Criado a partir da compaixão e amor, Primary Children’s Hospital em Salt Lake City completa 100 anos

SALT LAKE CITY — De pé no ambulatório do Intermountain Primary Children’s Hospital [Hospital Infantil da Primária] e cercada por cartazes de feliz aniversário e chapéus de festa, a presidente geral da Primária, Camille N. Johnson, falou sobre a sagrada responsabilidade de cuidar das crianças.

“Cuidar de crianças inclui suprir suas necessidades físicas que este hospital e seus dedicados profissionais e voluntários têm feito tão bem nos últimos 100 anos”, disse a presidente Johnson à grande multidão reunida lá para um evento especial.

O Primary Children’s Hospital comemorou seu 100º aniversário na quarta-feira, 11 de maio, marcando um século de atendimento pediátrico e serviço para crianças em toda a região.

Fundado e nomeado por causa da organização da Primária de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em 1922, o Primary Children’s Hospital tem sido guiado por esta missão: “A criança sempre em primeiro lugar.”

Dos arquivos: Hospital criado a partir da compaixão [em inglês]

Vista do Primary Children’s Hospital em Salt Lake City.
Vista do Primary Children’s Hospital em Salt Lake City. Crédito: Cortesia Intermountain Primary C

A presidente Johnson expressou sua gratidão pessoal “aos profissionais de saúde, administradores e voluntários dedicados que fizeram deste hospital um local de cura.”

Ela disse que seus filhos, e agora netos, foram abençoados pelo hospital localizado no sopé das montanhas de Salt Lake City, ao lado da Universidade de Utah.

“No início da década de 1990, quando meu filho mais velho precisou de uma cirurgia simples, vim para o Primary Children’s Hospital. Jamais esquecerei o sorriso em seu rosto quando o levaram para a sala de cirurgia em uma pequena maca vermelha. O cuidado terno e atencioso que ele recebeu, e que eu recebi, em um momento de grande ansiedade foi uma grande bênção para minha família.”

O início e o crescimento do Primary Children’s Hospital

A ideia de um hospital infantil começou em 1911, quando a primeira presidente geral da Primária, Louie B. Felt, e sua primeira conselheira, May Anderson, viram a situação de crianças doentes tendo dificuldades ao andar com muletas nas ruas de Salt Lake City, e pediram que fosse criado um estabelecimento de cuidados apenas para crianças.

A aprovação foi dada para quartos de convalescença para meninos e meninas no LDS Hospital [Hospital SUD], e a associação da Primária da Igreja começou campanhas de para levantar os fundos operacionais necessários.

Pacientes e enfermeiras no prédio que fica na rua North Temple em Salt Lake City, que mais tarde ficou conhecido como Primary Children’s Hospital.
Pacientes e enfermeiras no prédio que fica na rua North Temple em Salt Lake City, que mais tarde ficou conhecido como Primary Children’s Hospital. Crédito: Cortesia Intermountain Primary Children's Hospital

“É claro que as necessidades das crianças e suas famílias excederam o espaço disponível nesses quartos no LDS Hospital; e assim, Louie e outras líderes da Primária pediram à Igreja espaço e recursos adicionais”, disse a presidente Johnson.

Em 11 de maio de 1922, Presidente Heber J. Grant, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, inaugurou o LDS Children’s Convalescent Hospital [Hospital Infantil de Convalescença SUD], do outro lado da rua ao norte da Praça do Templo, onde agora está localizado o Centro de Conferências. A Igreja doou os equipamentos e o prédio, que era uma casa originalmente de propriedade de Orson Hyde.

Leia mais: Local original do hospital da Primária completa 80 anos [em inglês]

O nome foi mudado para Primary Children’s Hospital em 1934. Em 1952, o hospital se mudou para um novo prédio com mais leitos na 12th Avenue, em Salt Lake City. Em 1990, o hospital se mudou para o prédio atual. Em 2010, a Igreja doou US$ 1 milhão para a construção de um edifício ambulatorial e, em 2020, um edifício foi construído para mais um Primary Children’s Hospital em Lehi, Utah.

Em sua oração dedicatória em 17 de maio de 1990, Presidente Gordon B. Hinckley, na época primeiro conselheiro na Primeira Presidência, observou que o hospital era “a realização de um grande sonho iniciado muitos anos atrás, quando algumas mulheres, cujo coração se compadeceu por crianças em sofrimento, deram início ao que veio a ser conhecido como Primary Children’s Hospital.”

