Uma perspectiva histórica sobre o convite do Presidente Nelson para #SerGrato e outras mensagens de gratidão

Em um momento da história em que uma doença tem colocado o mundo de joelhos, o Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é um médico de renome. 

Essa é uma das várias razões pelas quais a recente mensagem de gratidão do Presidente Russell M. Nelson ao mundo é “particularmente interessante” e “bastante inspiradora” para o historiador Richard E. Turley Jr.

“O que torna seu convite interessante é que ele diz: ‘Como médico, estou interessado no que está acontecendo para tentar resolver esta pandemia. Mas vou oferecer a vocês uma solução que talvez seja um pouco contraintuitiva’”, disse Turley, um diretor administrativo aposentado do Departamento de Comunicações da Igreja, e ex-historiador e registrador assistente da Igreja. 

“É esse convite, o convite à gratidão, que o torna inusitado. É um remédio simples — e esse é o poder de seu convite.”

Em uma mensagem de vídeo do dia 20 de novembro, Presidente Nelson fez dois convites para aceitarmos “o poder de cura da gratidão”: primeiro, o de transformar a mídia social em um diário de gratidão, com posts usando a hashtag #SerGrato. O segundo, de agradecer a Deus diariamente em oração.

“A despeito de nossa situação, demonstrar gratidão por nossos privilégios é um remédio espiritual duradouro e de ação rápida” disse o Presidente Nelson. 

Durante um podcast do Church News divulgado no dia 24 de novembro, Turley forneceu uma perspectiva histórica da mensagem do Presidente Nelson e destacou convites semelhantes de líderes da Igreja. 

Uma perspectiva histórica

Os líderes da Igreja no passado fizeram convites ao mundo. “Mas não houve nenhum convite como aquele que o Presidente Nelson fez”, disse Turley. 

“Há elementos de seu convite que apareceram em outras apresentações no passado, mas a combinação do que diz sobre a história, e também a perspectiva que dá, juntamente com a oração no final, são únicos.”

Um aspecto do convite do Presidente Nelson que o separa dos convites feitos por outros presidentes da Igreja é o encorajamento direto do uso das mídias sociais — um profeta de 96 anos pediu ao mundo que postassem todos os dias e usassem uma hashtag. 

“Aqueles de nós que têm passado muito tempo ao redor do Presidente Nelson sabem que ele é o que vocês chamam de ‘um dos primeiros a adotar a tecnologia’”, disse Turley. “Ele tem se mantido muito em sintonia com a tecnologia, conforme ela tem se desenvolvido ao longo de sua vida. Portanto, não é raro que ele se refira às mídias sociais, que pegue seu iPhone ou olhe nos aplicativos.”

Durante seu primeiro ano como Presidente da Igreja, Presidente Nelson pediu aos jovens e às mulheres que jejuassem das mídias sociais, como parte de um convite para ajudar a coligar Israel. “Ele reconhece que podemos permitir que a tecnologia consuma nossa vida. … Agora ele nos disse para pegarmos a tecnologia e usá-la para o bem, ao usá-la como um diário de gratidão”, disse Turley.

O historiador e registrador assistente da Igreja, Richard E. Turley Jr., exibe documentos históricos durante uma coletiva de imprensa no dia 4 de setembro de 2013, anunciando na época o lançamento do mais recente volume do projeto, em andamento na Igreja, Documentos de Joseph Smith, em Salt Lake City.
O historiador e registrador assistente da Igreja, Richard E. Turley Jr., exibe documentos históricos durante uma coletiva de imprensa no dia 4 de setembro de 2013, anunciando na época o lançamento do mais recente volume do projeto, em andamento na Igreja, Documentos de Joseph Smith, em Salt Lake City. Crédito: Ravell Call, Deseret News

A mensagem de gratidão do Presidente Nelson é um reflexo de outros convites que ele tem feito desde que foi apoiado como Profeta, em janeiro de 2018.

Mencionando o convite do Presidente Nelson feito na Conferência Geral de Outubro de 2020 para “permitir que Deus prevaleça”, disse Turley, “acho que este convite atual é um grande eco daquele apelo de sua parte. … Ele nos indica que precisamos contar nossas bênçãos e não relatar nossas dificuldades.”

Presidente Nelson tem repetidamente incentivado os santos dos últimos dias a aumentarem sua capacidade espiritual e a procurarem ouvir a voz do Senhor — “Ouvir o Senhor.” Com este convite mais recente, “ele nos deu uma ferramenta para fazermos isso”, disse Turley.

No início deste ano, Presidente Nelson convidou duas vezes os santos dos últimos dias, assim como membros de outras religiões, a jejuarem e orarem pedindo pela “cura física e espiritual”, em resposta à pandemia de COVID-19.

