Conhecendo o Presidente Russell M. Nelson da Primeira Presidência

No outono de 1965, Russell M. Nelson — um cirurgião e presidente de estaca em Salt Lake City — fez várias viagens para Illinois para examinar uma oferta atraente e generosa para dirigir o departamento de cirurgia cardiovascular e torácica na Universidade de Chicago.

Ele e sua esposa, Dantzel, selecionaram uma vizinhança onde pudessem criar suas nove filhas (o 10º filho dos Nelsons nasceu depois) e contemplaram oportunidades profissionais e de pesquisa que o emprego proporcionaria. Uma noite, apreciaram um jantar com o jovem professor da Universidade de Chicago, Dallin H. Oaks, e sua esposa, June. Conforme os casais jantavam na casa dos Oaks e falavam sobre a Igreja em Chicago, uma amizade duradoura se formou.

“Claro que fizemos tudo o que pudemos para persuadi-lo a aceitar a oferta que sabíamos que estava sendo feita”, relembrou o Presidente Oaks, então conselheiro na presidência de uma estaca em Chicago e agora primeiro conselheiro na Primeira Presidência, sobre o jantar de 21 de novembro de 1965.

O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, deixam o púlpito após a sessão da manhã de domingo da Conferência Geral, em 3 de abril de 2016.
O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, deixam o púlpito após a sessão da manhã de domingo da Conferência Geral, em 3 de abril de 2016. Credit: Kristin Murphy, Deseret News

Contudo, antes de aceitar a posição, o Dr. Nelson buscou e recebeu conselhos de uma fonte adicional. Encontrou-se com o então Presidente da Igreja, David O. McKay.

“Ele foi recrutado bem agressivamente” pela Universidade de Chicago, explicou Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Ele seria chefe do departamento. Ele teria um salário muito alto. Eles pagariam pela educação de todos os seus filhos, onde quer que essas crianças fossem na face da Terra.”

Mas ele recusou a oferta.

“O Presidente David O. McKay apenas disse: ‘Não acho que você deva ir’”, explicou o Élder Holland. “Daquela forma, Russell Nelson tomou a decisão de imediato. Ele não iria.”

A experiência ilustra “a humildade de uma criança e a simplicidade da fé de Russell Nelson.”

Ministério

O Presidente Nelson, 93 anos, foi designado como 17º Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no dia 14 de janeiro de 2018, após servir por 34 anos no Quórum dos Doze Apóstolos.

Conhecido como o homem da renascença por seus colegas, o Presidente Nelson traz em sua bagagem para a nova posição, uma vida inteira de preparação. O Presidente Nelson, um homem de afinação perfeita que toca o órgão durante reuniões do quórum, frequentemente discursa para santos dos últimos dias em suas línguas nativas e é “o melhor escritor no Quórum dos Doze”, disse o Presidente Oaks.

A irmã Ardeth Kapp, ex-presidente geral das Moças, disse que o Presidente Nelson faz perguntas significativas, então escuta e encoraja.

Durante seus 34 anos como apóstolo, o Presidente Nelson visitou 133 países, participou da dedicação de 31 destes países e da abertura de portas para a Igreja na Europa Oriental e na China. Na sede, serviu como presidente de cada um dos três comitês governamentais — o Conselho Executivo Missionário, o Conselho Executivo de Templo e História da Família e o Conselho Executivo do Sacerdócio e da Família.

Durante a cerimônia de colocação da pedra de esquina no Templo de Sapporo Japão, o Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, estavam com algumas crianças convidadas a participar: da esquerda para a direita, Kuhi Kikuchi, 10 anos; Ryuto Miyamoto, 8; Hina Iwamoto, 7; Kaito Miyamoto, 6; e Miku Nigita, 4, que é assistida por seu pai, Haruhiko Nigita. O Élder Larry Y. Wilson dos Setenta está atrás deles olhando para frente.
Durante a cerimônia de colocação da pedra de esquina no Templo de Sapporo Japão, o Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, estavam com algumas crianças convidadas a participar: da esquerda para a direita, Kuhi Kikuchi, 10 anos; Ryuto Miyamoto, 8; Hina Iwamoto, 7; Kaito Miyamoto, 6; e Miku Nigita, 4, que é assistida por seu pai, Haruhiko Nigita. O Élder Larry Y. Wilson dos Setenta está atrás deles olhando para frente. Credit: Sarah Jane Weaver

“Tenho visto o Senhor magnificá-lo, abençoá-lo e moldá-lo para este momento”, disse Élder Holland. “Ele deu ao Senhor um pacote maravilhoso de matéria-prima para trabalhar, mas tenho visto o Senhor abençoá-lo e moldá-lo para se tornar o profeta do Senhor que apoiamos.”