A presidência geral da Primária da Igreja foi responsável pela administração e operação do Hospital até 1975, quando a Igreja criou a Intermountain Healthcare, uma corporação independente e sem fins lucrativos, e doou suas propriedades hospitalares para a comunidade.

Peter Vidmar, atleta das Olimpíadas de 1980 e 1984, promove a campanha “Pennies by the Inch” [Centavos por polegadas] para as crianças do Primary Children’s Hospital nesta foto, sem data.
Peter Vidmar, atleta das Olimpíadas de 1980 e 1984, promove a campanha “Pennies by the Inch” [Centavos por polegadas] para as crianças do Primary Children’s Hospital nesta foto, sem data. Crédito: Cortesia Intermountain Primary C

A presidente Johnson disse que desde 1922, as crianças da Primária doam seus próprios fundos para ajudar o hospital, geralmente centavos, por meio de esforços de arrecadação de fundos como desfiles, aniversários e o projeto “Pennies by the Inch” [Centavos por polegadas].

“Lembro-me de depositar meus próprios centavos em uma caixa de papelão que parecia uma miniatura do prédio do Primary Children’s Hospital da 12th Avenue”, disse ela. “Embora não me lembre de como consegui aquelas moedas, ainda me lembro da sensação de satisfação que senti ao doar meus centavos e ajudar outras crianças.”

A presidente Johnson disse que ensinar as crianças a amar e cuidar de seu próximo sempre foi um elemento fundamental da experiência de uma criança na Primária: “Quando damos às crianças a oportunidade de servir, construímos comunidades de paz, esperança e cuidados.”

O impacto e o futuro do Primary Children’s Hospital

No evento, o Dr. Angelo Giardino, presidente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Utah e diretor médico do Primary Children’s Hospital, disse que as crianças “são nossa mensagem para o futuro.”

“Penso nas fundadoras do Primary Children’s Hospital e na mensagem que elas queriam nos enviar há 100 anos”, disse ele. “Uma das mensagens foi que devemos colaborar, devemos trabalhar juntos como uma comunidade para ajudar as crianças a terem a melhor saúde possível. Essa mensagem inicial que elas enviaram foi manifestada para nós.”

Nellie e Sarah Mainor, de Farmington, Utah, e membros da Igreja, fizeram parte do evento de comemoração do aniversário e falaram sobre sua estreita ligação com o hospital. Em 1986, quando Sarah tinha 12 anos, os cirurgiões do Primary Children’s Hospital removeram um tumor cerebral e ela disse que não teve complicações desde então.

“Consegui ter uma vida maravilhosa cheia de emoção e oportunidades”, disse ela, incluindo sua maior conquista com seu marido: seus oito filhos.

Primary Children’s Hospital em Salt Lake City, na terça-feira, 31 de março de 2020.
Primary Children’s Hospital em Salt Lake City, na terça-feira, 31 de março de 2020. Crédito: Kristin Murphy, Deseret News

Dos arquivos: visita do profeta aquece corações no hospital [em inglês]

Sua filha caçula, Nellie, foi diagnosticada com uma doença renal agressiva e rara aos 6 anos de idade. Nellie falou sobre como foi ir ao Primary Children’s Hospital para tratamentos constantes de diálise e passar por 12 cirurgias antes de receber um novo rim, em agosto de 2019.

“Eu me sinto segura aqui, me sinto em casa aqui. Quero dizer às minhas enfermeiras e médicos que amo todos vocês”, disse ela.

Nellie, que agora tem 12 anos, até convidou sua equipe de cuidados para seu batismo: “Tenho uma grande família em casa e uma grande família aqui no hospital. Esta é a minha segunda casa.”

Sarah Mainor disse que espera que os próximos 100 anos continuem trazendo conforto às famílias, além de inovação e melhoria nos cuidados e programas para ajudar as crianças.

Após o evento, a presidente Johnson disse ao Church News que espera, não apenas mais 100 anos do hospital abençoando a vida das crianças, mas também as próprias crianças contribuindo para abençoar a vida de outras pessoas.

Ela enfatizou suas observações no evento, sobre como as crianças trabalhavam, economizavam e contribuíam: “Quando olharmos nos olhos de nossas crianças e reconhecermos seu potencial e lhes dermos a oportunidade de participar e servir, construiremos comunidades de paz, esperança, respeito e tolerância.”