Irmão David T. Lisonbee: Cinco maneiras de como conversar com seu filho sobre servir uma missão

No Tema dos Quóruns do Sacerdócio Aarônico, os rapazes dizem: “Vou me preparar para ser um missionário diligente (…) sendo um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo”.

Presidente Russell M. Nelson disse: “A coligação [de Israel] deve significar tudo para vocês. Esta é a missão para a qual vocês foram enviados à Terra.”

Uma missão de tempo integral pode ser uma grande parte dessa coligação. No entanto, os rapazes são constantemente bombardeados de todos os lados por mensagens, tentações e oportunidades que os distraem de servir. Eles podem não reconhecer que este é o momento mais importante na história do mundo para servirem como missionários de tempo integral.

Irmão David T. Lisonbee, membro do conselho consultivo dos Rapazes.
Irmão David T. Lisonbee, membro do conselho consultivo dos Rapazes. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Alguns jovens temem o desconhecido, especialmente por causa da mudança das condições durante a pandemia de COVID-19. Eles não sabem quais atribuições podem vir ou como elas mudarão. Outros se preocupam porque problemas de saúde podem impedi-los de servirem em uma missão de ensino e não conhecem a variedade de missões de serviço disponíveis. De qualquer forma, a hora de servir é agora.

Alguns rapazes temem que menos pessoas queiram ouvir sobre Jesus Cristo e Seu evangelho restaurado no mundo de hoje. Isso não muda o fato de que, na verdade, em momento algum da história houve mais pessoas que precisam ouvir sobre Jesus Cristo e as bênçãos de Sua Expiação.

Abaixo estão cinco maneiras de conversar com seu filho sobre servir em uma missão:

1. Ajude-o a compreender sua identidade divina 

Ele é um filho amado de Deus e o Senhor tem uma obra para ele fazer. Presidente Nelson disse: “Nosso Pai Celestial reservou muitos de Seus espíritos mais nobres — talvez Seu melhor time, por assim dizer — para esta fase final. Esses espíritos nobres — os melhores jogadores, esses heróis — são vocês!” Leia Abraão 3:22-23 e Doutrina e Convênios 138:55-56 juntos.

2. Compartilhe o convite do Profeta de servir

Leia com seu filho o que o Profeta disse sobre esta grande obra. “Meus queridos jovens, esses certamente são os últimos dias e o Senhor está apressando Sua obra para coligar Israel. Essa coligação é a coisa mais importante que está acontecendo na Terra hoje em dia. Nada se compara em grandeza, em importância e em majestade. E se vocês escolherem, se desejarem, podem ser parte essencial dela. Vocês podem fazer parte de algo grande, importante e majestoso!” (“Juventude da Promessa”, Devocional Mundial para Jovens, 3 de junho de 2018).

3. Fale honestamente sobre missões e faça perguntas

Fale aberta e honestamente sobre as realidades das missões, mas também sobre as bênçãos para ajudar a aliviar as preocupações. Em espírito de oração, faça perguntas que se concentrem em suas necessidades, interesses e desejos justos. Por fim, realmente ouça e pondere suas respostas. Esteja disposto a responder às perguntas dele, se oferecendo para estudarem juntos “Pregar Meu Evangelho”, escrituras e as palavras dos profetas vivos. Preste seu testemunho sobre seu relacionamento pessoal com o Salvador e sua convicção das bênçãos que você e aqueles que você ama receberam ao se voltarem para o Senhor para fazer algo que vale a pena, mesmo quando é difícil.

Como afirma o tema dos jovens de 2022, quando confiamos no Senhor, Ele direciona nossos caminhos.

Membros do coro cantam antes de Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, e de sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, discursarem no devocional do Dia de Ação de Graças no Centro de Treinamento Missionário de Provo na quinta-feira, dia 25 de novembro de 2021, em Provo, Utah.
Membros do coro cantam antes de Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, e de sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, discursarem no devocional do Dia de Ação de Graças no Centro de Treinamento Missionário de Provo na quinta-feira, dia 25 de novembro de 2021, em Provo, Utah. Crédito: Shafkat Anowar, Deseret News

4. Incentive-o a receber e estudar sua bênção patriarcal, e ponderar sobre seu significado e poder

Ajude seu filho a entender que uma bênção patriarcal é um mapa pessoal para ajudar a navegar pelas decisões da vida e esclarecer o que trará felicidade. Assegure-lhe que sua bênção patriarcal contém revelação pessoal de seu Pai Celestial, que conhece seus pontos fortes, fracos e seu potencial eterno.

Você pode até ler sua bênção com ele ou compartilhar seus sentimentos quando estava com ele enquanto recebia sua bênção.

5. Ofereça-se para jejuar e orar com ele

Incentive seu filho a buscar, em espírito de oração, a coragem e a força para fazer o que o Pai Celestial e o Salvador gostariam que ele fizesse em relação ao serviço missionário de tempo integral. Vá ao templo com ele para fazer batismos pelos mortos. Se ele não tiver uma recomendação para o templo atualizada, se ofereça para ajudá-lo no que ele quiser que você ajude para alcançar essa meta.

Claro, é vital lembrar que seu filho tem seu próprio arbítrio. Ele deve sentir seu amor e apoio, independentemente de sua escolha. Há também oportunidades para servir em diferentes idades. Se ele não está se sentindo pronto para ir aos 18 anos, isso não significa que ele não possa se preparar e decidir ir nos próximos anos.

Expresse seu amor por ele. Tenha fé que você não é o único pai que pode orientá-lo neste momento. Seu Pai Celestial se preocupa com suas escolhas, o ama e o ajudará.

— O irmão David T. Lisonbee é membro do conselho consultivo dos Rapazes.