O que estes gerentes do armazém do bispo na Carolina do Norte aprenderam sobre o Programa de Bem-Estar da Igreja

Missionários de serviço para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que foram chamados para servir como gerentes no armazém do bispo em Greensboro, Carolina do Norte, refletiram sobre o tempo que passaram em seu chamado, o qual foi repleto de trabalho árduo e bênçãos espirituais.

Bob e Millie Hahn, Jim e Cathy Watkins, e Cliff Blood realizaram melhorias, trabalharam longas horas e convidaram outras pessoas a virem a Cristo ao servirem no que eles chamam de “o melhor chamado na Igreja”.

O que é um armazém do bispo?

Os armazéns do bispo são administrados por meio do Programa de Bem-Estar da Igreja. Cada armazém é um local físico onde pessoas necessitadas podem obter alimentos ou outros suprimentos com a recomendação de seu bispo, explica o site Provident Living ([Viver Previdente] da Igreja [em inglês]. Os bispos têm a responsabilidade de cuidar das pessoas necessitadas que se encontram dentro dos limites de sua ala. 

O armazém tem tudo que pode ser encontrado em um supermercado comum, como alimentos e produtos frescos, leite, carne, enlatados, materiais de limpeza, artigos de higiene pessoal e outras mercadorias. Eles são pagos com doações feitas por membros da Igreja. Estes suprimentos também podem ser empacotados e enviados para regiões afetadas por desastres naturais, guerras ou crises econômicas. 

O armazém do bispo em Greensboro, Carolina do Norte, é fotografado em novembro de 2021.
O armazém do bispo em Greensboro, Carolina do Norte, é fotografado em novembro de 2021. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Isto é feito em cumprimento ao mandato divino, encontrado tanto nas escrituras antigas quanto nas revelações modernas.

“E também, que o bispo designe um armazém para esta igreja; e que todas as coisas, tanto em dinheiro como em mantimentos, que ultrapassem as necessidades deste povo, conservem-se nas mãos do bispo” (Doutrina e Convênios 51:13).

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal, até que não haja mais lugar para a recolherdes” (Malaquias 3:10).

“E o armazém deverá ser mantido pelas consagrações da igreja; e prover-se-á a subsistência das viúvas e dos órfãos, como também dos pobres. Amém” (Doutrina e Convênios 83:6).

O chamado para servir

O armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte, serve 21 estacas, a maioria na Carolina do Norte, mas também em Roanoke, Virgínia, e até Rock Hill, Carolina do Sul.

Bob e Millie Hahn, fotografados por volta de 2010, serviram como missionários de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte.
Bob e Millie Hahn, fotografados por volta de 2010, serviram como missionários de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte. Crédito: The Church of Jesus Christ of La

Bob e Millie Hahn, da Estaca Hickory Carolina do Norte, serviram no armazém de Greensboro por cerca de dois anos e meio, até 2010. 

Jim e Cathy Watkins, da Estaca Winston-Salem, Carolina do Norte, foram chamados para substituir o casal Hahn no final de 2010 e serviram até o final de 2012. Os casais Hahn e Watkins serviram juntos durante um período de transição.

Jim e Cathy Watkins, fotografados por volta de 2012, serviram como missionários de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte. Ele ainda serve como voluntário nas segundas-feiras.
Jim e Cathy Watkins, fotografados por volta de 2012, serviram como missionários de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte. Ele ainda serve como voluntário nas segundas-feiras. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O casal Watkins disse que pensou que trabalhariam por algumas horas no período da manhã, uns três dias por semana. Mas eles ficaram mais tempo quando se deram conta da necessidade.

“Trabalhamos de quatro a cinco dias por semana, muitas vezes das 6h às 17h ou até às 18h. Mas adorávamos estar lá, pois sabíamos que estávamos ajudando os necessitados”, disse Jim Watkins. 

O casal Watkins também descobriu muito rapidamente a quantidade de esforço físico que o trabalho exigia. 

“Demorei seis semanas para me acostumar com o aspecto físico do trabalho. Achei que não aguentaria”, recordou Jim Watkins. “Contudo, me lembrei de quando o Presidente [Thomas S.] Monson prometeu aos missionários que o Senhor fortaleceria suas costas para que pudessem carregar a carga que lhes seria dada. Isso certamente aconteceu comigo.”

Cliff Blood, fotografado por volta de 2012, serviu como missionário de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte.
Cliff Blood, fotografado por volta de 2012, serviu como missionário de serviço da Igreja no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Os casais Hahn e Watkins serviram com Cliff Blood, que agora vive na Estaca Asheville, Carolina do Norte.

Blood explicou que, quando foi chamado para o cargo no início de 2010 por John Marsh, presidente da estaca, sua esposa, June, havia falecido no mês anterior. 

“Presidente Marsh disse-me: ‘Não devemos chamar pessoas que não são casadas como gerentes, mas verifiquei duas vezes com o Pai Celestial, e bem, você é o gerente’”, disse Blood.

