou. Presidente Nelson ensinou a “começar com o fim em mente.” Presidente Dallin H. Oaks, primeiro conselheiro na Primeira Presidência, aconselhou-nos a ver “o fim desde o início.” Quando Presidente Henry B. Eyring, segundo conselheiro na Primeira Presidência, era presidente da Ricks College, ele ensinou aos alunos que viver em glória para sempre em família na presença de um amoroso Pai Celestial “exige atenção.”

Ou, nas palavras de Alma, o irmão Corbitt disse: “Você espera com os olhos da fé e da visão (ou vê) este corpo mortal ressuscitado na imortalidade e esta corrupção ressuscitada na incorrupção (em outras palavras, a promessa cumprida) para estar diante de Deus para ser julgado de acordo com as ações que foram feitas no corpo mortal?” (Alma 5:15–16).

O irmão Corbitt disse que não conhece expressão mais poderosa de fé “fixa” nas promessas de Deus, do que olhar para frente e ver Suas promessas como já cumpridas, ou um fato consumado, e agir de acordo.

Neste mesmo capítulo, Alma pergunta: “Podeis imaginar ouvir a voz do Senhor, dizendo-vos naquele dia: Vinde a mim, benditos?”

Da mesma forma, o irmão Corbitt perguntou aos ouvintes: “Vocês ‘imaginam’ o que se tornará e como será, especialmente na eternidade? (…) Vocês já imaginaram como será na presença de nosso Pai Celestial se continuarem a fazer o melhor para viverem Seu evangelho e se arrependerem de seus erros?”

Para aqueles que não têm certeza das promessas de Deus, ou questionam se sua fé é forte o suficiente, o irmão Corbitt prometeu: “Ao verem, imaginarem e visualizarem as promessas do Senhor cumpridas em sua vida e trabalharem diligente e pacientemente para que sejam cumpridas, vocês convidam o Consolador para confirmar o que vocês estão experienciando.”

O irmão Corbitt compartilhou então, como aplicar este princípio de fé em Cristo e Suas promessas a três tópicos principais: a coligação de Israel, harmonia racial e sucesso conjugal.

A coligação de Israel

O irmão Ahmad S. Corbitt, primeiro conselheiro na presidência geral dos Rapazes, fala em 21 de setembro de 2021, no primeiro devocional presencial no Centro da BYU-Idaho desde que a pandemia de COVID-19 começou em março de 2020.
O irmão Ahmad S. Corbitt, primeiro conselheiro na presidência geral dos Rapazes, fala em 21 de setembro de 2021, no primeiro devocional presencial no Centro da BYU-Idaho desde que a pandemia de COVID-19 começou em março de 2020. Credit: Michael Lewis, BYU–Idaho

Em 2014, enquanto o irmão Corbitt e sua esposa, a irmã Jayne L. Corbitt, estavam se preparando para serem líderes da Missão Santo Domingo Leste da República Dominicana, os dois participaram do Seminário para Novos Líderes de Missão, quando Presidente Nelson os ensinou a ensinarem os missionários para começarem com o final em mente. Em outras palavras, imaginarem aqueles a quem ensinavam o evangelho sendo batizados e selados como família.

“Esses ensinamentos acenderam o fogo da fé em Cristo e em Suas promessas ao longo de nossa missão”, disse o irmão Corbitt. “Deixem que eles acendam o mesmo fogo da fé em Cristo em vocês, enquanto olham para a frente com um olho de fé e visão, imaginem e visualizem os filhos de Deus — incluindo vocês — desta maneira maravilhosa.”

Harmonia racial

O irmão Corbitt disse aos ouvintes que eles têm um papel fundamental a desempenhar no estabelecimento de uma cultura nacional de unidade e harmonia, sem racismo e contenção racial.

“Nossa unidade como povo será uma evidência para o país e para o mundo, de que Jesus Cristo é realmente o Filho de Deus, e que Ele tem o poder de unificar os filhos Deus, de todas as origens, que estiverem dispostos a fazerem isso. Se permitirmos, Ele nos usará como exemplo para os Estados Unidos e um estandarte para as nações em todo o mundo”, declarou o irmão Corbitt.

