Como a BYU-Pathway Worldwide está se tornando uma das oportunidades educacionais mais valiosas para missionários retornados

Quando Isidora Oyanedel ouviu em março que retornaria de sua missão no Chile para casa no Brasil antes do planejado, devido à COVID-19, não sabia exatamente o que fazer a seguir. 

Ela ainda não havia planejado o que faria quando chegasse em casa. Deveria se matricular na faculdade? A faculdade estaria funcionando com as mudanças da pandemia? Seria capaz de manter os bons hábitos e habilidades do idioma que havia aprendido e praticado em sua missão?

“Estava preocupada”, disse. “Não queria esperar muito e não ficar fazendo nada em casa.”

Após compartilhar suas preocupações com um amigo que estava estudando na BYU-Idaho, Oyanedel se lembrou que ainda tinha um dia para se candidatar para o programa PathwayConnect da BYU-Pathway Worldwide. 

“Sabia sobre a BYU-Pathway antes de minha missão. Tenho muitos amigos que fizeram os cursos”, Oyanedel disse. “E em minha missão, recebi uma carta sobre bolsas de estudo e possibilidades para missionários retornados.”

No domingo, 19 de abril, Oyanedel foi à internet, fez o teste de inglês requerido (passou) e enviou sua candidatura. O novo semestre começou no dia seguinte, 20 de abril. 

BYU-Pathway Worldwide oferece cursos completamente online para os estudantes no mundo todo.
BYU-Pathway Worldwide oferece cursos completamente online para os estudantes no mundo todo. Credit: BYU-Pathway Worldwide

“Recebi um e-mail naquele mesmo dia, dizendo que poderia começar”, disse. “Estava meio perdida. Não sabia que aconteceria tão rápido.” 

Após perder o primeiro dia, Oyanedel disse que passou a primeira semana se recuperando. Embora inicialmente tenha se sentido atrasada, o programa provou ter uma estrutura familiar e ela estava feliz por começar algo novo. 

“Acho que foi muito útil”, disse sobre seu primeiro semestre no programa PathwayConnect. “O aprendizado foi realmente gradual e tudo que aconteceu ao meu redor parecia se relacionar com o que estava aprendendo em minhas aulas do Pathway. Meu estudo das escrituras, orações e cada situação estavam todos relacionados com o meu aprendizado. Acho que progredi muito.” 

A experiência de Oyanedel representa a de muitos missionários retornados que procuraram a BYU-Pathway para continuarem seu progresso pessoal e educacional — especialmente desde o início da pandemia de COVID-19. 

Oportunidades de crescimento para todos 

Com um processo de candidatura fácil, descontos na matrícula para missionários retornados e um programa completamente online, o PathwayConnect é uma opção atraente para futuros alunos pelo mundo todo. 

Com aproximadamente 10% de missionários que retornaram para casa entre agosto de 2018 e julho de 2019 se matriculando no programa PathwayConnect no período de um ano, a BYU-Pathway Worldwide está provando ser uma experiência cada vez mais valiosa àqueles voltando após seu tempo de serviço da Igreja. E estimativas iniciais para 2020 mostram que estas porcentagens continuarão a aumentar.

A BYU-Pathway Worldwide estimou que, quando o atual grupo de missionários estiver em casa por cinco anos, quase um quarto deles terá se matriculado no PathwayConnect.

Brian Ashton, vice-presidente de operações de campo da BYU-Pathway Worldwide, explicou que isto é significativo porque a BYU-Pathway Worldwide — em conjunto com os Seminários e Institutos de Religião — está desempenhando um papel de manter missionários retornados ativamente engajados em estudos do evangelho e progredindo espiritualmente após suas missões.

Mapa da matrícula de missionários retornados na BYU-Pathway Worldwide, dividido por áreas da Igreja.
Mapa da matrícula de missionários retornados na BYU-Pathway Worldwide, dividido por áreas da Igreja. Credit: Mary Archbold, Deseret News

Mundialmente, o programa viu um aumento médio de 45% nas matrículas de missionários retornados a cada ano, pelos últimos dois anos, e os administradores do programa estimam que este número continuará a aumentar, conforme mais missionários retornam a seus lares em meio às mudanças de circunstâncias nos campus universitários tradicionais. 

Embora a BYU-Pathway Worldwide tenha começado a pré-aprovar todos os missionários retornados — independente do tempo de serviço — para se matricularem no programa PathwayConnect há mais de um ano, foi apenas quando a pandemia os atingiu que começaram a oferecer um incentivo extra para tais missionários. 

Desde abril deste ano, a BYU-Pathway Worldwide aplicou um desconto automático de 25% na matrícula, ou “bolsa de estudos” de certa forma, para todos os missionários retornados que se matriculam no PathwayConnect. 

Conforme J.D. Griffith, vice-presidente da administração da BYU-Pathway Worldwide, explicou, o desconto é aplicado automaticamente, baseado nos registros do aluno como membro da Igreja. Se tiverem uma data de início da missão listada em seus registros dentro dos últimos cinco anos, o desconto de 25% é aplicado assim que se candidatam ao programa. 

“Tantos missionários retornaram para casa mais cedo, ou tiveram outros atrasos, ou problemas, com seus planos durante esta pandemia”, Griffith disse. “E sentimos que ter esta oportunidade lhes daria mais esperança e mais opções para voltarem a estudar em um ambiente seguro e amigável durante este período.”