Realizando melhorias

Naquela época, no início da década de 2010, as presidentes da Sociedade de Socorro preenchiam os pedidos à mão e, após a aprovação do bispo, os enviavam para o armazém. Millie Hahn e Cathy Watkins, que trabalhavam no escritório, inseriam as encomendas enviadas pelo correio no computador e depois imprimiam os pedidos para locais de entrega. Um local de entrega é quando um caminhão entrega mercadorias a uma capela para pessoas que moram muito longe do armazém para fazer a viagem — os caminhões do armazém são enviados para locais que estão situados a até 240 km de distância do armazém. Depois que o caminhão entrega as mercadorias, os destinatários as recolhem, ou outro membro da Igreja fará a entrega, caso eles não tenham transporte.

Élder Cy Bylund dirige uma empilhadeira no Armazém do Bispo na Praça de Bem-Estar, no dia 30 de setembro de 2004.
Élder Cy Bylund dirige uma empilhadeira no Armazém do Bispo na Praça de Bem-Estar, no dia 30 de setembro de 2004. Crédito: Laura Seitz, Deseret News

O casal Hahn organizou o armazém de acordo com o formulário de pedido do bispo, de modo que, quando os itens fossem retirados para completar pedidos para locais de entrega e para reabastecer as prateleiras, eles seriam removidos na mesma ordem em que apareciam no formulário.

Em seguida, cada pedido era empacotado, mesmo os que eram destinados a pessoas que viviam muito longe do armazém. Bob Hahn disse que eles mudaram isso completamente, passando da retirada de pedidos individuais à entrega em massa. Agora, cada pedido é consolidado com todos os outros com destino a mesma sede de estaca ou capela. O novo método de Hahn economizou tempo e se tornou mais organizado. Ele ainda é usado atualmente.

“Também começamos a pedir [aos voluntários] para fazerem um inventário de tudo que constava nos pedidos para locais de entrega, antes de dividi-los por encomendas individuais. Isto aumentou sua precisão drasticamente”, disse Blood.

Refrigeradores no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte, fotografados por volta de 2012.
Refrigeradores no armazém do bispo de Greensboro, Carolina do Norte, fotografados por volta de 2012. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Os produtos frescos, os laticínios e os pães costumavam ser encomendados manualmente para abastecer o armazém. Jim Watkins começou a reconhecer padrões nos pedidos e quais quantidades eram necessárias. Ele examinou o uso do ano anterior e começou a ajustar os pedidos por mês. Em seguida, o gerente após ele começou a consultar a atividade registrada nos anos anteriores no computador para ajudá-lo a saber o que precisava ser encomendado. 

O casal Watkins e Blood realizaram mais mudanças que economizaram tempo ao reorganizarem os paletes no piso do armazém para facilitar a retirada dos pedidos em massa sem terem que alcançar um segundo nível. 

“Uma vez por ano, tirávamos todos os paletes das prateleiras e ele as limpava à mão”, disse Jim Watkins. 

Blood encontrou novas maneiras criativas de empilhar caixas nos paletes ao fazer entregas em massa para várias estacas. Ele disse que os pedidos normalmente enchiam dois paletes grandes, e ele lidava com cada caixa no palete pelo menos duas vezes.  

“É como montar um quebra-cabeça tridimensional”, disse Blood.

Milho é embalado para envio ao Armazém do Bispo Central na sexta-feira, dia 14 de agosto de 2020.
Milho é embalado para envio ao Armazém do Bispo Central na sexta-feira, dia 14 de agosto de 2020. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O casal Watkins encomendou prateleiras com rodas para a parte da loja do edifício, o que ajudou a criar mais espaço para que fregueses e voluntários pudessem estar no mesmo lugar ao mesmo tempo. 

Um novo freezer veio em seguida. O casal Hahn disse que era um desafio colocar e retirar os itens dos dois freezers que estavam do lado de fora do edifício. Sob o gerenciamento do casal Watkins, o armazém ficou mais movimentado e recebeu mais pedidos para locais de entrega, e eles precisavam de mais espaço no freezer. Blood disse que eles achavam que levariam anos para que sua solicitação fosse aprovada no orçamento. Mas, após expressarem sua necessidade de espaço extra, isso aconteceu muito mais rápido.

Voluntários contra tarefas

Os armazéns são operados quase que exclusivamente por uma equipe de voluntários e missionários de serviço, que são chamados e designados por seus presidentes de estaca, explica o site Provident Living (Viver Previdente) da Igreja [em inglês].

O casal Hahn era muito grato pelos voluntários que regularmente doavam seu tempo. Eles disseram que isso facilitou o trabalho desafiador de atender a todos os pedidos.

