Gerry Avant: Relembrando entrevista com irmã Amelia Smith McConkie — esposa de apóstolo, filha de profeta

Eu sabia que estava com um espírito especial poucos minutos depois de chegar, em uma manhã de abril de 1973, para uma entrevista com a irmã Amelia Smith McConkie, esposa do Élder Bruce R. McConkie, membro do Quórum dos Doze Apóstolos de 1972 a 1985.

Ela me cumprimentou calorosamente, fez um gesto para que eu me sentasse em uma cadeira confortável e, em seguida, pegou uma variedade de livros, papéis, canetas e outros itens espalhados na mesa da sala de jantar e outros lugares de uma casa bem habitada. Eu me identifiquei com o hábito de deixar esses itens de fora ao me afastar por algumas horas, ou mesmo dias. Além da minha observação, estava o fato de que estava na casa de um apóstolo e sua esposa que se dedicavam ao estudo do evangelho de Jesus Cristo.

Tive uma conversa muito ampla sobre sua família com a irmã McConkie, filha de Joseph Fielding Smith, membro do Quórum dos Doze Apóstolos quando ela nasceu em 1916; em 1970 ele se tornou o décimo presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Joseph Fielding McConkie fala na série de palestras mensais “Homens e Mulheres de Fé” patrocinada pela Biblioteca de História da Igreja sobre seu pai, “Bruce R. McConkie, Testemunha Especial”, na segunda-feira, 15 de abril de 2013. Fotografado com sua esposa Amelia Smith McConkie, filha de Joseph Fielding Smith.
Joseph Fielding McConkie fala na série de palestras mensais “Homens e Mulheres de Fé” patrocinada pela Biblioteca de História da Igreja sobre seu pai, “Bruce R. McConkie, Testemunha Especial”, na segunda-feira, 15 de abril de 2013. Fotografado com sua esposa Amelia Smith McConkie, filha de Joseph Fielding Smith. Crédito: R. Scott Lloyd

Senti como se tivesse sido convidada a participar de um curso rápido sobre uma parte da história da Igreja.

Refletindo sobre os ensinamentos de seu pai, a irmã McConkie disse: “Papai tinha a habilidade e a coragem de fazer seus filhos (ele tinha 11) amá-lo. Nenhum de nós teria feito nada para machucá-lo.”

A irmã McConkie disse que sentiu uma grande responsabilidade durante sua infância, porque a influência de seu pai não teria sido tão grande se seus próprios filhos não vivessem da maneira como foram ensinados. Ela disse que a mesma responsabilidade deve ser sentida por todos os jovens que são membros da Igreja, porque o mundo conhece seus padrões e está constantemente olhando para seus membros.

Ela disse que seu pai contava a história sobre o filho de Alma e depois dizia: “Iniquidade nunca foi felicidade.”

“Ele me disse isso quando era uma garotinha, e isso ficou comigo por toda a minha vida. Eu tinha uma sensação completa de segurança enquanto estava em casa.”

A irmã McConkie disse que tem certeza de que nunca teria caminhado se não fosse por uma bênção que o Presidente Smith lhe deu. “Tive poliomielite quando tinha 2 anos de idade, e papai me deu uma bênção e cuidou de mim. Minha mãe estava muito ocupada com as outras crianças, então meu pai geralmente cuidava de mim. Estou convencida de que nunca teria caminhado sem a bênção que ele me deu e sua fé.”

Ela disse que seu pai estava constantemente ensinando e orientando os filhos nos caminhos que deveriam seguir. A influência pessoal do Presidente Smith foi sentida na casa dos McConkie, já que ele morava com eles na época de sua morte em 1972. “Foi uma emoção ter papai morando conosco (…) e ouvi-lo orar. Ele costumava dizer: ‘Ajude-nos a sermos fiéis a todos os convênios que fizemos. Afasta-nos das coisas contrárias à Tua vontade.’”

“Eu costumava ouvi-lo orar, ‘Que os Teus propósitos se cumpram rapidamente’. Isso me preocupava. Eu podia ver o Senhor respondendo a suas orações e o mundo chegando ao fim! Mas, à medida que envelheço, vejo a maldade e a miséria, e percebo a grande promessa que temos da eternidade.

“Papai tem sido uma grande influência em minha vida. Digo a meu marido que sou o que sou por causa de papai. Há tantas lições que aprendi com ele.

“Ele era gentil, atencioso e amoroso. Eu costumava ficar chateada com as crianças e dizia: ‘O que você faz com eles?’

‘Ame-os e seja paciente’”, era a sua resposta.

A irmã McConkie disse que sua mãe, Ethel Reynolds Smith, deu o exemplo em casa ao honrar seu marido e respeitar sua posição. A irmã McConkie seguiu esse exemplo. Ela e Bruce R. McConkie casaram-se no Templo de Salt Lake. em 13 de outubro de 1937. Com a mesma diligência com que ele serviu como apóstolo, ela cumpriu muitas responsabilidades, incluindo servir três vezes como presidente da Sociedade de Socorro.