Como a Restauração incentivou Joseph Smith a estudar as leis

Como um jovem adolescente, Joseph Smith não poderia ter imaginado que, seu desejo de receber perdão pelos seus pecados e de se filiar à igreja correta, o levaria a passar tanto tempo em tribunais, antes de sua morte aos 38 anos de idade. Ele esteve envolvido em processos judiciais em cinco estados e um território dos Estados Unidos. 

De acordo com os Documentos de Joseph Smith, Joseph Smith esteve envolvido em “mais de 200 processos nos quais ele foi autor, réu, testemunha ou juiz.” 

Ele defendeu o direito da Igreja de existir e de possuir propriedade. Ele defendeu a si mesmo, sua família e membros da Igreja contra as ameaças às suas vidas e ao seu sustento. Ele se defendeu contra a difamação e a calúnia, feita por aqueles que não acreditavam na Igreja, ou simplesmente não gostavam dele. 

Conforme relatado por Willard Richards, Joseph Smith explicou certa vez a respeito da Constituição dos Estados Unidos e o empoderamento concedido às pessoas. “A constituição não é uma lei, mas concede poder às pessoas para criarem leis”, disse Joseph. “A constituição não é lei para nós — mas uma provisão para se criar leis. Onde ela provê que ninguém deve ser impedido de adorar a Deus de acordo com sua própria consciência, é uma lei.”

Os difamadores de Joseph Smith o menosprezam por sua falta de educação. Alguns alegam que ele não poderia ter traduzido o Livro de Mórmon. A mesma falta de educação poderia tê-lo impedido de defender a si mesmo e a nova Igreja restaurada, mas ele estudou muito e orou com muito fervor. Após um caso específico, em que o tribunal foi a favor de Joseph Smith após sua vida ter sido ameaçada, Joseph disse que o resultado “foi uma resposta à nossa oração, pela qual agradeço ao meu Pai Celestial.”  

De certa forma, o aprendizado de Joseph Smith a respeito da lei foi uma maneira de aplicar o ensinamento do Salvador durante seu ministério terreno de, “Dar, pois, a César o que é de César, e a Deus, o que é de Deus.” (Marcos 12:17). Ele aprendeu a lei dos homens e as leis de Deus, e as usou para melhorar a situação da Igreja.