Menu
NAS NOTÍCIAS

Chamados a servir, convidados a cantar: Propósito e poder do coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo

Não são necessárias audições ou experiência anterior para se participar do coro composto por missionários em treinamento no CTM de 2 a 6 semanas

Ryan K. Eggett dirige o coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo, durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

Ryan K. Eggett dirige o coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo, durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News


Chamados a servir, convidados a cantar: Propósito e poder do coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo

Não são necessárias audições ou experiência anterior para se participar do coro composto por missionários em treinamento no CTM de 2 a 6 semanas

Ryan K. Eggett dirige o coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo, durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

Ryan K. Eggett dirige o coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo, durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

PROVO, Utah — Poucos coros poderiam desfrutar de uma sensação de continuidade, sustentabilidade e sucesso se seus membros, mais da metade sem experiência anterior, nunca passassem por audições, simplesmente aparecessem para cantar e fossem substituídos em poucas semanas.

Mas o coro do Centro de Treinamento Missionário de Provo, Utah, composto por missionários de tempo integral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em treinamento nas instalações de duas a seis semanas, antes de partirem para servir em designações em todo o mundo, tem sido um marco no CTM há décadas.

E Ryan K. Eggett, que estima ter liderado mais de 100.000 missionários em seu chamado como diretor do coro do CTM desde 2012, não utiliza o rótulo de “coro”, preferindo algo como “missionários cantores.”

“Digo nos ensaios com muita frequência: ‘Sabem, não somos realmente um coro. Somos um grupo de missionários, então quero que vocês cantem como um missionário cantaria’”, disse Eggett, explicando que pede que eles “ensinem” a mensagem em vez de apenas cantá-la. “Então nos concentramos para que tudo seja uma experiência missionária e não uma experiência de coro, e é aí que entra a verdadeira continuidade.”

O coro do CTM canta durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

O coro do CTM canta durante um devocional com Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah na terça-feira, 22 de março de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

‘A música é um veículo muito poderoso’

Certa vez, um músico profissional assistiu ao ensaio do coro do CTM, vendo Eggett gastar menos tempo para cantar e praticar um hino e mais tempo se concentrando em sua história e significado, bem como no evangelho e nas experiências missionárias.

“Por que vocês não cantam mais?”, perguntou o músico. “A música é o poder.”

Eggett discordou. “Não, o evangelho é o poder; a música é o meio de acessar o poder”, disse ele, acrescentando que, o indivíduo mais tarde ouviu o coro se apresentar e expressou admiração em seu poder e espírito.

Presidente Benson L. Porter, presidente do CTM de Provo, disse que o coro, que ultimamente é composto por cerca de 500 a 800 missionários por semana, desempenha um papel importante em ajudar a trazer o Espírito Santo para os devocionais semanais do CTM. “Quando eles cantam, eles dão tudo o que têm, e todos podem sentir isso em sua alma. Isso simplesmente aumenta o ‘sentimento’ geral encontrado aqui no campus do Senhor. Traz unidade a todos os que ouvem, testificando que todos fazemos parte desta grande causa da coligação de Israel.”

A irmã Kerry Porter, sua esposa, acrescentou: “O Espírito pode prestar testemunho a cada missionário, de que a doutrina que estão cantando é verdadeira. A música é um veículo muito poderoso para a revelação pessoal.”

Ryan K. Eggett, diretor do coro do CTM, rege o grupo no Centro de Treinamento Missionário de Provo em Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Ryan K. Eggett, diretor do coro do CTM, rege o grupo no Centro de Treinamento Missionário de Provo em Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

A constante da liderança

Uma constante chave é Eggett e Ellen Amatangelo: ele como diretor do coro do CTM por mais de duas décadas, e ela como a principal organista por 15 anos.

Estes chamados são adicionais ao seu emprego de tempo integral. Um ex-missionário que serviu no norte do Brasil e instrutor do Instituto por 27 anos, Eggett agora trabalha para o Departamento de Sacerdócio e Família da Igreja, como gerente de produto de pesquisa e instrução de membros. Amatangelo, que serviu missão em Idaho, é diretora de comunicações acadêmicas da Biblioteca Harold B. Lee da Universidade Brigham Young.

“Eu nunca digo aos presidentes do CTM há quanto tempo estou aqui”, brincou Eggett, “porque eles podem me desobrigar.”