Primeiramente, disse, o Presidente Nelson é gentil.

“Ele é um perfeito cavalheiro”, disse Élder Holland. “Ele pode ser o homem que inspirou a palavra ‘cavalheiro’. Ele é muito, muito gentil.”

Serviço

Aqueles que servem com o Presidente Nelson também falam sobre sua compaixão.

O Presidente M. Russell Ballard, Presidente em exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, disse que quando teve uma cirurgia de ponte de safena em 1995, soube que o Presidente Nelson “ficou ao lado do cirurgião” durante todo o procedimento.

“Este é o tipo de afeto que tem por seus companheiros”, disse o Presidente Ballard.

O Presidente Ballard também se lembrou do Presidente Nelson checando o falecido Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Ele vinha, sentia seu pulso, o olhava nos olhos e pegava um relatório do que havia acontecido durante a noite”, disse o Presidente Ballard. Neste chamado “ele era um médico cheio de amor por aqueles a quem conseguia servir”.

O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, deixam o púlpito após a sessão da manhã de domingo da Conferência Geral, em 3 de abril de 2016.
O Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, deixam o púlpito após a sessão da manhã de domingo da Conferência Geral, em 3 de abril de 2016. Credit: Scott G Winterton, Deseret News

Ele elevou e apoiou outros membros do quórum com o mesmo “tipo de afeição”, disse o Presidente Ballard.

Em 2007, o falecido Élder Joseph B. Wirthlin travou seus joelhos enquanto discursava na conferência e enquanto falava, ficava cada vez mais fraco.

O filho do Élder Wirthlin, Joseph Wirthlin Jr., se lembra de deixar o seu assento no Centro de Conferências para ajudar seu pai, quando viu o Presidente Nelson rapidamente se mover para o lado de seu pai no púlpito. O Presidente Nelson colocou uma mão no ombro do Apóstolo e segurou seu cinto com a outra. Devido ao esforço de elevação e estabilização do Presidente Nelson, o Élder Wirthlin conseguiu terminar o seu discurso.

O irmão Joseph Wirthlin Jr. disse que o Presidente Nelson agiu com “calma e humildade”.

“Ele se levantou e deixou meu pai terminar o seu discurso”, disse. “Ele não fez um grande alvoroço. Ele apenas se levantou e fez o que foi necessário, e faria isto por qualquer pessoa.”

Élder Holland se lembra de receber uma bênção do Presidente Nelson antes de ser submetido a uma cirurgia. “Fiquei com os olhos cheios de lágrimas ao estar sob suas mãos”, disse. “Porém, foi isto que aconteceu. Não era o Dr. Nelson que saberia de tudo sobre o que estava acontecendo com alguns ossos e juntas. Era o Élder Nelson, foi o Apóstolo Nelson, foi o Profeta, Vidente e Revelador Nelson. A linguagem daquela bênção não foi uma opinião médica. Foi fé.”

Saúde

O Presidente Nelson iniciou sua posição de Presidente da Igreja na idade de 93 anos — o mais velho no Quórum.

“Vamos falar de alguém que não aparenta nem age como se tivesse 93 anos”, Élder Holland disse. “Ninguém fala por aqui sobre idade ou quão velhos nos sentimos ou o quanto os nossos ossos estão rangendo.”

Com energia ilimitada — alguns dizem que ele nunca faltou por estar doente — Presidente Nelson desce de uma escada circular após se reunir na sala superior do Templo de Salt Lake com outros líderes da Igreja todas as quintas-feiras.

“Sempre tento alcançá-lo e não consigo”, disse o Presidente Oaks. “Eu agarro o corrimão para me equilibrar e avanço da melhor forma que consigo.”

Uma foto de família do Presidente Russell M. Nelson em um balanço.
Uma foto de família do Presidente Russell M. Nelson em um balanço. Credit: Cortesia da família Nelson

Élder Holland disse que o Presidente Nelson se limita a “duas escadas por vez”.

O Presidente Nelson gosta de jardinagem, cortar a grama ou retirar a neve das calçadas; quando está em casa, puxa as latas de lixo dos vizinhos do meio-fio de volta para suas casas.

O filho do Presidente Nelson, Russell Nelson Jr., disse que seu pai ainda consegue esquiar na neve durante todo um dia.

O Élder W. Craig Zwick, Setenta Autoridade Geral emérita, disse que já esteve com o Presidente Nelson nas pistas de esqui mais difíceis, “morrendo de medo por mim e por ele.”

