Como presidência geral da Sociedade de Socorro e Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias estão capacitando famílias para melhorar saúde de crianças

Pratos saudáveis nas refeições devem ter muitas cores — mas, muitas vezes, os pratos contêm apenas uma cor, como o branco do arroz, o marrom do feijão, ou o amarelo do queijo. E as crianças, em especial, precisam consumir uma variedade de alimentos nutritivos à medida que elas crescem.

Nas últimas semanas, a presidência geral da Sociedade de Socorro tem postado informações nas mídias sociais que destacam a nutrição, o bem-estar e a saúde infantil. 

“A má nutrição nos primeiros mil dias de vida de uma criança — desde a concepção e durante a gravidez, até seu segundo aniversário — pode resultar em uma vida de desafios de saúde devastadores”, escreveu Jean B. Bingham, presidente geral da Sociedade de Socorro, no dia 4 de novembro. 

A Sociedade de Socorro tem trabalhado em parceria com os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias [em inglês] e com programas de Bem-Estar e Autossuficiência da Igreja para ajudar a levar mensagens gerais sobre nutrição infantil e saúde, diretamente aos pais. Eles estão compartilhando coisas simples que as famílias podem fazer para melhorar a saúde, como lavar as mãos, beber água potável, escolher alimentos saudáveis, amamentar, vacinar, utilizar saneamento e visitar clínicas.

De acordo com um comunicado feito pela Sala de Imprensa no dia 3 de fevereiro de 2021, os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias estão ajudando a financiar os programas de alimentação escolar do Comboio de Esperança, em vários países em desenvolvimento.
De acordo com um comunicado feito pela Sala de Imprensa no dia 3 de fevereiro de 2021, os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias estão ajudando a financiar os programas de alimentação escolar do Comboio de Esperança, em vários países em desenvolvimento. Crédito: Intellectual Reserve, Inc.

“Queríamos começar a capacitar as famílias com uma mensagem agora mesmo”, disse Luis Camara Manoel, gerente sênior do Departamento de Serviços de Bem-Estar e Autossuficiência da Igreja. Ele espera que as informações enviadas diretamente para estas famílias possam ajudá-las a começar a fazerem mudanças que estão ao seu alcance para ajudarem seus filhos a crescerem mais fortes.

“A desnutrição pode comprometer o crescimento de uma criança e impedi-la de atingir seu pleno potencial. Ela comprometerá, por exemplo, o crescimento de seu cérebro e pode ser um fator determinante para sua capacidade de um dia se tornar autossuficiente”, disse ele.

Além das postagens nas mídias sociais feitas pela presidência geral da Sociedade de Socorro, estas informações estarão disponíveis em breve para famílias em regiões menos conectadas ou mais remotas do mundo. Nas Filipinas, sob a direção da liderança do sacerdócio, os conselhos locais de alas ou ramos e os irmãos e irmãs ministradores já estão compartilhando essas lições com as famílias, onde Camara Manoel disse que se estima que uma em cada três crianças apresente algum nível de subnutrição. 

Contudo, ele disse que a má nutrição também é encontrada em países mais desenvolvidos ou em famílias com uma boa renda, muitas vezes por causa de hábitos multigeracionais ou culturas alimentares 

“Estas mensagens apresentam coisas simples que as pessoas podem fazer agora mesmo. Elas não são extremamente complexas, e não requerem uma grande quantidade de infraestrutura para serem implementadas.” 

As mensagens também destacam a importância da água potável e do bom saneamento. A irmã Reyna Isabel Aburto, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, escreveu em uma postagem na mídia social, no dia 18 de novembro, que o acesso à água potável é essencial para o crescimento e o desenvolvimento saudável das crianças. Porém, uma em cada quatro pessoas no mundo não tem acesso à água potável.

Uma moradora de longa data de Baomahun relembra a alegria que a água limpa trouxe para sua aldeia. Os Serviços de Caridade da Igreja construíram poços em Serra Leoa.
Uma moradora de longa data de Baomahun relembra a alegria que a água limpa trouxe para sua aldeia. Os Serviços de Caridade da Igreja construíram poços em Serra Leoa. Crédito: Howard M. Collett, Latter-day Saints Philanthropies

Robert Hokanson, gerente sênior de Serviços de Bem-Estar e Autossuficiência, disse que a educação sobre a água potável e o saneamento pode quebrar ciclos multigeracionais.

“Uma das coisas que observamos é que, aumentar a conscientização e ajudar alguém a reconhecer que talvez não esteja vivendo em condições ideais, pode ser complicado. É aí que entram os conselhos locais e as famílias. São eles quem mais usarão estas boas informações. Eles farão escolhas que afetam a vida das crianças”, disse Hokanson.

Camara Manoel disse que estes são princípios eternos, ensinados na Palavra de Sabedoria, e somos abençoados quando adotamos boas práticas de saúde. 

“Como Sociedade de Socorro, estamos imensamente preocupadas com o bem-estar e a saúde dos filhos de Deus”, escreveu a presidente Bingham no Dia Mundial da Alimentação em outubro. “Acreditamos que devemos seguir práticas saudáveis, como a alimentação nutritiva, o exercício regular, a higiene adequada e o descanso suficiente. Deus promete que as pessoas que seguem estes princípios terão mais saúde, sabedoria, conhecimento e proteção.”

Outro aspecto da boa nutrição é a horticultura. A irmã Sharon Eubank, primeira conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, postou sobre plantar árvores e aprender a trabalhar duro por meio da horticultura.

Irmã Jean B. Bingham, à direita, e Sharon Eubank dos Serviços Humanitários da Igreja, provam frutas colhidas pelas mulheres refugiadas no Assentamento de Refugiados Imvepi, no distrito de Arua em Uganda. Esta foi parte de uma visita técnica do UNICEF a Uganda no começo de 2017.
Irmã Jean B. Bingham, à direita, e Sharon Eubank dos Serviços Humanitários da Igreja, provam frutas colhidas pelas mulheres refugiadas no Assentamento de Refugiados Imvepi, no distrito de Arua em Uganda. Esta foi parte de uma visita técnica do UNICEF a Uganda no começo de 2017. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

“A horticultura é mais do que um hobby — é uma importante fonte de nutrição para os seres humanos em todo o mundo. Maravilho-me com o fato de que vários tipos de frutas e vegetais crescem em todo o mundo e fornecem nutrição universal para todos nós”, escreveu a Irmã Eubank.

Uma parte importante da nutrição e bem-estar infantil inclui bons cuidados médicos e acesso a serviços clínicos. Isto não é apenas um problema em regiões remotas ou em nações mais pobres. Mesmo as famílias que vivem nas grandes cidades, com acesso a cuidados gratuitos ou de custo reduzido, podem não utilizá-los por vários motivos. Camara Manoel e Hokanson esperam que estas informações e iniciativa educacional cheguem também a famílias que vivem nessas regiões.

“Estas boas práticas nutricionais são especialmente importantes durante os anos formativos, aqueles primeiros mil dias na vida de uma criança”, disse Camara Manoel. “Quando seguidas, há uma probabilidade maior de que as crianças terão sucesso na escola, no aprendizado inicial, na idade adulta e em todo o caminho, para conseguirem um emprego e atingirem seu pleno potencial humano. Se desejamos que elas se tornem adultas autossuficientes, precisamos proporcionar esse alicerce a nossos filhos desde cedo.”