Presidente Nelson e élder Cook aconselham os santos dos últimos dias equatorianos sobre como encontrar direção na vida

QUITO, Equador — Horas após conversar com o líder nacional da Colômbia sobre o impacto da religião nas comunidades e famílias, o presidente Russell M. Nelson olhou para a arena lotada no Equador e agradeceu aos 24.900 santos dos últimos dias por sua fé.

“Meu conselho hoje é muito simples”, disse ele. “Guardem os mandamentos de Deus.”

Na noite de segunda-feira, a congregação lotou o Coliseu General Ruminahui em Quito, que é considerada a segunda capital mais alta do mundo, localizada a 2.850 metros acima do nível do mar. Pela terceira vez nos últimos três dias, o presidente Nelson pediu permissão para discursar em espanhol.

“Lembrem-se de orar a Ele todas as manhãs e todas as noites”, disse ele. “Orem com sua família. Orem em particular. Orem ao Pai Celestial em nome de Jesus Cristo, por meio do poder do Espírito Santo. Ao fazê-lo, Ele dirigirá os seus caminhos para o bem em tudo o que fizerem.”

Emma Guaman, com sua neta no colo, Ariana Rodriquez, durante o devocional de ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.
Emma Guaman, com sua neta no colo, Ariana Rodriquez, durante o devocional de ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Credit: Ravell Call

O presidente Nelson prometeu à congregação que se eles “desfrutarem das palavras de Jesus Cristo e aplicarem Seus ensinamentos em sua vida cotidiana” e “forem fiéis no cumprimento dos mandamentos de Deus”, prosperarão.

Padrões morais e força

O devocional — que foi a terceira parada da ministração na América Latina que passará por cinco países em nove dias — aconteceu após uma reunião do presidente Nelson com o presidente colombiano Iván Duque, mais cedo em Bogotá. Acompanhado pelo élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, e pelo élder Enrique R. Falabella, setenta autoridade geral, o presidente Nelson disse que o presidente Duque expressou sua gratidão pela influência da Igreja em seu país, inclusive reforçando valores e trazendo alívio aos necessitados.

“Ele fez uma forte declaração sobre como os padrões morais e a força das várias comunidades religiosas são parte de sua esperança governamental”, disse o presidente Nelson. Ele deseja “todo o bem que possa conseguir” da Igreja e de outras religiões.

Leia mais histórias sobre a turnê de ministração na América Latina

O élder Cook disse que líderes governamentais como o presidente Duque, sentem-se familiarizados com o grande intelecto do presidente Nelson. Mas ficam surpresos por “sua bondade, humildade e pelo cuidado e atenção dedicados a eles.”

O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ao centro, e o élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, à esquerda, presenteiam o presidente da Colômbia, Iván Duque Márquez, à direita, durante o encontro em Bogotá, Colômbia, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.
O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ao centro, e o élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, à esquerda, presenteiam o presidente da Colômbia, Iván Duque Márquez, à direita, durante o encontro em Bogotá, Colômbia, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.

Eles falaram “sobre família e filhos e sobre tentar edificar lares melhores”, acrescentou élder Cook.

Quando o presidente Nelson perguntou ao presidente Duque como a Igreja poderia ajudá-lo, ele disse algo simples, mas claro, disse o élder Falabella.

“Ele disse: ‘Orem por mim, por favor’. “Isso é um sinal de que ele é um homem religioso e que acredita em Deus”, disse o élder Falabella.

Aproximar-se de Deus

Antes do devocional, o presidente Nelson também falou sobre a oração com um grupo de jovens.

Rosa Serrano, 17 anos, é a filha mais velha da família. Sua mãe está lutando contra um câncer em estágio avançado.

“Tenho conseguido me aproximar de Deus”, disse ela. “Ele tem me ajudado a enternecer o meu coração. O Senhor nos dá provações e Ele sabe que vamos vencê-las”.

Agora, depois de conhecer o presidente Nelson, disse ela “eu sei que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a Igreja verdadeira”.

Jovens participantes levantam-se a pedido do presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, durante o devocional na ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Nahomi Campo, ao centro.
Jovens participantes levantam-se a pedido do presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, durante o devocional na ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Nahomi Campo, ao centro. Credit: Ravell Call

Rosa disse que também sabe que, por meio da fé, pode vencer as provações.

Elian Aguirre, 15 anos, disse ao encontrar o presidente da Igreja: ‘Foi maravilhoso”.

“Foi belo sentir o Espírito. Foi tão bom apertar-lhe a mão. Não tenho palavras para descrever.”

Elian, que é o único santo dos últimos dias na família, disse que o presidente Nelson — que também era sozinho na Igreja na adolescência — deu-lhe coragem para ir para a missão e para convidar a sua mãe para a Igreja. 

‘Bom ânimo”

O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, beija a esposa, Wendy Nelson, após o discurso dela na ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.
O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, beija a esposa, Wendy Nelson, após o discurso dela na ministração na América Latina em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Credit: Ravell Call

A irmã Wendy W. Nelson também falou sobre o poder da fé no seu discurso no devocional. Ela falou para a congregação “orar pelo que precisam”.

“Irmãos e irmãs, testifico de que os céus se abrirão quando orarmos, dizendo: ‘Ajude-me a cumprir o propósito de minha criação’

“Os céus se abrirão e continuarão abertos enquanto agirmos de acordo com cada inspiração que recebermos.”

O élder Cook, que visita o Equador pela primeira vez, pediu aos santos dos últimos dias para “continuarem sintonizados na música da fé.”

Entendam que a fé em Jesus Cristo e o cumprimento de Seus mandamentos “é e sempre será o teste determinante da mortalidade”, disse ele. “Acima de tudo, cada um de nós precisa perceber que quando uma pessoa está surda para a música da fé, ele ou ela não está em sintonia com o Espírito.”

Citando o presidente Nelson, élder Cook disse que por meio de revelação pessoal, os santos dos últimos dias podem receber seu próprio testemunho de que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus, que Joseph Smith é um profeta e que esta é a Igreja do Senhor.

O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, e o élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, e sua esposa, a irmã Mary G. Cook, acenam para os participantes após o devocional em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.
O presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, e o élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, e sua esposa, a irmã Mary G. Cook, acenam para os participantes após o devocional em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Credit: Jeffrey D. Allred

“Nossa doutrina é clara: Devemos ser otimistas”, disse ele. “Enfatizamos a nossa fé, não os nossos temores. Alegramo-nos na afirmação do Senhor de que Ele irá nos ajudar e nos dará orientação e direção.”

A irmã Cook pediu à congregação para que ensine sobre Cristo aos seus filhos.

“Testifico de que nossos filhos serão abençoados ao ensiná-los em nosso lar”, disse a irmã Cook.

Os missionários chegaram ao Equador em 1965 e a Missão Equador foi criada cinco anos depois. Há atualmente 249.000 membros, 218 capelas e um templo no país.

O coro canta durante o devocional realizado em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019.
O coro canta durante o devocional realizado em Quito, Equador, na segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Credit: Jeffrey D. Allred