Assembly Hall: ‘Uma homenagem sagrada ao passado, com olhos no futuro’

No dia 3 de abril de 1983, Presidente Gordon B. Hinckley, segundo conselheiro na Primeira Presidência na época, havia acabado de cumprir suas designações na Conferência Geral daquele final de semana, quando presidiu a rededicação do Assembly Hall na Praça do Templo e ofereceu uma oração.

“Por 100 anos, este tem sido um lugar de adoração e reunião”, ele disse, de acordo com um artigo do Church News do dia 10 de abril de 1983. “Hoje conseguimos fazer com que o prédio sirva do mesmo modo por mais 100 anos, pelo menos.”

Ele apontou para uma técnica elaborada que realçava o interior do prédio. “Isto é uma obra de arte e uma obra de engenharia”, presidente Hinckley afirmou. “A obra foi preparada para o futuro enquanto preserva a integridade do passado. “Devemos nos orgulhar disso.

O Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
O Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

“É uma homenagem sagrada ao passado, com os olhos no futuro.”

Por que um Assembly Hall?

“Reuniões públicas têm sido parte da Praça do Templo desde quase o primeiro momento”, explicou Emily Utt, curadora de locais históricos para o Departamento de História da Igreja.

Quando os pioneiros chegaram ao Vale do Lago Salgado, um dos primeiros prédios que eles ergueram foi um caramanchão. Então, na esquina sudoeste da Praça do Templo, eles construíram um tabernáculo de adobe chamado de o Antigo Tabernáculo. “Naquele prédio, eles puderam praticar e descobrir quais projetos funcionariam na construção do grande tabernáculo, ou o que agora é conhecido como o Tabernáculo de Salt Lake”, Utt explicou.

Nesta foto tirada por Charles Roscoe Savage em 1873, o velho Tabernáculo e o novo Tabernáculo na Praça do Templo são mostrados, junto com os alicerces do Templo de Salt Lake atrás. O Assembly Hall substituiria o velho Tabernáculo.
Nesta foto tirada por Charles Roscoe Savage em 1873, o velho Tabernáculo e o novo Tabernáculo na Praça do Templo são mostrados, junto com os alicerces do Templo de Salt Lake atrás. O Assembly Hall substituiria o velho Tabernáculo. Crédito: Church History Catalog

Quando o novo tabernáculo ficou pronto, o antigo tornou-se obsoleto e precisaria ser demolido.

Ao mesmo tempo, estacas de toda a Igreja começaram a construir prédios grandes e ornamentados entre os anos de 1870 e 1880, em cidades como St. George, Brigham City e Logan, no estado de Utah. Estes tabernáculos eram expressões arquitetônicas que estavam à frente de seu tempo e atualizadas com as tendências vigentes.

“A Estaca Salt Lake também quis uma dessas grandes expressões arquitetônicas”, disse Utt.

Brigham Young, Presidente da Igreja na época, e líderes da Estaca Salt Lake decidiram construir uma dessas expressões na Praça do Templo. No dia 11 de agosto de 1877, Young anunciou a construção de um novo prédio com capacidade para 3.000 pessoas e que seria aquecido, mesmo no inverno. “A demolição do antigo prédio foi iniciada no dia seguinte e iniciaram a construção dentro de um mês, o que é bem rápido”, afirmou Utt.

O Assembly Hall de Salt Lake City em 1888.
O Assembly Hall de Salt Lake City em 1888. Crédito: Church History Catalog

O arquiteto do prédio era Obed Taylor, que o projetou em um estilo de reavivamento gótico Victoriano, uma tendência da época, com seus pináculos e toque medieval. Infelizmente, ele morreu em 1881, antes do Assembly Hall ser concluído.

O projeto do Assembly Hall inspirou, pelo menos, dois “edifícios-irmãos”, que é como Utt os chama. William Folsom, com quem Taylor uniu forças por um certo tempo, projetou o Tabernáculo de Provo, agora conhecido como o Templo Provo City Center. E um outro tabernáculo em Coalville, Utah, foi o outro edifício-irmão.

“O que é interessante é que existem algumas inovações neste prédio que, se estivessem presentes em alguma outra grande cidade dos Estados Unidos, provavelmente teriam chamado mais atenção”, disse Utt. Sua característica mais inovadora foi o telhado, disse ela. “A forma como a torre e o campanário foram construídos. O design foi, de certa forma, uma incomum nos prédios deste tipo no final do século XIX.”

