Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias patrocina sua primeira conferência na ONU em Genebra

Após ser nomeada diretora de Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias em 2011, Sharon Eubank viajou para Nova York. Como diretora da organização, que recebeu seu status consultivo oficial pelo Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas apenas meses antes, ela está ansiosa para compartilhar o trabalho maravilhoso que a organização tem feito.

“Eu fui para algumas agências da ONU e de outros parceiros e dei a eles nosso relatório anual e expliquei quem somos e a extensão do que estamos fazendo”, irmã Eubank disse, que agora serve como primeira conselheira da presidência geral da Sociedade de Socorro, relembrando sua viagem inicial como diretora para Nova York. “Mas uma mulher me disse, ‘Eu não quero ser rude, mas se isso fosse mesmo verdade, eu teria te escutado.”

Aquela simples interação ajudou a irmã Eubank a perceber que para alcançar algum tipo de serviço humanitário multilateral e multinacional ao redor do mundo que fosse necessário e desejado pela organização, Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias precisaria fazer um trabalho melhor ao apresentar pessoas ao mundo. A organização também precisava ser mais ativa ao participar de fóruns e conferências que trariam conexões e parcerias entre organizações com interesses similares, incluindo a ONU e seus parceiros associados.

Líderes da delegação mundial de religiões e caridades se reúnem em Genebra, Suíça, dia 17 de setembro, 2019.
Líderes da delegação mundial de religiões e caridades se reúnem em Genebra, Suíça, dia 17 de setembro, 2019. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Este ano, Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias mostrou quão longe chegaram como uma organização consultiva credenciada da ONU quando patrocinaram seu primeiro evento paralelo na sede da ONU em Genebra, Suíça. Um evento paralelo é uma conferência que traz partidos interessados em discutir juntos um tópico específico.

O evento paralelo também foi a primeira conferência que o bispo Gérald Caussé, bispo presidente da Igreja, atendeu em Genebra, e ele notou que ficou muito impressionado com a reputação dos Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias lá.

“Eu estava impressionado com quão confiável e reconhecido o nosso povo é”, ele disse. “Muito apreço foi expressado por outras organizações em favor dos Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias e da Igreja.”

Juntando parceiros de todo o mundo — incluindo diplomatas e líderes de vários países, assim como organizações parceiras como o United Nations Children’s Fund (UNICEF), Catholic Relief Services, International Rescue Committee e a African Union — os Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias patrocinaram uma conferência focada no tema de colaboração para avançar a educação entre populações deslocadas.

Em se tratando de refugiados e populações deslocadas, somente necessidades básicas como comida e abrigo podem ser cobertas pelo fundo de emergência das agências da ONU, irmã Eubank falou ao Church News. É por isso que, em sua plataforma inaugural, Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias escolheu focar na educação — que é uma área em que se faltam recursos atualmente.

“Nós queríamos ilustrar a situação que muitas famílias descoladas se encontram”, irmã Eubank disse. “Eles, na maior parte do tempo, não podem ir para casa, eles nem sempre são bem aceitos em lugares que estão morando e nesse meio tempo, a cada ano que passa, seus filhos não estão frequentando a escola. E isso cria um problema não só para essa geração, mas para a próxima. Então, queríamos trazer a atenção para esse tópico e procurar maneiras de resolver isso.”

Construindo parceiros colaboradores

Antes da conferência formal do evento paralelo, que aconteceu dia 17 de setembro, no Palais des Nations da ONU, Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias organizou uma recepção VIP para os oficiais em Genebra dia 16 de setembro. A recepção ofereceu a chance para mais colaboradores e parceiros entre os líderes e organizações que atenderam. 

“Temos nos envolvido em várias parcerias pelo mundo e gostaríamos de enfatizar a importância da parceria — que quando pessoas de todas as crenças e todas as origens se reúnem e tentam ajudar outros, podemos fazer coisas além do que conseguiríamos sozinhos”, bispo Caussé disse. “E pensamos que poderíamos facilitar a ideia ao colocarmos todos ao redor da mesa. Nós todos temos a mesma meta. Queremos ajudar pessoas e pensamos que podíamos ser facilitadores para alcançar isso.”

Uma audiência escuta ao painel de discussão na ONU, em Genebra, na terça, dia 17 de setembro, 2019. O evento foi organizado pelos Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias.
Uma audiência escuta ao painel de discussão na ONU, em Genebra, na terça, dia 17 de setembro, 2019. O evento foi organizado pelos Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Bispo Caussé disse que tinha esperança de que a recepção permitiria que os convidados sentissem o espírito da Igreja e aprendessem mais sobre sua história, propósito e serviços de caridade.

“Foi um evento lindo e teve um espírito maravilhoso lá”, bispo Caussé disse. “E irmã Eubank e eu, pegamos aquela oportunidade … de explicar um pouco mais sobre a conexão entre Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias e a Igreja.”

Genebra é uma das capitais do mundo, bispo Caussé disse, explicando porque eles decidiram fazer a conferência lá nessa época do ano.

Quase todo continente foi representado durante a conferência e isso “dá muita força à nossa mensagem porque pessoas entendem que somos uma crença global”, ele disse. “Somos a Igreja de Jesus Cristo; não estamos interessados em uma igreja americana. Somos uma igreja que realmente, verdadeiramente, participa da arena do mundo.”