Em 2000, na época em que estava começando um coro do Instituto Utah Valley em Orem, Utah, ele foi chamado para, nas noites de domingo, ser diretor assistente de Douglas Brenchley, o diretor do coro do CTM desde meados da década de 1980, que recentemente havia sido chamado para servir em uma presidência de estaca. Em 2012, Brenchley foi chamado como um tipo diferente de diretor: em um local histórico da Igreja, e assim o chamado de Eggett foi alterado para diretor.

Um coro de missionários, regido por Douglas Brenchley, se apresenta durante um devocional de terça-feira à noite no Centro de Treinamento Missionário de Provo, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 8 de março de 2011.

Um coro de missionários, regido por Douglas Brenchley, se apresenta durante um devocional de terça-feira à noite no Centro de Treinamento Missionário de Provo, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 8 de março de 2011.

Ravell Call, Deseret News

Amatangelo foi chamada como organista em 2007, tendo servido com Eggett em seu papel na época com o coro do Instituto e com Brenchley em vários projetos musicais.

“Recebo um impulso toda semana com a emoção e o grande espírito dos missionários”, disse Amatangelo. “Seu desejo de trazerem outros a Cristo é quase palpável.”

Ela acrescentou que Eggett tem um talento natural para obter o melhor dos membros do coro, com a capacidade de fazer conexões entre a música, o evangelho e aqueles que cantam. “Ele é um excelente professor e contador de histórias, e estudou extensivamente a história dos hinos, por isso é capaz de trazê-los à vida para os missionários.”

Eggett é igualmente cortês a Amatangelo, chamando-a de “uma brilhante intérprete da situação”, que pode lidar com solicitações de última hora para alterar os números planejados. Ela toca piano, órgão, trompete e trompa francesa, e Eggett gosta de lembrar a época em que, com o coro do Instituto Utah Valley, Amatangelo começou tocando a fanfarra de trompete em “Já Refulge a Glória Eterna” e depois se sentou ao piano para continuar com o acompanhamento.

“Achei aquilo a coisa mais louca que eu já tinha visto”, disse ele, acrescentando que ela “tem um talento missionário muito bom e muita paciência com os missionários.”

Ellen Amatangelo toca o órgão antes da transmissão de um devocional no Centro de Treinamento Missionário de Provo, Utah, na terça-feira, 21 de setembro de 2021.

Ellen Amatangelo toca o órgão antes da transmissão de um devocional no Centro de Treinamento Missionário de Provo, Utah, na terça-feira, 21 de setembro de 2021.

Kristin Murphy, Deseret News

Atraindo grandes números

O coro do CTM desfruta de outras continuidades. Uma é a programação: o coro ensaia no final da tarde de domingo e se apresenta nos devocionais de terça à noite. Às vezes, um grupo pequeno e selecionado de participantes tem ensaios e apresentações adicionais, como no Seminário anual para novos líderes de missão, ou para uma sessão da conferência geral, como acontece em alguns anos.

Outra continuidade são os grandes números que o coro atrai. Para um devocional do CTM no início de setembro com Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, quase 800 do total de 1.200 missionários em treinamento no CTM naquela semana, cantaram no coro. Em outro devocional no final do mês, um coro dividido em quatro vozes apresentou 341 vozes, apenas na seção dos baixos, quase o número total de membros do Coro do Tabernáculo na Praça do Templo.

Missionários participam no coro durante um devocional com Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário de Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Missionários participam no coro durante um devocional com Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, no Centro de Treinamento Missionário de Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

Na última década, o coro do CTM experimentou seus extremos em termos de números de participação: desde quando a Igreja abaixou a idade mínima para o serviço missionário em 2012, aumentando o número de missionários em treinamento no CTM, até quando a pandemia de COVID-19 fechou as operações normais nos centros de treinamento missionário da Igreja em 2020 e em 2021.

Com o aumento gerado pela mudança de idade, o número de treinamentos semanais no CTM de Provo mais que dobrou em 2013 e 2014, resultando em uma expansão no número de residências, operações e reuniões, para um “campus oeste” [em inglês] separado, com dois complexos de apartamentos alugados. E como a frequência combinada excedeu em muito o espaço disponível no campus principal do CTM, os devocionais de terça-feira à noite foram transferidos para o Marriott Center da BYU.

