Assista: Depois de ter seu pé amputado, jovem ganha nova perspectiva sobre ‘cruzar a linha de chegada’

Quando criança, Dallin Woodburysempre sonhou em correr na equipe de atletismo. Antes de seu acidente, ele era um dos meninos mais rápidos da escola, muitas vezes ganhando a corrida de milha.

Uma semana depois de ter iniciado a sétima série, Dallin teve uma experiência traumática que resultou na perda de seu pé.

Mas isso não o impediu de correr.

Em um novo vídeo da Igreja, intitulado “Cruzar a Linha de Chegada: Uma História de Superação de Obstáculos”, Dallin e sua família contam a experiência e aquilo que aprendeu sobre o resgate, amputação e recuperação. O vídeo foi lançado na quinta-feira, dia 23 de junho de 2022.

“Mesmo nos momentos mais sombrios, quando nos sentimos sozinhos …, Deus sabe que podemos passar por eles, e que eles nos tornarão pessoas melhores. Sempre podemos nos voltar a Deus”, disse Dallin, de 15 anos, no video.

O acidente

Dallin e seu amigo Andrew, em um dia quente do verão, estavam andando de bicicleta ao longo de uma trilha de terra perto de um rio, quando decidiram parar e se refrescar no rio. Descendo por um barranco, eles se apoiaram em algumas pedras enquanto passavam por um arbusto. De repente, as pedras em que estavam se segurando se soltaram e caíram sobre eles.

Uma grande pedra derrubou Andrew, mas a maior delas atingiu Dallin, arranhando sua perna esquerda e esmagando seu pé.

Gritando de dor, mas com a adrenalina os impulsionando, os dois meninos subiram a colina e começaram a andar de volta para a trilha. Depois de cerca de 40 m, Dallin percebeu que não poderia continuar. Ele disse a Andrew para que fosse procurar por ajuda.

“Enquanto eu corria, eu orava em voz alta para que tudo ficasse bem, para que ele ficasse bem”, relembra Andrew.

Andrew encontrou um homem chamado Ed, andando de bicicleta pela trilha. Ed havia se sentido impelido a ir na direção onde os meninos estavam.

“Assim que eu cheguei perto dele [Dallin], vi que a coisa era muito séria”, disse Ed no vídeo.

Ed imediatamente reforçou o nó no torniquete que estava na perna esquerda de Dallin, tentou mantê-lo calmo e alerta, e lhe deu uma gravura de Cristo que sempre levava consigo.

“Isso me ajudou a ficar calmo, não o meu corpo, mas minha mente, e me ajudou a saber que eu iria conseguir passar por aquilo, que havia alguém que já havia enfrentado aquilo por mim, que sofreu como eu sofri, que podia me entender, que iria me ajudar a passar por aquilo”, disse Dallin.   

Os paramédicos chegaram e a polícia contatou os pais de Dallin, Mike e Cindy. Dallin foi levado de helicóptero para o Primary Children’s Hospital em Salt Lake City, Utah. Os médicos tentaram salvar o pé de Dallin, mas ao final, teve que ser amputado.

Dallin é fotografado no hospital com sua família, depois de sofrer um acidente enquanto brincava com um amigo. Dallin conta sua história neste novo vídeo da Igreja, lançado no dia 23 de junho de 2022.
Dallin é fotografado no hospital com sua família, depois de sofrer um acidente enquanto brincava com um amigo. Dallin conta sua história neste novo vídeo da Igreja, lançado no dia 23 de junho de 2022. Crédito: Captura de tela do YouTube

Cruzando a linha de chegada’

O pai de Dallin, relembra estar orando para que o filho pudesse reconhecer a mão de Deus e que não ficasse com raiva daquilo que acontecera. “Ele tem sido inspirador”, disse Mike

Na primavera depois do acidente de Dallin, ele se inscreveu para participar das corridas.

“Sempre que eu podia, eu disputava os 800 metros. Eu ignorava a dor e ia até o fim, mesmo que os outros me ultrapassassem várias vezes, porque eu era devagar, eu ia até o fim porque queria mostrar que conseguia, mesmo que fosse um desafio, um obstáculo no meu caminho”, disse Dallin.

Cindy, a mãe de Dallin, disse que as dificuldades às vezes nos dão uma perspectiva diferente sobre o que é importante.

Ela ainda se lembra de nunca ter sentido tanto orgulho, quanto no dia em que ele terminou sua corrida em último lugar. “Para mim, naquele momento, o último lugar era o lugar do campeão. Ele vai em frente, continua tentando e está sempre inspirando outros”, disse Cindy.

Acima de tudo, esta experiência fortaleceu o testemunho de Dallin do Salvador e de Sua expiação.  

“Eu amo Deus, eu amo Jesus. Eu sei que Eles têm um plano para mim e me ajudarão a cumpri-lo” disse Dallin.