“O homem consegue esquiar com os melhores esquiadores”, disse.

Membros da Igreja descobrirão, disse Élder Zwick, “Que embora ele tenha 93 anos, ele tem uma perfeita identificação com a juventude da Igreja e ele os guiará, assim como guia os membros mais velhos dos Doze.”

Carreira médica

O Presidente Nelson nasceu em Salt Lake City, filho de Marion C. e Edna Anderson Nelson, no dia 9 de setembro de 1924, apenas cinco anos antes da quebra da Bolsa de Valores de Nova York em 1929.

O jovem Russell Nelson era curioso. Sempre queria saber como as coisas funcionavam, disse Sheri Dew, ex-membro da presidência geral da Sociedade de Socorro.

Quando tinha 9 ou 10 anos, Russell Nelson pegou um bonde e caminhou até a Deseret Books do centro da cidade. Ele pediu a um funcionário para recomendar um livro sobre a Igreja e “de alguma forma saiu com um”, disse a irmã Dew.

Foi batizado com 16 anos; “seu desejo e determinação para fazer parte da Igreja veio de dentro”, disse o seu filho. Embora seus pais não fossem ativos durante a juventude do Presidente Nelson, nunca desencorajaram sua participação na Igreja. Também apoiaram seu filho em sua educação, a qual seguiu diligentemente.

Formou-se em primeiro lugar em sua turma da faculdade de Medicina, com 22 anos. Sua carreira na área incluiu receber vários doutorados da Universidade de Utah e Universidade de Minnesota, e outros trabalhos avançados em Massachusetts e Washington, D.C. Ajudou como pioneiro no desenvolvimento da máquina de coração-pulmão artificial, um meio de apoiar a circulação de um paciente durante uma cirurgia de peito aberto.

A irmã Dew disse que muitas coisas podem ser aprendidas com suas experiências cirúrgicas pioneiras.

Dr. Russell M. Nelson realiza uma cirurgia cardíaca.
Dr. Russell M. Nelson realiza uma cirurgia cardíaca. Credit: Cortesia da família Nelson

Os médicos que trabalharam na máquina de coração-pulmão foram ensinados na faculdade de medicina “a nunca tocarem em um coração humano”. Ainda assim, estavam dispostos a desafiar a sabedoria convencional para descobrir como salvar vidas.

“Quando os pequenos grupos iam a convenções médicas, compartilhavam informações”, explicou a irmã Dew, que uma vez perguntou ao Presidente Nelson o que o time fez para proteger seus interesses pessoais — em termos de patentes ou crédito acadêmico.

Ele lhe disse: “Nossa competição não era de uns com outros. Nossa competição era com a doença, morte e ignorância.”

Veja, ela acrescentou, “o que chegaram a fazer.”

Este desenvolvimento da máquina de coração-pulmão artificial tornou a cirurgia de peito aberto possível; o Presidente Nelson realizou a primeira cirurgia daquele tipo em Utah em 1955.

O Élder Gregory A. Schwitzer, médico e Setenta Autoridade Geral, disse que, durante sua carreira, o Dr. Nelson foi consistentemente descrito com “palavras de inspiração, dedicação, competência e altamente consistência em tudo o que fez.”

O Dr. Nelson é renomado pelo que fez, disse, explicando que sua criatividade e inovação salvaram incontáveis vidas. “Ele sempre foi uma pessoa que escreveu extensivamente na literatura do campo da medicina e participou de estudos que avançaram o conhecimento da cirurgia cardiovascular.”

Seu legado está “agora na vida de muitos médicos que são cirurgiões cardiovasculares que foram treinados sob seu olhar vigilante.”

O próprio Élder Schwitzer foi uma vez inspirado pelo Dr. Nelson.

Enquanto estava na nona série, Gregory Schwitzer participou de um dia de desenvolvimento de carreira e ouviu uma apresentação do Dr. Nelson. “Lembro-me dele em pé, na frente da classe, …. falando conosco sobre o que fez. Segurou uma válvula do coração artificial em sua mão e explicou como funcionava.

“Não me lembro de entender tudo o que ele disse em termos médicos. Mas me lembro de como ele me inspirou.”

Marido e pai

Sylvia Webster, uma das nove filhas do Presidente Nelson, disse que seu pai realiza muito porque sabe como equilibrar sua vida. “Quando está no trabalho, está 100 por cento no trabalho. Quando está em casa, está 100 por cento em casa. Quando está cuidando de suas obrigações na Igreja, está 100 por cento nas suas obrigações da Igreja. Acho que talvez seja assim que ele equilibra as coisas.”