Em 2018, Presidente Nelson, seus conselheiros e oficiais nacionais da NAACP, se reuniram e o Presidente Nelson disse: “Somos inspirados a convocar as pessoas desta nação e, na verdade, de todo o mundo, para demonstrarem maior civilidade, harmonia racial e étnica, e respeito mútuo (…), elevando nossos irmãos e irmãs que precisam de nossa ajuda, assim como faria o Salvador Jesus Cristo.”

Alguns anos após o apelo do Profeta, o abuso racial e as contendas geraram uma conflagração de contendas e violência em todo o país. “Imaginem se a nação tivesse atendido ao chamado do Profeta”, disse o irmão Corbitt. “Quão mais unidos seríamos hoje? Imaginem as condições amanhã, se não atendermos aos chamados proféticos de hoje.”

Então, o que os indivíduos devem fazer? O irmão Corbitt incentivou seus ouvintes a permitirem que as diferenças que veem entre os filhos de Deus no campus e em outros lugares os lembrem de seu importante papel como catalisadores na união em paz e harmonia.

“Evitemos a negatividade e a divisão, e trabalhemos em direção à ‘paz e harmonia perfeitas’ ‘com grande diligência e paciência, esperando os frutos delas’ (Alma 32:41). Imaginem como poderíamos assim guiar os Estados Unidos para cada vez mais ‘formar uma união mais perfeita’ como ‘uma nação, sob Deus, indivisível, com liberdade e justiça para todos.’”

Sucesso conjugal

Como o princípio de olhar para frente com fé se aplica à harmonia conjugal? O irmão Corbitt perguntou.

“Uma das maiores promessas que Deus faz a Seus filhos é também a maior de todas as Suas dádivas para nós, a vida eterna. Como você sabe, isso é exaltação, ou a vida que Ele mesmo vive no casamento e na família”, disse o irmão Corbitt.

Irmão Ahmad Corbitt e irmã Jayne Corbitt.
Irmão Ahmad Corbitt e irmã Jayne Corbitt. Credit: Richard M. Romney, IA Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Citando o último discurso de Presidente M. Russell Ballard na conferência geral , o irmão Corbitt ensinou como os profetas dos últimos dias confirmaram que todos os que são fiéis em guardar os convênios do evangelho terão a oportunidade de exaltação.  

O irmão Corbitt disse que vê esperança e poder nesses ensinamentos. “Eles permitem que todos os fiéis, independentemente de você ter um cônjuge selado a você ou não, a olharem para frente com os olhos da fé e se verem exaltados na presença de nosso Pai Celestial e nosso Salvador.”

Ele então perguntou: “Irmãos, nós que somos casados, ​​olhamos para frente e vemos nossa esposa como uma mulher exaltada e gloriosa, de acordo com a promessa? Vocês, esposas, veem seus maridos como homens exaltados e gloriosos? O que podemos fazer para tratá-los mais segundo os olhos da fé? Se não são casados, como podem esperar, com olhos de fé, nossa prometida exaltação? Como devemos nos ver e o que devemos fazer? Mais importante ainda, como devemos todos agir para com nosso Pai Celestial e nosso Salvador, que garantiu para cada um de nós — casados ​​e solteiros — essas bênçãos e promessas eternas com grande sacrifício pessoal?”

Concluindo, o irmão Corbitt repetiu seu conselho anterior de “ajudar outros a começarem com o fim em mente e verem o fim desde o princípio. Vamos ajudar a ‘nutrir (…) a árvore quando ela começar a crescer (…) aguardando com os olhos da fé o seu fruto.’”

O irmão Ahmad S. Corbitt, primeiro conselheiro na presidência geral dos Rapazes, fala em 21 de setembro de 2021, no primeiro devocional presencial no Centro da BYU-Idaho desde que a pandemia de COVID-19 começou em março de 2020.
O irmão Ahmad S. Corbitt, primeiro conselheiro na presidência geral dos Rapazes, fala em 21 de setembro de 2021, no primeiro devocional presencial no Centro da BYU-Idaho desde que a pandemia de COVID-19 começou em março de 2020. Credit: J. Lawson Turcotte, BYU–Idaho