‘A Igreja não foi cancelada, apenas se mudou para o lado de fora’: Como congregação no extremo norte da Inglaterra ajudou vizinhos após tempestade Arwen

A tempestade Arwen chegou na sexta-feira, 26 de novembro, trazendo os piores ventos a atingir as Ilhas Britânicas em quatro décadas, particularmente as costas orientais da Escócia e do norte da Inglaterra.

Localização de Alnwick, no norte da Inglaterra.
Localização de Alnwick, no norte da Inglaterra. Crédito: Captura de tela, Google Maps

O ciclone extratropical da temporada de tempestades de vento de 2021-22 na região foi tudo, menos tropical, trazendo vento gelado do Ártico em rajadas de quase 160 km por hora, com neve, gelo e chuva, resultando em três mortes, grandes danos a propriedades e cerca de 300.000 pessoas sem eletricidade em todo o Reino Unido.

Dois dias depois, o Ramo Anlwick — a congregação santo dos últimos dias situada mais ao norte da Inglaterra — passou das reuniões dominicais para os serviços dominicais, ajudando as pessoas das cidades e vilas vizinhas que ainda sofriam com o impacto devastador da tempestade Arwen.

O presidente James Perry, presidente do Ramo Alnwick, decidiu que, devido às condições e às contínuas dificuldades, o ramo deveria mudar suas reuniões regulares de adoração no domingo, 28 de novembro. Após uma breve reunião do Zoom, os membros iniciaram grupos de trabalho em temperaturas congelantes para ajudar os residentes locais em Alnwick, a histórica cidade do condado de Northumberland no noroeste da Inglaterra.

“A Igreja não foi cancelada — apenas se mudou para o lado de fora, para uma aula prática de serviço e caridade”, disse o presidente Perry.

Membros do Ramo Alnwick derrubam uma cerca danificada durante um serviço prestado no domingo, 28 de novembro de 2021, após a devastadora tempestade Arwen no Reino Unido.
Membros do Ramo Alnwick derrubam uma cerca danificada durante um serviço prestado no domingo, 28 de novembro de 2021, após a devastadora tempestade Arwen no Reino Unido. Crédito: Nikki Fowers

Jonathan e Vivien Kay, presidente do quórum de élderes e presidente da Sociedade de Socorro do ramo respectivamente, disseram que se sentiram “muito abençoados” pela energia elétrica ter voltado após 19 horas. Eles estavam prontos para responder ao convite do presidente Perry para as reuniões de domingo.

“Depois de vestir nossas roupas de domingo para tomar o sacramento, colocamos nossas roupas de trabalho e saímos para ajudar”, disse Vivien Kay. “O auxílio que fomos capazes de dar nos aqueceu física e espiritualmente.”

Dezenas de milhares de pessoas ainda estavam sem eletricidade depois de quatro ou cinco noites, na pior queda de energia do Reino Unido em décadas. Muitos residentes foram forçados a cozinhar ao ar livre usando fogueiras ou fogões externos.

Três pessoas morreram devido à queda de árvores na tempestade que rendeu um raro aviso de alerta do departamento de meteorologia da Grã-Bretanha. Veículos de apoio comunitário entregaram água quente, bebidas e estações de recarga de telefones para pessoas afetadas pela falta de luz.

Jonathan Kay, presidente do quórum de élderes do Ramo Alnwick, remove destroços de um jardim no domingo, 28 de novembro de 2021, em Alnwick, Inglaterra.
Jonathan Kay, presidente do quórum de élderes do Ramo Alnwick, remove destroços de um jardim no domingo, 28 de novembro de 2021, em Alnwick, Inglaterra. Crédito: Nikki Fowers

Membros do ramo de todas as idades se reuniram para ajudar a remover telhados, paredes e cercas destruídas. Eles varreram vidros quebrados, reconstruíram estufas e móveis de jardim e derrubaram galpões danificados, disse o presidente Perry. Outros membros visitaram e contataram aqueles que não tinham energia ou comunicação.