Um gráfico dos benefícios na matrícula da BYU-Pathway Worldwide para missionários retornados.
Um gráfico dos benefícios na matrícula da BYU-Pathway Worldwide para missionários retornados. Credit: Mary Archbold, Deseret News

O programa PathwayConnect — um programa de três semestres destinado a ajudar alunos a se ajustarem ao ambiente universitário e lhes fornecendo as ferramentas necessárias para progredirem, conforme buscam o ensino superior — é perfeito para missionários retornados, enquanto fazem a transição da vida pós-missão para a vida escolar e diária em casa, Griffith explicou.

O primeiro semestre foca no ensino de habilidades da vida, como fazer orçamentos e metas — uma continuação natural das habilidades e hábitos ensinados na missão. O segundo ensina habilidades profissionais, como a preparação de um currículo, perspectivas de carreira e habilidades de apresentação. O terceiro e último semestre visa então, preparar os alunos a seguirem e alcançarem as metas de longo prazo referentes à universidade e obtenção de diploma. 

“É uma transição bem suave”, Griffith disse. O programa foi elaborado para acomodar aqueles que nunca tiveram uma experiência universitária, bem como outros que estiveram afastados de seus estudos por um tempo significativo, devido à missão ou qualquer outra razão. 

E durante um momento em que as universidades mais tradicionais estão procurando se ajustar a classes e reuniões online, a BYU-Pathway Worldwide tem demonstrado sua funcionalidade de longa data

“Acredito que a BYU-Pathway Worldwide foi construída divinamente para funcionar neste ambiente pandêmico”, Griffith disse. “E isto ajuda estes missionários que estão voltando para casa e questionando se devem ou não ir para um campus. E se vão ficar em casa de qualquer forma, por que não se matricular em um programa estabelecido para isto?” 

Um impacto duradouro

Para Nelson Muchonji, aluno do PathwayConnect do Quênia e que retornou da missão em janeiro, a BYU-Pathway Worldwide ofereceu a solução perfeita para seu dilema educacional. 

Antes de sair em missão em 2017, Muchonji estava estudando com um programa online no Quênia, mas pouco antes de começar o trabalho missionário, o programa online foi descontinuado. 

Um gráfico da matrícula de missionários retornados com o aumento na BYU-Pathway Worldwide nos últimos dois anos.
Um gráfico da matrícula de missionários retornados com o aumento na BYU-Pathway Worldwide nos últimos dois anos. Credit: Mary Archbold, Deseret News

Quando foi para a missão, Muchonji decidiu que, quando a terminasse, procuraria por uma experiência em um campus. Contudo, quando retornou para casa, Muchonji percebeu que precisaria de algo para mantê-lo ocupado enquanto procurava opções em universidades. Tendo ouvido muito sobre a BYU-Pathway Worldwide do seu presidente de missão e outros no campo missionário, decidiu se candidatar para o programa PathwayConnect. Quando a COVID-19 surgiu, alguns meses depois, Muchonji sabia que havia tomado a decisão correta. 

“Sou grato porque em fevereiro fui aceito na BYU-Idaho”, disse, e isto lhe dá algo para aguardar. Mas por enquanto, disse, “Continuarei com o Pathway porque estou amando a experiência. Amo as reuniões e são minha parte favorita. Muito é discutido nas quintas-feiras, conforme falamos sobre experiências de vida, do evangelho e do trabalho.”

Continuou: “Estou realmente aprendendo muito. Estar na BYU-Pathway tem sido um momento para me lembrar de algumas coisas que havia esquecido. … Tem tido um grande impacto em minha vida e sou muito grato por isto. É um programa desenhado pelo Senhor.”

Após finalizar o PathwayConnect depois de sua missão, Carla Viteri Fraser, aluna da Argentina, decidiu se tornar uma missionária do PathwayConnect com seu marido.

“Foi muito difícil para mim parar de ser uma missionária, então o fato de que consegui continuar a servir de alguma forma, com algo que havia me dado tanto espiritualmente, foi maravilhoso. Só queria receber mais”, disse. “Queria ajudar as pessoas a sentirem o que sentia; por gratidão, imagino.”

Liderar os cursos do PathwayConnect juntos, também tem ajudado a unir Fraser e seu marido, conforme trabalham em direção às suas próprias metas acadêmicas e espirituais, disse. 

É um programa que abençoa todos que participam, disse, mencionando como viu seu irmão e outros que conhece se beneficiarem com ele. 

Uma mãe, e aluna da BYU-Pathway, estuda com seus filhos.
Uma mãe, e aluna da BYU-Pathway, estuda com seus filhos. Credit: Michael Lewis, BYU Pathway

“Não é caro e é um ótimo negócio”, disse. “Meu irmão tem três filhos e trabalha muito, mas o programa é muito flexível. Você pode estudar quando quiser. Independentemente das circunstâncias.”

A BYU-Pathway Worldwide oferece o tipo de ambiente que um missionário retornado precisa para crescer após chegar em casa, disse Kurtis Leota, que recentemente retornou da missão e é aluno do Pathway na Califórnia.  

“Se está buscando um novo começo, o Pathway é uma ótima forma de começar”, disse. “Para aqueles que talvez não se sintam tão fortes, é ótimo para edificar o testemunho. Oferece a melhor combinação de estudo porque é acadêmico e espiritual. Este é o tipo de ambiente que precisam. Então, por que recusariam ter uma oportunidade como esta?”