Mary Richards: O que aprendi com os cadetes da Academia da Força Aérea sobre revelação e ministério

Há muitos anos, meu bispo desafiou nossa ala a ir à Igreja 15 minutos mais cedo e se sentar em silêncio na capela antes da reunião sacramental. Assim, segundo ele, estaríamos mais preparados para tomar o sacramento e sentir o Espírito na reunião. E tenho feito isso desde então. Sempre levei nossos cinco filhos cedo, mesmo quando o meu marido estava longe para servir em chamados na Igreja. Isso abençoou nossa vida, da maneira que nosso bispo prometeu.

Nosso presidente de estaca também dá à nossa estaca alguns discursos ou referências das escrituras para ler nas semanas anteriores à conferência. Ele nos ensina que, ao nos prepararmos com antecedência, obteremos mais dos oradores e receberemos inspiração sobre como as mensagens podem ser aplicadas em nossa vida. Percebi que, quando sigo esse conselho, ouço com mais atenção e aprendo mais nessas reuniões porque estou preparada.

Essas lições foram reafirmadas para mim em uma recente designação para o Church News.

No início da manhã, minha caixa de entrada sinalizou a mensagem de um cadete santo dos últimos dias da Academia da Força Aérea dos E.U.A. em Colorado Springs, Colorado. Ele estava respondendo ao meu pedido para compartilhar experiências sobre o recente devocional de Élder Neil L. Andersen no Polaris Hall.

Conley Walters, do último ano, disse que a visita teve um impacto pessoal sobre si. Ele abriu seu coração sobre as dificuldades que estava enfrentando em um semestre desafiador na academia e os esforços que estava fazendo. desde que retornou da missão. para se preparar para a faculdade de Medicina.

Walters disse que passou meses em oração pedindo ajuda em suas provações pessoais, espirituais, acadêmicas, militares e físicas. Então, ele soube da visita de Élder Andersen e que estaria ajudando a providenciar um tour pelo campus durante visita. Walters sabia que precisava se preparar.

“Minha mente imediatamente refletiu sobre a experiência de Pedro em Atos, capítulo 5, e os santos fiéis que trouxeram seus enfermos para serem curados, apenas com a passagem de sua sombra sobre eles”, escreveu Walters para mim. “Sabia que, em poucas semanas, eu também teria a oportunidade de interagir com um Pedro moderno e queria garantir que faria tudo o que pudesse para deitar minha cama, figurativamente na rua, e ser curado da angústia pessoal e tumulto por sua mera sombra.”

Na visita do dia 22 de outubro, Walters ficou sabendo de todas as conexões que eles tinham no evangelho. O conselheiro de Élder Andersen, quando ele era presidente da Área Brasil Sul, Élder Paulo R. Grahl, mais tarde se tornou presidente do Centro de Treinamento Missionário do Brasil quando Walters estava lá. E agora, Walters está noivo da neta de Grahl, Gabi. Élder Andersen também designou o presidente da missão de Walters na Missão Brasil Porto Alegre Norte, Dee Lon Jones.

Cadetes da Academia da Força Aérea dos E.U.A. ouvem Élder Neil L. Andersen no Polaris Hall, em 22 de outubro de 2021.
Cadetes da Academia da Força Aérea dos E.U.A. ouvem Élder Neil L. Andersen no Polaris Hall, em 22 de outubro de 2021. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

“Essas conexões compartilhadas, e muito mais, apenas aumentaram meus sentimentos de conforto e segurança espiritual, pois Élder Andersen agiu como uma ferramenta nas mãos do Senhor”, disse Walters.

Após a visita, quando a reunião começou, Walters disse que podia sentir imediatamente uma diferença em sua vida. Ele escreveu sobre receber revelações profundamente pessoais e reconhecer o amor e o interesse pessoal de seu Pai Celestial.