Setembro também é uma época do ano em que aqueles envolvidos no Conselho de Direitos Humanos se reúnem em Genebra, irmã Eubank explicou, então a conferência ofereceu uma oportunidade perfeita de unir todos os parceiros necessários para realmente movimentar para frente a discussão colaborativa sobre a educação em populações deslocadas.

“Essa conferência foi realmente uma das primeiras vezes que juntamos esses setores diferentes para falar sobre como podemos cooperar melhor”, ela disse. “Estamos fazendo realmente um bom trabalho nos nossos setores, mas queríamos saber o que podia ser feito se cooperássemos juntos.”

Uma necessidade urgente de educação

Durante reuniões formais de conferência do dia seguinte, bispo Caussé ofereceu o primeiro discurso oficial focando na importância de parcerias entre os tipos de organizações e líderes que estavam presentes.

Irmã Sharon Eubank, presidente de Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias, apresenta sobre a organização durante recepção em Genebra, Suíça, dia 16 de setembro, 2019.
Irmã Sharon Eubank, presidente de Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias, apresenta sobre a organização durante recepção em Genebra, Suíça, dia 16 de setembro, 2019. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Ao compartilhar um relatório recente da UNHCR, bispo Caussé explicou que apenas 61% das crianças refugiadas atendem ao ensino infantil e menos ainda, cerca de 23%, atendem ao ensino fundamental. Quando comparados com as taxas globais de 92% e 84% de crianças capazes de atender ao ensino infantil e fundamental, respectivamente, a grande lacuna da educação entre populações refugiadas criará um abismo de ramificações contínuas por gerações e gerações, bispo Caussé explicou.

“Essas imagens apresentam um desafio impressionante que só será significativamente abordado por nosso trabalho unido”, ele disse. “Todos nós estamos aqui para unir forças em ajudar pessoas a encontrar esperança em suas vidas.”

Por exemplo, no campo de refúgio Bidi Bidi na Uganda, bispo Caussé disse, cada organização envolvida — entre líderes governamentais a ONGs (organizações não-governamentais) e organizações religiosas — trabalharam juntas para conseguir papéis diferentes, mas colaborativos que garantiam o acesso à educação e aos recursos educacionais para crianças em áreas deslocadas.

Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias organiza um evento na Organização das Nações Unidas em Genebra, Suíça, dia 17 de setembro, 2019.
Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias organiza um evento na Organização das Nações Unidas em Genebra, Suíça, dia 17 de setembro, 2019. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Essas parcerias podem “fazer muito para curar almas humanas, ao ajudarem a construir ou reconstruir a identidade fundamental das pessoas através de propósito, escolha, amigos e fé”, bispo Caussé disse na conclusão de seu discurso. Se esse trabalho é para continuar, organizações “precisam trabalhar diferentemente e em parceria para alcançarem nossa meta num mundo onde educação é acessível a todos os indivíduos independente de seus status”, ele acrescentou.

Seguindo o discurso do bispo Caussé, representantes da African Union e International Rescue Committee também falaram à audiência de cerca de 75 representantes. Depois, um painel de discussão se iniciou focando em como melhorar parceiros e alcançar às necessidades educacionais das populações deslocadas.

Para irmã Eubank, um dos melhores resultados da conferência foi o aumento da conscientização da urgência com relação aos problemas de educação para refugiados.

“Isso não é algo que podemos trabalhar nos próximos 30 anos e esperar que funcione”, ela disse. “Se não fizermos algo para resgatar a geração que foi pega agora mesmo … nós perderemos a chance e isso terá infinitas repercussões na sociedade. Então esta e a maneira.”

Olhando para o futuro

Quando se trata do trabalho humanitário multilateral, organizações tem que trabalhar com a ONU. Eles são, simplesmente, a única organização que pode efetivamente coordenar trabalho multilateral, irmã Eubank explicou.

A conferência patrocinada pelos Santos dos Últimos Dias foi uma ótima oportunidade de ilustrar o relacionamento de longa data que Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias tem como várias agências da ONU e organizações conectadas e permitirá o trabalho e colaborações contínuas em alguns dos tópicos e problemas que são mais importantes para Serviços Humanitários Santos dos Últimos Dias e a Igreja, ela disse.

Bispo presidente, Gérald Caussé, cumprimenta pessoas atendendo recepção em Genebra, Suíça, dia 16 de setembro, 2019.
Bispo presidente, Gérald Caussé, cumprimenta pessoas atendendo recepção em Genebra, Suíça, dia 16 de setembro, 2019. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

“O trabalho que queremos fazer é muito grande para fazermos sozinhos. Temos que colaborar com parceiros e permitir que cada organização realmente contribua com suas forças”, irmã Eubank disse.

Bispo Caussé acrescentou: “Eu acho que esse é só o começo do que queremos fazer. Queremos que o mundo reconheça a influência positiva que Santos dos Últimos Dias podem ter ao ajudaram os necessitados. Queremos não só ser reconhecidos, mas apreciados como pessoas de confiança e com grandes valores. Então, eu espero e confio que teremos outras conferências desse tipo em muitas outras áreas do mundo.”