Durante a pandemia da gripe de 1918, as reuniões da Igreja também foram canceladas ou adiadas, as pessoas foram incentivadas a usarem máscaras e muitas famílias sofreram. “Em 1918, a Primeira Presidência designou um dia de jejum e oração para membros da Igreja”, disse Turley. O propósito era “para o fim e a rápida supressão, pelo poder divino, do flagelo desolador que estava passando sobre a terra.”

Outras mensagens notáveis dos líderes da Igreja sobre gratidão

No discurso de 11 minutos do Presidente Nelson, ele fez referência a desafios específicos que enfrentou, inclusive a perda de sua esposa Dantzel e de suas duas filhas. 

“Ele não nos pede apenas que façamos algo aqui. Ele nos pede que façamos algo que ele reflete em sua própria vida pessoal”, disse Turley. “Em minhas interações com ele ao longo das décadas, descobri que é um homem extremamente otimista e positivo, que olha para as coisas felizes e maravilhosas que o Senhor lhe deu, mais do que olha para as negativas.”

Sentimentos semelhantes de gratidão e positividade em meio a dificuldades podem ser encontrados em declarações do Presidente Joseph F. Smith, do Presidente Howard W. Hunter e do Presidente Gordon B. Hinckley.

Presidente Joseph F. Smith, que serviu como Presidente da Igreja de 1901 a 1918.
Presidente Joseph F. Smith, que serviu como Presidente da Igreja de 1901 a 1918. Crédito: Intellectual Reserve, Inc.

Presidente Smith, que serviu como sexto presidente da Igreja, perdeu 13 filhos durante a vida. Ele disse: “O espírito de gratidão é sempre agradável e satisfatório porque traz consigo um sentimento de auxílio aos outros; gera amor e amizade, e gera influência divina. … O homem grato vê muitas coisas no mundo para agradecer e, com ele, o bem supera o mal. O amor domina o ciúme, e a luz expulsa as trevas de sua vida” (Joseph F. Smith, “Doutrina do Evangelho”, 1939).

Quando Presidente Hunter foi presidente do Quórum dos Doze Apóstolos antes de se tornar o 14º presidente da Igreja, ele falou em um devocional do Sistema Educacional da Igreja para jovens adultos em fevereiro de 1993, na Universidade Brigham Young.

Presidente Howard W. Hunter, que serviu como Presidente da Igreja de 1994 a 1995.
Presidente Howard W. Hunter, que serviu como Presidente da Igreja de 1994 a 1995. Crédito: Intellectual Reserve, Inc.

Assim como Presidente Nelson começou seu convite com uma descrição do que viu durante suas nove décadas e meia de vida, Presidente Hunter disse: “Em minha vida, vi duas guerras mundiais, mais a Coreia, mais o Vietnã e tudo o que vocês estão testemunhando atualmente. Trabalhei muito para superar a depressão e consegui ir para a faculdade de Direito, enquanto começava uma jovem família ao mesmo tempo. Tenho visto as bolsas de valores e a economia mundial enlouquecerem e vi alguns déspotas e tiranos enlouquecerem, tudo que causa muitos problemas através do mundo durante o processo.”

Presidente Hunter prosseguiu: “Sou franco ao dizer esta noite que espero que vocês não acreditem que todas as dificuldades do mundo tenham acontecido em sua década, ou que as coisas nunca tenham sido piores do que são para vocês pessoalmente, ou que nunca irão melhorar. Garanto a vocês que as coisas já foram piores e que sempre vão melhorar. Sempre melhoram.”

Como primeiro conselheiro na Primeira Presidência antes de servir como 15º Presidente da Igreja, Presidente Hinckley disse durante um devocional da BYU, em março de 1994: “Ainda ouvimos falar muito de depressão econômica. Alguns de vocês aqui presentes esta noite podem estar desempregados ou lutando para se manterem. As coisas poderiam ser piores. Que os céus nos impeçam de voltarmos a cair no tipo de pântano monetário no qual lutamos durante a década de 1930.

Presidente Gordon B. Hinckley, que serviu como Presidente da Igreja de 1995 a 2008.
Presidente Gordon B. Hinckley, que serviu como Presidente da Igreja de 1995 a 2008. Crédito: Intellectual Reserve, Inc.

“Presenciei aquela época”, continuou Presidente Hinckley. “Formei-me na Universidade de Utah em 1932. A taxa de desemprego era de mais de 30%. Aqueles foram dias de longas filas de sopa, de suicídios que aconteceram devido ao desânimo, de uma desolação de vida que poucos de vocês podem compreender. Mas, de alguma forma, sobrevivemos e conseguimos.”

Uma vantagem de termos líderes da Igreja com longa experiência de vida “é que eles viram muito, e portanto, têm perspectiva”, disse Turley.

“Essa é uma coisa que Presidente Nelson nos dá neste convite, é uma perspectiva. E nos convidar a sermos gratos é uma forma de compensar as atitudes, por vezes excessivamente negativas, que adotamos quando nos acontecem coisas ruins.”