Irmã Craven explica como se destacar como discípulo de Cristo durante devocional da BYU

Enquanto a irmã Rebecca L. Craven e seu esposo almoçavam na América Central neste verão, eles notaram uma pequena família que parecia ser membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Após terminarem o almoço, a irmã Craven e seu esposo se aproximaram dos membros da família, e confirmaram que eles eram santos dos últimos dias.

“O que revelou que eles eram membros? Na verdade, várias coisas”, explicou a irmã Craven, segunda conselheira da presidência geral das Moças, durante seu discurso para os estudantes da BYU [em inglês] na terça-feira, dia 19 de outubro. “Foi sua conduta externa e peculiaridades. A maneira como estavam vestidos. A Fanta Laranja que eles beberam no almoço. A linguagem que eles usaram — ou talvez a falta de linguagem grosseira, que é tão predominante no mundo de hoje. Foram seus semblantes. Foi o espírito que eles exalavam. Era óbvio. E eles não puderam deixar de espalhar sua luz do evangelho por todo o restaurante!”

“O que os fez se destacar? Foi a dignidade e a conduta de seu discipulado!” 

A dignidade e conduta no discipulado começa com uma compreensão de identidade: “Literal e especificamente, somos filhos e filhas de pais celestiais.”

“Conhecer nossa identidade nos fortalece contra nossa cultura de comparar, reclamar e criticar.”

A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021.
A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021. Crédito: Nate Edwards, BYU

Esta compreensão determina pensamentos e ações diárias. “A maneira como rotulamos a nós mesmos muitas vezes dita como tratamos e interagimos com outras pessoas, disse a irmã Craven.

Quando ela era mais jovem, um indivíduo que não seguia a multidão ou os caminhos do mundo poderia ser chamado de “quadrado”, que é uma palavra adequada para descrever um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo, pois “uma definição de quadrado é ser exato, reto e direto”.

“Qualquer que seja o termo para se destacar e ser diferente, o Senhor precisa que sejamos reconhecidos como Seus discípulos”, ensinou ela.

Em seguida, ela compartilhou exemplos de dignidade e conduta de um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo.

A linguagem do discipulado

“Nossa linguagem reflete Sua imagem em nosso semblante verbal?”, perguntou ela aos estudantes.

O uso de palavrões exibe uma ausência de disciplina e caráter, e o Senhor fica desapontado quando aqueles que se dizem Seus discípulos usam uma linguagem lasciva, vulgar ou sexualmente explícita.

A irmã Craven advertiu contra o uso do nome do Senhor de forma irreverente ou vã, ou “proferir Seu nome sem propósito, o que em minha mente inclui palavras ou acrônimos substitutos que são ‘semelhantes’.”  

“A dignidade na linguagem não se refere apenas às palavras que usamos”, observou ela. “Trata-se também dos assuntos sobre os quais falamos.”

A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021.
A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021. Crédito: Nate Edwards, BYU

Como há uma abundância de forças no mundo que trabalham para derrubar as pessoas, ela sugeriu que os discípulos de Cristo atuem como uma força contrária a este tipo de dano.” 

“Trabalhamos com a construção espiritual”, disse ela. “Construímos caráter. Edificamos uns aos outros. Construímos uma sociedade de Sião com o desejo de amar a Deus e a nosso próximo.”

Comentários sarcásticos podem muitas vezes causar feridas que não se veem. “Talvez seja porque tais comentários geralmente contêm elementos da verdade. … O que pode parecer engraçado para uma pessoa, pode ser constrangedor ou humilhante para outra.”

Ela também ressaltou que a voz em tom elevado pode rapidamente aumentar a tensão e afastar o Espírito, e recordou um incidente em que seus filhos quebraram um globo de neve favorito. Embora o incidente tenha ocorrido há mais de 30 anos, “os olhares em seus pequenos rostos ainda me assombram, assim como os sentimentos de vergonha que tomaram conta de mim devido ao meu comportamento impulsivo e o afastamento imediato do Espírito.”

Integridade no discipulado

Os discípulos de Jesus Cristo se esforçam continuamente para serem irrepreensíveis. “Quando comprometemos nossa integridade de qualquer forma, a luz se apaga”, disse a irmã Craven.

“É desanimador, quando os membros da Igreja que fazem convênios, deixam de lado sua integridade em um empenho para se encaixarem em um ambiente comercial ou social, por meio do vestuário, da linguagem, da quebra da Palavra de Sabedoria ou desonestidade.”

Ela repetiu as palavras do escritor Robert Louis Stevenson, que disse: “A verdade não é apenas expor os fatos, mas transmitir uma impressão verdadeira”.

No mundo digital, pode ser especialmente fácil corrompermos os fatos, ou até a nós mesmos, ensinou ela. “Sermos honestos, não apenas no que dizemos e fazemos, mas nas impressões que transmitimos, aumenta nossa sensibilidade para com o Espírito.”

A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021.
A irmã Rebecca L. Craven ensina sobre a dignidade e a conduta de um discípulo de Jesus Cristo durante um devocional da BYU, no dia 19 de outubro de 2021. Crédito: Nate Edwards, BYU

A irmã Craven já ouviu pessoas dizerem que, ocasionalmente, baixam seus padrões para terem algo em comum ou serem empáticas com um outro indivíduo. 

“Certamente, o Salvador foi até onde as pessoas estavam para que pudesse olhar em seus olhos, mas Ele nunca permaneceu lá. Ele nunca mudou seus padrões ou princípios em um empenho de ser um amigo com algo em comum”, disse ela. “Ele sempre as tomava pela mão e as conduzia até onde estava. Ele as elevava e as deixava melhores do que eram antes.”

Vocês já fizeram parte do “Clube dos Mas…?” perguntou ela.

Os membros do “Clube dos Mas…” abrem exceções ou dizem “mas” à promessa de servimos de “testemunhas de Deus em todos os momentos e em todas as coisas e em todos os lugares” (Mosias 18:9).

A irmã Craven convidou os ouvintes a considerarem os hábitos que podem ser eliminados, “os quais permitirão que sua luz brilhe de forma que possam inequivocamente servir de testemunhas de Deus em todos os momentos e em todas as coisas e em todos os lugares.”

“Há sempre uma maneira correta de fazer a coisa certa”, disse ela, e prometeu que o esforço pelo refinamento da dignidade e da conduta como discípulos de Jesus Cristo trará “uma abundância do Espírito, revelação pessoal e mais amor a Deus e ao próximo.”