Uma foto tirada em 1890 por Charles Roscoe Savage do terraço do ZCMI na rua principal em Salt Lake City mostra a Praça do Templo, incluindo o Templo de Salt Lake ainda em construção, o Tabernáculo de Salt Lake e o Assembly Hall.
Uma foto tirada em 1890 por Charles Roscoe Savage do terraço do ZCMI na rua principal em Salt Lake City mostra a Praça do Templo, incluindo o Templo de Salt Lake ainda em construção, o Tabernáculo de Salt Lake e o Assembly Hall. Crédito: Church History Catalog

Existe uma história conhecida de que as pedras usadas para construir o Assembly Hall vieram dos restos do Templo de Salt Lake. Utt disse que, “enquanto isso é tecnicamente verdadeiro, o que faz isso ser tão interessante são as partes que eles selecionaram.” Cortar os blocos de rochas para o templo permitiu que fossem deixadas pedras para construção, perfeitamente úteis e belas. “Eles pegaram esses pedaços de pedra com formas irregulares, que não tinham o tamanho ou forma corretos para serem usados no templo, e construíram o Assembly Hall com elas”, ela disse.

Pedreiros especializados foram chamados para usarem esses pedaços de pedra irregulares e construíram um prédio com linhas claras e juntas de argamassa salientes. 

Afrescos desaparecidos

O interior do prédio recebeu tanta atenção quanto o lado externo. As paredes e colunas foram decoradas com lírios de Utah e colmeias. Mas um dos elementos mais peculiares do Assembly Hall era os afrescos que cobriam o teto.

Antes do prédio ser dedicado, em 1882, 16 afrescos foram pintados no teto em 1880. O mérito pela obra foi dado a W. C. Morris, um pintor decorativo que havia feito trabalhos com ouro em prédios, projetou e construiu cenários para o Teatro de Salt Lake e foi pintor de letreiros. 

Um artigo do Salt Lake Herald, do dia 29 de fevereiro de 1880, publicado durante o progresso da pintura, afirmou: “Quando terminada, vai aumentar grandemente a beleza do salão, enquanto os temas pintados no teto serão um lembrete constante da história da Igreja, junto com alguns eventos mencionados nas escrituras. (…) O projeto inteiro foi feito em um período muito curto de tempo e melhora substancialmente a aparência interna do salão, ao mesmo tempo que reflete um grande mérito ao artista, Sr. W. C. Morris, e apresenta seu talento sob uma nova perspectiva.”

O interior do Assembly Hall em 1882.
O interior do Assembly Hall em 1882. Crédito: Church History Catalog

De acordo com uma correção publicada alguns dias depois, no dia 4 de março de 1880, “Paul Hammer merece ser tão elogiado quanto [Morris], pois realizou grande parte dos desenhos das figuras, bem como fiscalizou e supervisionou a obra de modo geral.”

Para Utt, “os murais são uma das características mais interessantes do design do prédio.” “Não vemos muitas obras decorativas assim em prédios da Igreja antes desta época. Por exemplo, ainda temos que pintar um mural do templo quando estes afrescos forem colocados no prédio.”

Algumas fotos destes afrescos ainda existem junto com descrições das pinturas. Três cenas da história da Igreja foram representadas: Morôni mostrando a Joseph Smith onde as placas de ouro estavam escondidas no monte Cumora; João Batista conferindo o Sacerdócio Aarônico a Joseph Smith e Oliver Cowdery; e Pedro, Tiago e João conferindo o Sacerdócio de Melquisedeque a Joseph Smith, ajoelhado.

O Assembly Hall de Salt Lake City em construção em 1880.
O Assembly Hall de Salt Lake City em construção em 1880. Crédito: Church History Catalog

Seis templos apareciam nos afrescos: os templos de Kirtland, Nauvoo, St. George Utah, Manti Utah, Logan Utah e Salt Lake – este último ainda a ser terminado. Foram também pintadas imagens de Jesus Cristo, Moisés segurando um pergaminho contendo os Dez Mandamentos, Eliseu e Elias, assim como uma grande colmeia para representar o Deseret. Acima do orgão estava o olho que tudo vê. Datas significativas na história da Igreja, tais como a organização da Igreja e quando os pioneiros chegaram ao Vale do Lago Salgado, também eram mostradas.