Pessoas trabalham para completar um pedido no armazém do bispo em Los Angeles, Califórnia.
Pessoas trabalham para completar um pedido no armazém do bispo em Los Angeles, Califórnia. Crédito: Foto fornecida por Curtis Anderson

Quando o casal Watkins começou sua missão de serviço, eles disseram que estavam basicamente sozinhos, exceto pelo gerente assistente e pelos poucos voluntários que compareciam regularmente nas segundas-feiras para ajudar.

Mas as coisas mudaram após oito meses em seu chamado, quando as estacas começaram a designar membros das alas para trabalharem como voluntários. O casal Watkins disse que os turnos designados a voluntários realmente os ajudaram a cumprir a missão do armazém. 

Além dos membros da Igreja que trabalham por designação ou que se voluntariam para um turno, os bispos também pedem aos que recebem ajuda que trabalhem por um tempo no armazém, da maneira que puderem. Essas tarefas de trabalho lhes proporcionam oportunidades de retribuir de forma significativa, à medida que trabalham com seus bispos para se tornarem mais autossuficientes, de acordo com o site Provident Living (Viver Previdente) da Igreja [em inglês].

O trabalho espiritual 

O casal Hahn disse que, sempre que uma pessoa entrava para completar seu pedido no horário do almoço, eles a convidavam para almoçar com eles.

“Certa vez, uma pessoa entrou e, enquanto almoçávamos, comentou sobre o fato de os missionários baterem à porta das pessoas. Comentei que, neste caso, ele havia batido à nossa porta”, disse Bob Hahn.

Jim Watkins disse que eles receberam muitos pedidos de organizações humanitárias enquanto ele serviu no armazém. Isto acontece quando pedidos são feitos para que alimentos e suprimentos sejam enviados a uma outra região que esteja passando por necessidade, após algo como um desastre natural ou uma crise econômica. Watkins disse que, em seu segundo ano em 2011, eles receberam 84 pedidos de organizações humanitárias.

Funcionários no Armazém do Bispo na Praça de Bem-Estar empacotam alimentos que serão enviados a Bósnia.
Funcionários no Armazém do Bispo na Praça de Bem-Estar empacotam alimentos que serão enviados a Bósnia. Crédito: Stuart W. Johnson

Watkins também comentou que, quando pessoas de outras denominações religiosas ou grupos comunitários vinham buscar esses pedidos de organizações humanitárias, eles os levavam para um tour pelo armazém.

“Explicávamos como os membros de nossa Igreja jejuam uma vez por mês e doam o dinheiro que teriam usado para suas refeições para o Programa de Bem-Estar como uma oferta de jejum. Algumas pessoas choravam quando ouviam isso”, disse Jim Watkins.  

O casal Watkins também dava exemplares do Livro de Mórmon a membros desses grupos, e duas caixas de exemplares do Livro de Mórmon foram distribuídas dessa forma. Isto não era um requisito para obter o pedido, mas muitos aceitavam um exemplar do Livro de Mórmon, disse ele. 

O casal Watkins e Blood chamavam o armazém de um “templo temporal” devido ao trabalho que realizavam lá.

“Quando as pessoas entravam, elas ficavam impressionadas ao sentirem o espírito daquele local. É um lugar maravilhoso”, disse Blood.

Dean Walker, à esquerda, gerente do Centro de Empregos na Praça de Bem-Estar, conduz um tour pelo Armazém do Bispo da Praça de Bem-Estar para delegados da ONU no dia 17 de julho de 2003.
Dean Walker, à esquerda, gerente do Centro de Empregos na Praça de Bem-Estar, conduz um tour pelo Armazém do Bispo da Praça de Bem-Estar para delegados da ONU no dia 17 de julho de 2003. Crédito: Laura Seitz, Deseret News

O melhor chamado 

Millie Hahn e Cathy Watkins trabalharam no escritório, inserindo todos os pedidos no sistema. Hahn disse que era um trabalho árduo, e Watkins o descreveu como frenético. O telefone parecia não parar de tocar. Mas apesar disso, Warkins disse que foi o melhor chamado que ela já teve.

Blood também disse que foi o chamado mais gratificante que ele teve. 

“Sempre me surpreendia quando alguém me procurava com um problema e, imediatamente, uma solução sobre como lidar com tal questão vinha a minha mente. Eu não tinha muita experiência com esse tipo de coisa, então foi um milagre que pudesse saber instantaneamente o que fazer”, disse Blood.

Mesmo após ser desobrigado, Jim Watkins ainda serve como voluntário nas segundas-feiras. Ele está agora em seu 11º ano de serviço no armazém do bispo e diz que é uma sensação maravilhosa ver o sorriso no rosto das pessoas quando elas colocam as mercadorias em seus carros.

“O Programa de Bem-Estar da Igreja é fantástico. Ele certamente ajuda muitas pessoas”, disse Bob Hahn. “Em meus 52 anos na Igreja, ser o gerente do armazém do bispo foi meu chamado predileto.”