Quer aprender mais sobre história da família e não sabe por onde começar? Este blog do FamilySearch pode ser o início 


Da Árvore Familiar ao legado mexicano, de dicas para iniciantes até a correção de erros em registros online e dos primos às crianças pioneiras, essa tem sido uma constante nos últimos 45 dias no Blog do FamilySearch.

De 1 de julho a 14 de agosto, o blog disponibilizou 35 publicações gerais de vários autores diferentes a respeito dos mais variados tópicos, bem como os recursos publicados mensalmente. O tema desses artigos incluem: tradições e ascendência mexicana, reflexões sobre o uso da ferramenta Árvore Familiar e tópicos ligados ao Dia da Independência dos Estados Unidos da América, Dia dos Pioneiros e do Dia dos Primos, além dos recursos publicados mensalmente que enumeram os milhões e milhões de novos registros disponibilizados entre junho e julho.

Esta é a iniciativa mais recente do Blog do FamilySearch, ao comemorar o décimo ano e disponível em 12 outros idiomas. Com milhares de páginas visualizadas a cada mês, metade dos visitantes do blog são de fora dos Estados Unidos. A crescente maioria dos leitores usa dispositivos móveis, por isso o conteúdo é cada vez mais otimizado para o uso nesses dispositivos.

Credit: Imagem da tela no blog do FamilySearch

“O papel do Blog do FamilySearch é manter os assinantes informados e cientes frequentemente das descobertas recentes, relevantes e com a qualidade de conteúdos pertinentes à história da família”, disse Paul G. Nauta, gerente de marketing e comunicação sênior do FamilySearch.

Ele acrescentou que outra meta é apresentar novos usuários ao FamilySearch, com milhões de usuários em potencial que não conhecem esses serviços gratuitos.

“O blog cria conteúdos que se enquadram a essas pessoas com base no tipo de conteúdo que pesquisam nos mecanismos de busca da internet como o Google. Por exemplo, se você estiver pesquisando sobre um antepassado que você acha que imigrou de Castle Garden ou Ellis Island, Nova York e fizer uma pesquisa, provavelmente encontrará um artigo relacionado no blog do FamilySearch na primeira página de resultados da pesquisa.

Em 2018, o blog do FamilySearch disponibilizou 170 artigos em inglês e outros 211 artigos traduzidos do inglês.

Número e leitores do blog

Este ano, os supervisores do blog estão estimando disponibilizar mais de 200 publicações em inglês e mais 300 outras publicações em outros idiomas, o que deve ultrapassar a marca das 500 em 2019.

As 35 publicações em 45 dias mencionadas anteriormente são só a contagem dos artigos gerais disponibilizados em inglês. O que não inclui as publicações traduzidas em mais de 12 idiomas internacionais. E nem incluem os artigos específicos da Igreja na categoria “Para os santos dos últimos dias”.

Esse conteúdo relacionado à Igreja, publicado na seção “Templo e História da Família” na categoria “Para os Santos dos Últimos Dias” é útil aos membros que possuem chamados na história da família e no templo ou para os que preparam nomes para as ordenanças do templo.

Outras categorias específicas do blog concentram-se em atividades familiares, histórias pessoais, dicas, aplicativos e ferramentas e notícias e eventos. 

Credit: Imagem da tela no blog do FamilySearch

Os leitores do blog também podem inscrever-se para receber uma síntese do boletim informativo e as atualizações do blog. 

O blog foi desenvolvido para um público geral iniciante, embora alguns pesquisadores de história da família possam tirar proveito desses assuntos também. O escrita é de fácil compreensão, convidativa e com autores e editores tentando eliminar os termos técnicos e referências de difícil compreensão.

“O blog funciona como um canal de comunicação para atingir o público iniciante e até pessoas que não se considerem pesquisadores de história da família ou colaboradores”, disse Nauta.

A editora do blog do FamilySearch e coordenadora de conteúdos digitais Briana Taylor, acrescentou: “Nossos editores analisam o conteúdo, entram em contato com os especialistas e usam a própria experiência e, às vezes, inexperiência, para simplificar estas informações para pessoas que nunca haviam feito isso antes. Estamos sempre nos perguntando o que nossos leitores podem saber ou não. Às vezes, isso demanda muita revisão e, mesmo assim, não acertamos. Mas recebemos muitos comentários e estamos sempre melhorando.”

Origem dos tópicos do blog

As ideias de tópicos do blog vêm de acordo com a necessidade que os produtos apresentam, comentários dos clientes, metas organizacionais e de análise dos mecanismos de pesquisa, ou seja, do que as pessoas estão procurando online.