“Para mim, esses murais são grandes sugestões visuais das doutrinas e ideias que teriam sido importantes para aqueles santos dos últimos dias”, disse Utt. Quando alguém entrasse no prédio, encontraria imagens do sacerdócio e de templos.

O que faz essas pinturas serem incomuns é que “estas são, provavelmente, algumas das representações visuais mais antigas destas coisas”, ela disse. “Não temos muitas outras representações de Morôni aparecendo a Joseph antes deste mural. Elas são realmente importantes na história e na evolução da arte dos santos dos últimos dias, e na representação de cenas de nosso passado. 

“Infelizmente, o telhado vazou.”

Por volta de 1904, disse Utt, havia danos causados pela água suficientes aos afrescos que foram pintados por cima.

O local perfeito 

“A localização do prédio foi um grande triunfo e a razão para seu grande declínio”, disse Utt. Sua posição na Praça do Templo garantiu sua proteção e preservação, mas à medida que o espaço no Tabernáculo de Salt Lake para a conferência geral ficou menor, os assentos extras se espalhariam para o prédios próximo. 

“Dentro de alguns anos da dedicação, a sede da Igreja , assumiu o gerenciamento do Assembly Hall.”

Vitrais são fotografados no Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
Vitrais são fotografados no Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

Desde então, teve várias utilidades: é um local de reunião para as estacas além da estaca Salt Lake; é usado para concertos, recitais, devocionais ou eventos que não exigem a capacidade de assentos do Tabernáculo; foi usado como local para reuniões comunitárias de manifestações de direito ao voto.

“Quando quer uma experiência um pouco mais íntima, você vem para o Assembly Hall”, disse Utt.

Reforma

Quando foi construído, o Assembly Hall era um prédio moderno e atual, iluminado por lustres a gás e com sistema de aquecimento. Mas durante sua vida útil, o prédio sofreu reparos e renovações. Fornos foram substituídos por caldeiras, que foram substituídas por sistemas de aquecimento mais modernos. O telhado precisou ser consertado nos primeiros anos de 1900; a tribuna foi reconstruída na década de 1960 e uma grande renovação foi realizada na década de 1980. 

“Depois de 100 anos, o prédio precisava de alguns serviços”, disse Utt.

James F. McCrea foi o arquiteto designado para a reforma e restauração do prédio.

O Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
O Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

Parte do porão foi desfeito para a criação de vestiários e salas para prática de música. A cúpula e as ponteiras originais, feitos de madeira, foram substituídos por fibra de vidro. Os visitantes podem notar que a maioria dos pináculos tem uma ponta gótica, mas um deles é plano porque é uma das chaminés originais.

A extensa renovação, com o intuito de ser terminada até o 150º aniversário de formação da Igreja, em 1980, durou até 1983 quando foi rededicado pelo presidente Hinckley, com a presença de outras autoridades gerais e esposas.

Um novo órgão

Uma das grandes razões para esta renovação foi devida ao fato da frustração dos organistas do Tabernáculo com o órgão Kimball, instalado na virada do século 20, e que queriam substituí-lo por um novo órgão para o aniversário de 100 anos do prédio. 

“[Os orgãos Kimball] usavam um sistema chamado pneumática tubular”, explicou Robert Poll, responsável pela manutenção dos vários órgãos na Praça do Templo. “Esse sistema era algo da moda. E provou não ser tão eficiente a longo prazo. Havia falhas inerentes ao design.”

À medida que as inspeções eram conduzidas para determinar a melhor maneira de instalar o novo órgão, “eles descobriram falhas na estrutura do prédio nas quais as bases não eram fortes o suficiente para suportar o prédio”, disse Poll. As reformas prolongadas atrasaram a instalação do novo órgão, mas proporcionaram a oportunidade de criar espaço para as salas de prática, vestiários e a instalação de três órgãos para treinamento.

A caixa principal e os tubos en chamade do órgão no Assembly Hall são fotografados em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
A caixa principal e os tubos en chamade do órgão no Assembly Hall são fotografados em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.