Todas as organizações do ramo trabalharam juntas nos esforços de recuperação, disse ele. “Usando as redes sociais, fomos capazes de estender nosso serviço para além de nossos companheiros santos dos últimos dias e vizinhos, e pudemos conhecer novas pessoas se oferecendo para nos ajudar a limpar propriedades, fazer reparos e outras tarefas simples.”

Nikki Fowers, a presidente da Primária do ramo, disse que o apartamento de sua família não sofreu nenhum dano, mas havia muitas árvores caídas por toda a cidade. Ansiosos por ajudar os outros, os membros estavam prontos e dispostos quando o presidente Perry postou na página da cidade no Facebook, perguntando se alguém precisava de ajuda.

“Uma das pessoas que atendemos perdeu o telhado de sua loja e precisou de ajuda para recuperar o telhado do quintal do vizinho e mover os móveis restantes”, disse Fowers, relatando ainda que 15 membros da Igreja trabalharam no projeto.

Membros do Ramo Alnwick ajudam a limpar danos e destroços causados pela tempestade Arwen. O serviço foi prestado no domingo, 28 de novembro de 2021, no norte da Inglaterra.
Membros do Ramo Alnwick ajudam a limpar danos e destroços causados pela tempestade Arwen. O serviço foi prestado no domingo, 28 de novembro de 2021, no norte da Inglaterra. Crédito: Nikki Fowers

A mulher disse que o grupo de membros do ramo a ajudaram a economizar vários dias de trabalho. “Ela também comentou que nunca tinha visto tantos membros da Igreja em sua vida”, disse Fowers. “Acabou sendo, não apenas uma grande oportunidade para minha família servir, mas também para ajudar a apresentar às pessoas A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.”

Os esforços improvisados ​​do serviço de domingo foram experiências memoráveis ​​para os filhos adolescentes de Fowers.

“Foi estranho sair por aí perguntando às pessoas se podíamos ajudar, mas também foi emocionante”, disse Bella Fowers, de 17 anos.

Seu irmão Zach de 16 anos acrescentou: “Foi emocionante e intimidante olhar para todo o prejuízo! Eu me senti muito bem ao servir as pessoas da minha comunidade local.”

Derek Roughton do Ramo Alnwick. A única pessoa em sua vila no nordeste da Inglaterra que tinha uma maneira de aquecer água depois que a tempestade Arwen cortou a energia de muitos em todo o Reino Unido, no final de novembro de 2021. Ele ferveu água e esquentou sopa para seus vizinhos.
Derek Roughton do Ramo Alnwick. A única pessoa em sua vila no nordeste da Inglaterra que tinha uma maneira de aquecer água depois que a tempestade Arwen cortou a energia de muitos em todo o Reino Unido, no final de novembro de 2021. Ele ferveu água e esquentou sopa para seus vizinhos. Crédito: Nikki Fowers

Alguns membros mais isolados tiveram sua eletricidade cortada devido a cabos danificados, mas procuraram ajudar as pessoas ao seu redor. Um membro do ramo — Derek Roughton — era o único em sua aldeia capaz de aquecer água. Usando seu fogão a gás, ele ferveu água e esquentou sopa para seus vizinhos.

“Eu sabia que não podíamos simplesmente nos isolar em nossa capela e ignorar nossos membros e outros amigos da comunidade que estavam se recuperando dos danos que a tempestade havia causado”, disse o presidente Perry. “Pareceu certo sair e fazer o que nosso Salvador Jesus Cristo faria.”

Os membros do Ramo Alnwick consertam uma cama elástica no domingo, 28 de novembro de 2021. Móveis e equipamentos foram danificados com os destroços da tempestade Arwen, um ciclone extratropical que atingiu o Reino Unido.
Os membros do Ramo Alnwick consertam uma cama elástica no domingo, 28 de novembro de 2021. Móveis e equipamentos foram danificados com os destroços da tempestade Arwen, um ciclone extratropical que atingiu o Reino Unido. Crédito: Nikki Fowers