Menu
NAS NOTÍCIAS

Como a Área Europa da Igreja elaborou novo treinamento para ajudar pessoas ministrarem durante crises

Treinamento oferecido em vários idiomas ajuda líderes e membros da Igreja com Primeiros Socorros Psicológicos

Ministering_in_Crisis_220512_v1.png

Treinamento “Ministrar em tempos de crise” ajuda líderes e membros da congregação atenderem a indivíduos que passam por crises.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias


Esta é a Parte 2 de uma série de duas partes. Leia a Parte 1 sobre como Primeiros Socorros Psicológicos podem ajudar líderes da Igreja e indivíduos a apoiarem outras pessoas durante uma crise.

Em outubro de 2020, uma missionária de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que servia na Suíça morreu tragicamente ao escorregar e cair de uma ladeira íngreme durante uma caminhada com outros cinco missionários.

A tragédia afetou muitas pessoas que precisaram de ajuda na forma de Primeiros Socorros Psicológicos. Esta é uma resposta baseada em evidências, que foi desenvolvida para atender a necessidades imediatas de situações de crise.

Entretanto, María del Rocío Gutiérrez Ramirez, gerente da agência de Serviços Familiares da Igreja para a Europa, não tinha uma equipe de resposta profissional ou recursos suficientes para implementar rapidamente em uma situação de crise como essa.

Foi então que ela começou a trocar ideias com Kevin Broderick, gerente do programa de resposta a emergências para os Serviços Familiares na sede da Igreja em Salt Lake City. 

“Kevin compartilhou conosco algumas informações e recursos incríveis que eles haviam elaborado para fornecer apoio psicossocial a pessoas em situações de crise”, disse Gutiérrez. 

Picture1.png

Captura de tela

Gutiérrez e a equipe dos Serviços Familiares levaram esse cuidado especializado de ministração a um patamar mais elevado, elaborando um livreto publicado para a Área Europa, o qual inclui o guia de discussão intitulado Como posso ministrar a outras pessoas durante uma crise? e um guia de autoajuda chamado Enfrentando provações, além de guias para ajudar crianças e jovens a lidarem com dificuldades [links em inglês]. 

Agora, eles estão oferecendo treinamento em toda a Europa para membros e líderes da Igreja interessados em aprender como proporcionar cuidado emocional durante uma crise. Os cursos introdutórios e um guia de discussão estão disponíveis em 14 idiomas europeus [em inglês].

A Europa também lidou com grandes inundações em julho de 2021e a contínua crise de refugiados, causada pelo conflito na Ucrânia. O treinamento de ministração em tempos de crise está ajudando membros e líderes da Igreja a atenderem às necessidades emocionais, espirituais e sociais imediatas causadas por esses eventos.

O programa

Picture1.png

Voluntários da Igreja, incluindo membros e missionários, ajudam pessoas afetadas pelas enchentes de julho de 2021 na Alemanha.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O élder Mark Rencher e a sister Lizbeth Rencher, psicóloga licenciada e doutora, foram encarregados de implementar o programa com a assistência de profissionais de saúde mental locais. Eles eram voluntários de tempo integral na sede europeia da Igreja em Frankfurt, Alemanha.

“’Ministrar em Tempos de Crise’ é uma abordagem baseada no evangelho para proporcionar apoio psicossocial”, explicou o élder Rencher à Sala de Imprensa da Igreja no Reino Unido [em inglês]. 

A sister Rencher disse: “Muitas vezes, quando interagimos com alguém que está em crise, não sabemos o que dizer. O programa nos ensina o que dizer e como demonstrarmos empatia por pessoas que estão passando por dificuldades.”

Ela disse que o propósito desses recursos não é substituir a ajuda profissional. “Não estamos aqui para oferecer psicoterapia ou intervenção terapêutica. Estamos aqui apenas para proporcionar algum apoio emocional às pessoas, para evitar mais danos”, disse a sister Rencher.