Ensaios de domingo separados foram realizados no CTM e em uma capela do campus oeste, com o coro do CTM se reunindo nas noites de terça-feira para um breve ensaio geral, antes das apresentações nos devocionais. “Nós enchemos toda a seção da arquibancada mais de uma vez, e depois colocamos mais algumas centenas de missionários atrás de mim no chão”, lembrou Eggett, com números de participantes do coro às vezes superando 1.500. “Foi uma experiência e tanto.”

Missionários caminham para um devocional na terça-feira, 11 de junho de 2013, quando o esperado “aumento do verão” de 2013 aconteceu nos dois campi do CTM da Igreja em Provo, Utah. Os líderes encontraram maneiras criativas de acomodarem mais de 4.000 missionários de uma só vez, incluindo levarem todos ao Marriott Center da BYU para devocionais para todo o CTM.

Missionários caminham para um devocional na terça-feira, 11 de junho de 2013, quando o esperado “aumento do verão” de 2013 aconteceu nos dois campi do CTM da Igreja em Provo, Utah. Os líderes encontraram maneiras criativas de acomodarem mais de 4.000 missionários de uma só vez, incluindo levarem todos ao Marriott Center da BYU para devocionais para todo o CTM.

Tom Smart, Deseret News

Durante os fechamentos causados pela pandemia, o coro do CTM foi suspenso, com apresentações pré-gravadas usadas como números musicais para devocionais virtuais e reuniões para missionários em treinamento on-line. Quando o CTM de Provo reabriu para operações regulares em junho de 2021, o coro logo retornou, porém em pequeno número, refletindo o ajuste do número menor de missionários em treinamento no local.

Ainda assim, a média de participação no coro pós-pandemia chegou a 75% de todos os missionários do CTM.

“Isso deu a eles um tempo para se unirem”, disse Eggett, lembrando que, mesmo depois que a maioria das regras para o uso obrigatório de máscaras do CTM foram retiradas, o coro ainda foi convidado a cantar com máscaras por mais algum tempo, porque cantar era considerado um superdisseminador de germes.

Missionárias participam de um coro quando Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, que discursam no devocional do Dia de Ação de Graças no Centro de Treinamento Missionário de Provo na quinta-feira, 25 de novembro de 2021, em Provo, Utah.

Missionárias participam de um coro quando Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, que discursam no devocional do Dia de Ação de Graças no Centro de Treinamento Missionário de Provo na quinta-feira, 25 de novembro de 2021, em Provo, Utah.

Shafkat Anowar, Deseret News

‘Escolhidos para cantarem’

Uma das experiências mais memoráveis de Eggett sobre o coro do CTM, aconteceu em 2013: uma transmissão especial de liderança para toda a Igreja chamada “O Trabalho de Salvação” [em inglês], com todo o Quórum dos Doze Apóstolos participando da transmissão realizada no Marriott Center. Um coro especial com 1.000 missionários do CTM e 1.000 membros locais dos conselhos de alas simbolizaria o poder dos membros e missionários trabalhando juntos na coligação de Israel.

O convite para participar foi enviado e 2.000 missionários responderam. Segundo a equipe organizadora do Marriott Center, ele tinha o dobro do número planejado de participantes, sendo Eggett foi informado de que a iluminação da arena limitava o coro a 1.000 missionários e 1.000 membros.

Ele detalhou o dilema para os líderes do CTM, que disseram que em uma reunião sacramental especial para todo o CTM no dia do devocional de domingo à noite, ele teria que explicar aos missionários como selecionaria os 1.000 participantes.

“Eu dei um discurso chamado ‘Às vezes você é escolhido para não ser escolhido’, sobre como o Senhor às vezes o chama para não ir”, lembrou ele. Apesar de todos os 2.000 terem memorizado as músicas, ele delineou um sistema de seleção no CTM para ajudar a determinar os grupos participantes.

Após a reunião, Eggett antecipou a reação dos missionários que haviam se preparado e tinham pais e familiares planejando participarem do devocional, alguns vindos de longas distâncias. Em vez disso, o que ele testemunhou foram grupos de missionários juntos, auto-selecionando entre si quem participaria e quem permaneceria de fora.

Um coro com 3.000 membros, formado por missionários de tempo integral e outros santos dos últimos dias cantam durante o “Treinamento Mundial de Liderança: O trabalho de salvação”, no Marriott Center, no campus da Universidade Brigham Young no domingo, 23 de junho de 2013.

