Serviços Humanitários da Igreja doarão $20 milhões de dólares para apoiar o UNICEF na iniciativa de vacinação contra a COVID-19

Os Serviços Humanitários da Igreja doarão 20 milhões de dólares para o Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância, a fim de ajudar a garantir acesso seguro, rápido e igualitário às vacinas de COVID-19 no mundo todo, como anunciado pelos líderes da Igreja na sexta-feira.

No momento, esta doação torna os Serviços Humanitários da Igreja, braço humanitário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o maior doador do setor privado apoiando o Acelerador de Acesso a Ferramentas contra a Covid-19 do UNICEF e o programa Acelerador ACT de vacinas chamado de COVAX Facility.

O subsídio segue uma doação de $ 3 milhões de dólares ao UNICEF feita em 2020, que forneceu água, saneamento e serviços de higiene em resposta à COVID-19.

Até agora, os Serviços Humanitários da Igreja apoiaram 1.050 projetos de assistência à COVID-19 em 152 países.

Funcionários do UNICEF examinam uma caixa da primeira remessa de vacinas contra a COVID-19 distribuídas pela COVAX Facility em Acra, Gana, no dia 24 de fevereiro de 2021.
Funcionários do UNICEF examinam uma caixa da primeira remessa de vacinas contra a COVID-19 distribuídas pela COVAX Facility em Acra, Gana, no dia 24 de fevereiro de 2021. Credit: UNICEF

A recente doação apoiará os esforços do UNICEF de adquirir e de fornecer dois bilhões de vacinas de COVID-19 para 196 países e economias participantes do programa COVAX, até o final de 2021, de acordo com a Sala de Imprensa. Planeja-se usar os dois bilhões de doses iniciais para proteger profissionais de saúde da linha de frente, assistentes sociais e educadores, assim como indivíduos vulneráveis e de alto risco. 

A resposta visa acelerar o fim da pandemia e minimizar os distúrbios na vida das crianças.

A doação também apoiará o UNICEF conforme trabalha com países para fortalecer suas redes de fornecimento, treinar profissionais de saúde, abordar a desinformação e estabelecer confiança nas vacinas e nos sistemas de saúde que as disponibilizam.

“A COVID-19 é a primeira crise global real que temos visto em nossas vidas”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do UNICEF. “Não importa onde moramos, a pandemia afeta todas as pessoas, incluindo as crianças. Nunca houve uma necessidade mais urgente para trabalharmos juntos.”

Irmã Jean B. Bingham, à direita, e Sharon Eubank dos Serviços Humanitários da Igreja, provam frutas colhidas pelas mulheres refugiadas no Assentamento de Refugiados Imvepi, no distrito de Arua em Uganda. Esta foi parte de uma visita técnica do UNICEF a Uganda no começo de 2017.
Irmã Jean B. Bingham, à direita, e Sharon Eubank dos Serviços Humanitários da Igreja, provam frutas colhidas pelas mulheres refugiadas no Assentamento de Refugiados Imvepi, no distrito de Arua em Uganda. Esta foi parte de uma visita técnica do UNICEF a Uganda no começo de 2017. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Através do COVAX Facility – liderado pela Gavi, pela Vaccine Alliance, pela OMS e pela CEPI – o UNICEF está aproveitando sua experiência em aquisição e fornecimento de vacinas, assim como sua força e alcance no envolvimento comunitário, para estabelecer a demanda e a aceitação das vacinas.

“Nós expressamos gratidão à equipe e à organização do UNICEF. Eles têm feito muito para cuidar das crianças e suas famílias e ajudá-las a suprirem necessidades básicas e atingirem seus potenciais”, disse Bispo Gérald Caussé, Bispo Presidente da Igreja. “Quanto mais adultos em comunidades vulneráveis forem vacinados, mais serviços críticos de saúde, nutricionais e educacionais para crianças necessitadas poderão ser restabelecidos. Temos esperança, em nosso coração, de não apenas sobrepujarmos a pandemia, mas de enxergarmos um futuro mais brilhante para todas as crianças e suas famílias.”

Os Serviços Humanitários da Igreja e o UNICEF nos EUA formaram parceria em 2013, trabalhando juntos para apoiarem crianças e suas famílias nas áreas de imunização, planos de respostas a emergências e necessidades de educação e desenvolvimento para refugiados.