Gutiérrez disse ao Church News que, em alguns casos, será necessário o tratamento com um terapeuta mais tarde. “Mas, pelo menos, superamos esse primeiro momento em que ninguém sabe o que fazer. No mínimo, as pessoas saberão como lidar com isso até que o indivíduo possa ser encaminhado a outros recursos.”

Em setembro de 2021, Teresa Raposo, conselheira e terapeuta dos Serviços Familiares que também estava trabalhando com a Cruz Vermelha em Lisboa, Portugal, testou o programa de treinamento em sua estaca. Gutiérrez disse que os comentários foram muito positivos.

merlin_2931234.jpeg

Treinamento “Como é que posso ministrar a outros em tempos de crise?” para Jovens Adultos Solteiros da Estaca Cartagena Espanha em 2022.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

“Os líderes disseram: ‘Isso é bom porque agora sabemos o que fazer’”, disse Gutiérrez. Eles lhe disseram: “90% das vezes que uma pessoa nos telefona, é porque ela está em algum tipo de crise. Então, agora podemos aplicar estas simples perguntas, frases e habilidades. E portanto, a partir disso, estamos tentando implementar esse programa em outros países e oferecê-lo aos líderes.”

O élder Rencher disse: “Recebemos muitos comentários de bispos e presidentes da Sociedade de Socorro dizendo que gostariam de ter recebido esse treinamento antes.”

Eva Diez, da Alemanha, disse que sempre se considerou uma pessoa amigável e empática, com um desejo de aliviar o sofrimento dos outros. Após fazer o treinamento, ela disse: “Passei a ter um entendimento mais profundo e aplicar ferramentas de resiliência específicas com pessoas ao meu redor que estão passando por dificuldades.”

As habilidades que ela aprendeu a ajudaram em sua própria família. “Acredito que ter esses conceitos claramente presentes e estruturados em minha mente, me ajudou a orientar as conversas, ouvir com mais paciência e acompanhar com compaixão de uma maneira mais cristã e prestativa.”

Treinamento de ministração em tempos de crise e refugiados

Gutiérrez disse que este treinamento foi adaptado à crise dos refugiados ucranianos. Voluntários e missionários que falam russo e ucraniano puderam usar o treinamento específico da Área Europa [em inglês] para atenderem a necessidades emocionais, enquanto outros forneceram apoio temporal às pessoas que deixaram a Rússia e a Ucrânia em busca de refúgio em outros países.

Antonio Guerra, sumo conselheiro da Estaca Oeiras Portugal, tem prestado serviço voluntário semanalmente para Cruz Vermelha Portuguesa no Centro de Acolhimento de Refugiados em Lisboa. O centro recebe refugiados e cuida de suas documentações em Portugal.

Guerra e outros voluntários fornecem vestimentas, roupas de cama e refeições para pessoas que se alojam no centro até encontrarem um lugar para ficar em Portugal.

f4030838ebe7cb68a425024fc21bbc9177a843bb6_Refugees_in_Blankets_in_Moldova.jpeg

Refugiados envoltos em cobertores na fronteira da Moldávia com a Ucrânia.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Guerra participou dos treinamentos do programa Ministrar a Outros em Tempos de Crise [em inglês], e agora usa o que aprendeu ao ministrar outras pessoas. “Mostrar compaixão e ouvir é algo que temos feito o tempo todo com os refugiados”, disse ele. “Presenciamos diversas situações que me fizeram perceber o quão difícil esse momento pode estar sendo para nossos amigos ucranianos.”

Por exemplo, algumas crianças ucranianas vieram de uma cidade que foi bombardeada. O centro de acolhimento de Lisboa fica próximo ao aeroporto e, quando as crianças ouviam os aviões decolarem ou aterrizarem, ficavam apavoradas com a possibilidade de um bombardeio, disse Guerra. 

Ele também conversou com uma mulher ucraniana que fugiu com a filha, mas teve que deixar o marido e o filho para trás, e está triste e não sabe se os verá novamente. 