“Este tipo de pesquisa envolve a análise do que as pessoas estão buscando na Internet, agrupamento desses tópicos e a criação de artigos que esclareçam as dúvidas das pessoas”, disse Taylor. “Isso nos ajuda a alcançarmos um público global e a saber no que as pessoas estão realmente interessadas, não apenas no que demonstram interesse.”

Taylor, que trabalhou no blog por mais de um ano, é uma das editoras que planeja, administra, edita, escreve e responde a perguntas sobre os artigos do blog.

“Gosto de manter o controle de tudo neste maravilhoso trabalho que realizamos para poder direcionar as pessoas exatamente para quem possa responder as suas perguntas”, ela disse.

Ela também contribui para o blog no qual trabalha, aprendendo novas maneiras de buscar registros de seus antepassados holandeses, reconhecendo a diferença entre um primo de primeiro e de terceiro grau que duas vezes foi excluído e ser capaz de publicar uma antiga receita de panquecas suecas de família na página da trisavó no FamilySearch.

Sunny Morton é uma das muitas escritoras contratadas pelo FamilySearch para ajudar a aumentar o conteúdo do blog, em conjunto com a equipe do FamilySearch. Esposa santo dos últimos dias, mãe de três adolescentes do norte de Ohio, “fã do FamilySearch” e de seus recursos, especialista em história da família e formada em história e leitura pela BYU, dá cursos e webinários, participa de podcasts e autora e editora de livros, revistas e publicações digitais.

Ela diz que mergulhou na oportunidade de escrever para o blog do FamilySearch. “O meu trabalho é ajudar e envolver os leitores”, disse Morton, acrescentando a seguinte frase no espaço de publicação que comporta 700 palavras: “para conduzi-los a novas áreas da história da família.”

Alguns tópicos do blog são de escolha dela e outros são designados pelos editores do blog. 

“Adoro as histórias de fundo singular de alguns dos tópicos que me são designados”, disse Morton, destacando que alguns são sombrios e outros são assustadores.

Como em alguns temas chineses ou sino-americanos que lhes foram designados, que falava sobre as pessoas que trabalharam na estrada de ferro transcontinental na década de 1860. “A identidade deles estava perdida, mas as suas obras permanecem por todo o país”, ela disse.

Um futuro artigo do blog irá falar da Escócia, da capital aos castelos do país, provavelmente a tempo da conferência RootsTech do FamilySearch em Londres em outubro. Para Morton, a pesquisa e a escrita foram herdadas do lado paterno McCellan de sua história da família.

Expansão internacional

O conteúdo do blog é escrito com base em uma leitura internacional, elaborado para a informar e fornecer dicas e ferramentas que dialoguem com várias culturas e que ajude na tradução dos artigos.

“Os revisores em cada país decidem quais conteúdos devem ser traduzidos de acordo com o interesse local”, disse Nauta. Estamos começando a observar quais conteúdos as pessoas de cada país e idioma estão buscando e trabalhar para localizar conteúdos que estejam de acordo com os interesses locais.”

Disponibilizar conteúdos em 13 idiomas não é só útil para alcançar os santos dos últimos dias ao redor do mundo, mas também é algo benéfico para o crescente número de pessoas de fora da Igreja que se interessam por sua própria história da família.

Por exemplo, o artigo “Descobrir o seu legado mexicano” foi disponibilizado tanto em português quanto em inglês, com a publicação mostrando links para outras publicações do blog que apareceriam aos leitores de ascendência mexicana.

Credit: Imagem da tela no blog do FamilySearch

O FamilySearch tem preservado bilhões de registros históricos de todo o mundo ao longo dos últimos 125 anos e um dos objetivos do Departamento de História da Família da Igreja é concentrar-se em acrescentar mais alguns países no próximo ano para destacar as novas aquisições de registros e novas atualizações disponíveis.

O blog também é uma maneira de ajudar a promover as “páginas dos países” do FamilySearch, que além de oferecer ajuda para começar a usar as coleções de registros do país, também possui informações sobre o legado das famílias, os sobrenomes mais comuns, receitas de família, infográficos e informações sobre dupla cidadania.

Os seis países que possuem páginas são: Dinamarca, Finlândia, Itália, México, Noruega e Suécia e sites adicionais estão sendo preparados para o futuro.

“O Brasil conta com uma vasta população com antepassados italianos, o Brasil foi o destino de muitos italianos na virada do século XX”, disse Nauta. “Os descendentes desses imigrantes italianos estão muito interessados em obter dupla cidadania pela Itália. Um artigo muito útil está sendo produzido para simplificar o processo e os ricos registros do FamilySearch no Brasil estão disponíveis online para ajudar no processo.”