Um coro com 3.000 membros, formado por missionários de tempo integral e outros santos dos últimos dias cantam durante o “Treinamento Mundial de Liderança: O trabalho de salvação”, no Marriott Center, no campus da Universidade Brigham Young no domingo, 23 de junho de 2013.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Quando pequenos grupos de missionários selecionados saíram para caminhar do CTM até o Marriott Center para se apresentarem, os que permaneceram de fora os encorajaram em uma demonstração de apoio. “Eles os aplaudiram enquanto caminhavam. Foi incrível: eles tiveram a chance de estarem na TV, de cantarem para os apóstolos”, disse Eggett, preocupado que tantos estivessem se retirando, que ele acabasse com menos do que os 1.000 missionários necessários.

No Marriott Center com os 1.000 selecionados, Eggett disse ao diretor do evento que havia outros 1.000 do lado de fora que haviam memorizado a música e esperavam se apresentar, mas não o fariam porque os arranjos de iluminação restringiam o número de missionários.

“Eu não me importo se eles cantarem no escuro”, disse o diretor do evento, exigindo que a equipe organizadora acomodasse os outros participantes, expandindo os assentos e a iluminação ao máximo, antes de se voltar para Eggett. “Diga aos outros 1.000 missionários para entrarem aqui, eles foram escolhidos para cantarem.”

Membros do conselho de ala e estaca, seus respectivos cônjuges, missionários e outros membros da Igreja participaram de uma sessão especial do Seminário para Novos Presidentes de Missão de 2013, “O trabalho de salvação.” A sessão foi realizada no Marriott Center da BYU em Provo, Utah, em 23 de junho, e foi transmitida e gravada para toda a Igreja.

Membros do conselho de ala e estaca, seus respectivos cônjuges, missionários e outros membros da Igreja participaram de uma sessão especial do Seminário para Novos Presidentes de Missão de 2013, “O trabalho de salvação.” A sessão foi realizada no Marriott Center da BYU em Provo, Utah, em 23 de junho, e foi transmitida e gravada para toda a Igreja.

Arquivos do Deseret News

O que os membros do coro estão dizendo

  • “Acredito que a música tem uma maneira especial de convidar o Espírito. Ela pode se conectar a todos universalmente, independentemente do idioma.” — Sister Rebecca Haines, Sterling Heights, Michigan, designada para a Missão Coreia Seul Sul
  • “Sinto que, enquanto cantamos, estamos proclamando nosso amor por Ele e nosso amor pelo evangelho. E eu gosto de aprender toda a doutrina e as lições sobre fé que estão nestas músicas.” — Élder Jalen Manivanh, Porterville, Califórnia, designado para a Missão Minnesota Minneapolis (falando hmong)
Um missionário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias segura uma partitura, enquanto canta um hino durante um devocional com a presidente Camille N. Johnson, presidente geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 30 de agosto de 2022.

Um missionário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias segura uma partitura, enquanto canta um hino durante um devocional com a presidente Camille N. Johnson, presidente geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 30 de agosto de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

  • Amo o fato de que o irmão Eggett conecta [as mensagens nos ensaios sobre música, evangelho e experiências de vida] com nossas provações, bem como nossas provações na missão, e amo como ele nos anima sobre isso. Eu e outros missionários nos identificamos com isso.” — Sister Turrie Vaine, Melbourne, Austrália, designada para a Missão Filipinas Bacolod (falando hiligaynon)
  • “Cantar no coro realmente ajuda você a perceber como se sente em relação ao Espírito e ao evangelho, e é uma ótima maneira de expressar seu amor por Deus.” — Élder Scott Jezik, Waunakee, Wisconsin, designado para a Missão Califórnia Fresno (falando hmong)
  • “Eu ouvi sobre o coro [apenas alguns dias antes de chegar], através de alguns amigos, incluindo um que está atualmente no CTM, e ele disse que adora. Eu amo cantar em coros, então há um lugar especial no meu coração para cantar.” — Sister Misty Spencer, Holbrook, Arizona, designada para a Missão Idaho Idaho Falls
Ryan K. Eggett, diretor do coro do CTM, rege o grupo no Centro de Treinamento Missionário de Provo em Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Ryan K. Eggett, diretor do coro do CTM, rege o grupo no Centro de Treinamento Missionário de Provo em Provo, Utah na terça-feira, 6 de setembro de 2022.

Adam Fondren, para o Deseret News

 

 

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.