“Sabia desde o início do devocional que o Pai Celestial havia aceitado minha fé como suficiente para, não apenas colocar minha cama na rua, nem apenas tocar em suas vestes, mas ter a oportunidade de encontrar e realmente sentir o espírito de um profeta e apóstolo de Cristo”, disse Walters.

Cada cadete que me procurou também falou sobre a revelação e o ministério pessoal que receberam naquela reunião. E se tornou evidente, para mim, de que isso se devia em parte à preparação que fizeram antes do encontro, em conexão com a missão divina de um apóstolo do Senhor que também se preparou em oração para falar a eles.

Os cadetes me contaram como se sentiram abençoados por conhecer e ouvir um apóstolo. Muitos deles haviam estudado seu livro, “O Dom Divino do Perdão”, em sua classe do Instituto no ano anterior. Eles disseram que sabiam que os comentários de Élder Andersen foram inspirados para abordar exatamente o que eles estavam enfrentando naquele momento na Academia da Força Aérea. Eles aprenderam novamente sobre como colocar seu alicerce de fé em Jesus Cristo. Muitos tiveram profundas inspirações de diferentes partes de seu discurso. Todos falaram sobre como haviam chegado ao devocional com perguntas específicas sobre as quais estavam orando. Aprendi com esses cadetes o quanto é importante vir preparado.

A caloura Emily Cook estava orando por respostas enquanto lamentava a morte de sua melhor amiga. Ela foi tocada pelo testemunho de Élder Andersen sobre a vida eterna após o falecimento de sua própria mãe.

“Pude ver que ele tem um forte testemunho de que a verá novamente e que, aquilo que a Igreja ensina sobre o que acontece com nosso espírito depois que ele deixa nosso corpo, é verdade. Isso me deu o conforto que estava procurando no último mês”, disse ela.

Cook também falou sobre a pressão de ser caloura na academia. Ela sente que não é suficiente. Mas as palavras tranquilizadoras de Élder Andersen deram a ela motivação e um novo senso de força e confiança.

“Sei que não sou perfeita agora, e está tudo bem. Enquanto eu continuar tentando o meu melhor, é tudo o que o Senhor me pede”, ela me escreveu.

Fiquei sabendo como Anthony Parra, do segundo ano, chegou mais cedo para se preparar para a reunião e ficou surpreso ao encontrar Élder Andersen no caminho e poder apertar sua mão. Mais tarde, no final da reunião, Élder Andersen foi até cada pessoa presente e apertou suas mãos. Havia cerca de 100 pessoas lá.

“Nunca vou esquecer que ele se lembrou do meu nome”, disse Parra. “Ele me fez sentir como se estivesse feliz em me ver lá, embora ele só tivesse falado comigo uma vez na vida.”

Payton Rawson, do segundo ano, também sentiu uma conexão pessoal naquela noite, dizendo que o dom de discernimento era evidente, o que permitiu um ministério pessoal para cada um deles ali.

“[Élder Andersen] começou explicando como ele se sentiria se estivesse em nosso lugar, ou como ele espera que nos sintamos agora. E deixe-me dizer que ele acertou em detalhes. Ele descreveu exatamente como cada um de nós se sentia naquele momento”, disse Rawson. “Tudo, desde a decisão sobre uma missão até as lutas da vida militar e futuras escolhas de carreira, com o envolvimento com a Igreja, até encontrar um parceira eterna. Ele acertou tudo para a nossa situação singular.”

Walters disse que confiará no conhecimento e no testemunho que ganhou naquela noite pelo resto de sua vida.

“Sei que meu Pai Celestial me ama e que Jesus Cristo realmente entende todas as minhas lutas e que preparou um caminho para que eu seja feliz e tenha alegria sem fim. A visita de Élder Andersen à academia foi uma resposta a meses e anos de orações cheias de tristeza, e realmente mudou minha vida.”

Os cadetes se prepararam em espírito de oração antes da reunião. Eles chegaram cedo e ouviram atentamente as mensagens. E, ao fazer isso, eles puderam receber revelação pessoal, à medida que Élder Andersen realmente ministrava a cada um deles.