O novo órgão foi criado por Robert L. Sipe, da cidade de Austin, no Texas. Sipes comprou as peças do órgão de cinco ou seis empresas diferentes que forneciam componentes de lugares “tão remotos quanto a Alemanha”, disse Poll. Ele consiste em um grande caixa principal com três torres em cada lado; uma caixa menor chamada “Rückpositive” ou “rear positive”, constituída de quatro torres menores, localizadas atrás do organista; um formidável orgão e um “em chamade” estilo francês – os tubos horizontais.

“No que concerne às ações mecânicas do órgão, talvez ele seja um pouco mais flexível que outros. Mas falando de modo geral, ele tem um estilo mais dramático”, disse Poll. 

Poll foi contratado pela Igreja no outono de 1982. Sua primeira tarefa foi a de ajudar a instalar o novo órgão do Assembly Hall, colocando os tubos no lugar. Enquanto em muitos órgãos os tubos são apenas para exibição, neste órgão, todos os tubos são funcionais.

Os tubos de cobre flamejado do órgão no Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
Os tubos de cobre flamejado do órgão no Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

“Devido à natureza da sala … foi utilizado cobre para os tubos da base”, Poll afirmou. Ao usar um maçarico de propano no tubo, o cobre é oxidado e faz com que várias cores apareçam. “Chamamos isso de cobre flamejado.”

Fetzer Architectural Wordworking, a empresa que contribuiu na construção do corpo do orgão do Centro de Conferências, colaborou com o fabricante do órgão para a criação de entalhes na caixa de carvalho branco. 

O arquiteto da Igreja, James F. McCrea, “foi enfático no simbolismo”, disse Poll, e ele projetou os símbolos e os temas de todo o órgão. Todos os símbolos foram aprovados pela Primeira Presidência antes de se tornarem parte permanente do design.

A caixa menor do órgão carrega a data de organização da Igreja, em 1830, e exibe a quantidade de membros da Igreja naquela época. Já a caixa principal traz a data de 1980 e representa o crescimento da Igreja 150 anos depois de sua organização, assim como os três membros da Trindade.

O órgão do Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
O órgão do Assembly Hall em Salt Lake City é fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

Os lírios de Utah, que foram uma parte importante na vida dos primeiros colonizadores pioneiros, representam os membros da Igreja – botões de flores simbolizando membros novos que crescem até florescer, representam o recebimento de luz e conhecimento plenos do evangelho. O crescimento é indicado por uma vinha, apesar dos lírios de Utah, crescerem em hastes curtas e simples. As abelhas e as colmeias formadas por 12 argolas representam a capacidade dos santos.

O console do órgão no Assembly Hall, fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021, possui teclas com cores inversas.
O console do órgão no Assembly Hall, fotografado na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021, possui teclas com cores inversas. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

Estrelas de cinco pontas representam Jesus Cristo. A Estrela de Davi, que também aparece nos vitrais, representa a importância da Casa de Davi através de Efraim. As letras L. D. S. aparecem, assim como Alpha e Ômega, pergaminhos enrolados representando a Bíblia e um livro aberto, representando o Livro de Mórmon. 

“Um dos defeitos que este órgão possui é uma certa dificuldade para acompanhar coros de forma eficaz”, Poll disse. “Funciona muito bem com outras coisas: consegue tocar muitas composições, conduz a congregação de forma muito adequada e tem um grande esplendor.

O Assembly Hall atualmente

Ao visitar ou participar de algo em um prédio antigo como o Assembly Hall, você logo descobrirá algumas pequenas peculiaridades deste lugar como, por exemplo, a tendência daqueles que estão sentados nos bancos do alpendre de escorregarem em direção à frente do prédio. Tudo isso acrescenta ao charme ao prédio.

Sister Kate Johnson e Sister DaMinikah Rodriguez dão um tour virtual do Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021.
Sister Kate Johnson e Sister DaMinikah Rodriguez dão um tour virtual do Assembly Hall em Salt Lake City na quarta-feira, dia 28 de abril de 2021. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

“Quando você se senta no Assembly Hall, você sabe que está em um prédio antigo e que está adorando em um lugar onde tipos diferentes de pessoas já discursaram e celebraram”, Utt disse. “Acho que é isso que adoro nesse prédio. É intacto o suficiente para que se consiga sentir essa sensação histórica nele.”

Para agendar um tour virtual ou presencial da Histórica Praça do Templo, ligue para 801-240-8945 [E.U.A.] ou envie um e-mail para [email protected]