Russell Nelson Jr. disse que as pessoas frequentemente perguntam a ele como é ser filho de um Apóstolo. “Ele tem sempre sido o mesmo”, disse. Não existe muita diferença “no meu pai como cirurgião ou como membro do Quórum dos Doze Apóstolos ou como Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos. Ele tem sempre sido consistente. Como pai, sempre foi amável e sempre tentou ganhar tempo.”

Quando estava em casa, “realmente estava em casa”, disse sua filha.

Presidente Russell M. Nelson e família.
Presidente Russell M. Nelson e família. Credit: Cortesia da família Nelson

Ele ensinou seus filhos a esquiar entre suas pernas, a andar de bicicleta e a dirigir. Ele lia para eles com frequência. A família jogava muito ping-pong. Russell Nelson Jr., contudo, não se lembra de ter ganhado de seu pai nenhum jogo.

Uma constante na vida de seu pai foi sua esposa, Danztel, com quem se casou em 1945. “Era sempre óbvio que os meus pais se amavam muito”, o irmão Russell Nelson Jr. disse.

A irmã Webster disse que seu pai retornou o apoio infalível que sua mãe lhe ofereceu. A família amava música e todas as 10 crianças aprenderam a tocar um instrumento musical, além do piano.

Quando Danztel Nelson se juntou ao Coro do Tabernáculo, o Presidente Nelson tomou a frente. Nas manhãs de domingo, quando o coro se apresentava, o Presidente Nelson ajudava suas nove filhas a se arrumarem para a Igreja, tentando “cachear nosso pequeno cabelo e vestir todo mundo.”

“Ele mantinha as coisas em ordem”, disse a irmã Webster. “Este era o tipo de relacionamento que tinham. Foi sempre muito doce e sempre se doando um para o outro.”

Dantzel White Nelson e Russell M. Nelson.
Dantzel White Nelson e Russell M. Nelson. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Danztel morreu no dia 12 de fevereiro de 2005, bem próximo do aniversário de 60 anos de casamento dos Nelsons. A posteridade Nelson de 10 filhos e 57 netos agora inclui 116 bisnetos.

O irmão Russell Nelson Jr. disse que perder sua mãe foi profundamente triste, especialmente para seu pai. “O falecimento de nossa mãe, podíamos ver, foi um golpe profundo para ele.”

“Ele estava triste e sentia sua falta, assim como qualquer pessoa sentiria depois de tantos anos juntos”, disse a neta do Presidente Nelson, Katie Irion Owens.

Em 2006, ele se casou com Wendy L. Watson. Russell Nelson Jr. disse que a família viu “uma mudança imediata” na feição do Presidente Nelson. “A tristeza havia ido embora e fez bem a todos nós ver sua felicidade de volta.”

A irmã Wendy Nelson tem estado ao seu lado, agora por 12 anos, e tem sido um “tremendo apoio para ele”, disse.

“Tenho certeza que é difícil entrar em uma família de mais de 200 pessoas e sentir que são amigos próximos”, disse a irmã Webster. “Wendy tem se esforçado e tem sido maravilhosa.”

Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, em Machu Picchu.
Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, irmã Wendy Watson Nelson, em Machu Picchu. Credit: Cortesia da família Nelson

A irmã Owens disse: “Com Wendy, ele agora encontrou outro maravilhoso complemento e parceria”. Quando a irmã Nelson acompanha o Presidente Nelson em designações “fala ao coração das pessoas” de uma forma que não pode ser “senão de Wendy Watson Nelson. Ela é tão dinâmica, positiva, inteligente e brilhante.”

A irmã Owens disse que o Presidente Nelson tem um forte relacionamento com cada um dos seus netos e bisnetos — enviando cartões escritos à mão para o aniversário, Natal e aniversário de casamento. Ele ama visitar o hospital quando os bebês nascem; dois bisnetos — de número 115 e 116 — se juntaram à família na semana passada.

Os Nelsons e sua vasta posteridade ainda realizam noites familiares mensais, mencionou a irmã Webster.

Sua vida

A irmã Webster se lembrou de uma ocasião, quando pediram ao seu pai para falar, em 30 segundos ou menos, sobre um prêmio que havia recebido.

Ele se levantou e disse: “É simples”, então compartilhou as palavras de um verso que escreveu:

“Nosso Deus é o meu criador.

Pais queridos são meu guia.

Uma esposa angelical, meu verdadeiro amor,

filhos escolhidos são meu orgulho.

O Senhor é a minha Luz.

Sua verdade eterna, minha lei.

Minha alegria é servir outros.

Minha mensagem é, minha vida.”