“Compreendi que podemos fornecer apoio emocional e ministrar ao fazermos coisas simples, não precisa ser algo complicado. Este programa aborda como ajudar emocionalmente e compreender as necessidades dos outros”, disse Guerra.

Ele fez as perguntas do guia de discussão [em inglês] e ouviu, demonstrou compaixão, falou sobre a esperança e a fé, e respondeu dúvidas.

“As pessoas precisam de um pouco de amor. Elas querem ser ouvidas. Algumas podem nem querer compartilhar suas experiências; isso pode ser muito traumático em alguns casos, mas tudo bem”, disse Guerra. “Elas apenas querem receber amor, compaixão, um abraço, um sorriso e segurança emocional.”

Guerra disse que a experiência de ministrar a pessoas que não conhecia antes o fez refletir sobre o que ele está fazendo para ministrar a pessoas que conhece, como as de seu ramo na Igreja. 

“Se tenho motivação para ministrar a estranhos e refugiados, devo ter o mesmo ânimo para ministrar às pessoas que conheço. Eu posso usar esses princípios com elas também”, disse ele. Ele acredita que todos os membros da Igreja se beneficiariam com o curso.

O que vem a seguir

O livreto pode ser baixado e usado para o estudo pessoal ou com membros da família. Gutiérrez também oferece treinamento para líderes e membros, seja um treinamento único sobre os princípios básicos, ou cinco semanas de sessões mais aprofundadas. 

Os conceitos são úteis não apenas para grandes eventos como uma crise séria, mas também para a ministração, como um bispo que encontra as perguntas certas para fazer a um membro de uma ala em dificuldades, ou uma mãe que valida as emoções de seu filho quando ele está triste por estar deixando o lar para uma viagem escolar (veja a parte 1).

“São apenas maneiras de como fornecer apoio emocional a pessoas que lutam com a angústia emocional”, disse Gutiérrez.

young_woman_prayer_table.jpeg

Uma mulher ora à mesa de sua cozinha.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Broderick disse que o fato de esta grande equipe, a qual é formada por Gutiérrez, Raposo, o casal Rencher e outras pessoas, ter imprimido e traduzido essas informações em 14 idiomas proporcionou mais oportunidades de compartilhamento. Essas informações estão ajudando no treinamento de conselheiros das conferências Para o Vigor da Juventude (FSY), e professores do Seminário e Instituto também estão fazendo uso deste recurso. 

Gutiérrez disse que faz sentido ensinar essas habilidades a esses grupos porque eles trabalham bastante com os jovens, muitos dos quais atualmente lidam com vários problemas de saúde mental.

“Às vezes, os jovens compartilham mais com o professor do Seminário do que com os pais, e os professores do Seminário podem não saber como responder, o que dizer, ou o que fazer”, disse ela. “Por isso, no treinamento para os jovens, incluímos algumas dicas e tópicos mais específicos.” 

Os missionários de tempo integral também estão aprendendo algumas dessas habilidades na Europa agora, à medida que encontram indivíduos em crise ou aqueles que estão ensinando os procuram em situação de angústia emocional. E, onde quer que ocorram desastres naturais ao redor do mundo, provavelmente há élderes ou sísteres afetados.

Broderick disse: “Não vamos ensiná-los a serem terapeutas e nem mesmo examinarem as dificuldades das pessoas a fundo. Mas podemos lhes ensinar os Primeiros Socorros Psicológicos. E essa é uma habilidade que realmente os beneficiaria em sua ministração, assim como todos nós, líderes e membros.”

Gutiérrez disse que, no momento, sua equipe está tentando implementar o programa em todos os países da Europa e traduzi-lo para mais idiomas. Ela não quer que o programa seja visto como mais um que líderes locais sobrecarregados sintam que precisam implementar em sua estaca; ela quer que eles o vejam como um recurso que pode ser acessado.

“Eles se tornarão mais confiantes se souberem o que dizer e o que fazer para ajudar pessoas em crise.” 

Mais recursos: Dicas para Preparação Emocional de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.