Élder Holland explica como a BYU-Havaí é parte de um experimento para estabelecer Sião

Os Santos pioneiros sacrificaram dinheiro, tempo, trabalho e até lágrimas para a construção dos templos em Kirtland e Nauvoo. Mas ambos os templos foram abandonados pouco depois de sua finalização.

Dois dias após os primeiros Santos chegarem no Vale do Lago Salgado, o presidente Brigham Young declarou que um outro templo ainda seria construído. Para alguns Santos, a memória dolorosa do que havia acontecido em Ohio, Missouri e Illinois ainda estava muito recente.

Brigham Young não sabia qual seria a aparência do Templo de Salt Lake, quanto tempo demoraria para construí-lo ou que ele morreria 15 anos antes da finalização. Mas ele sabia que Deus queria que o trabalho fosse feito com fé.

A diligência e atitude de Brigham Young é refletida em sua declaração após o anúncio do templo: “Eu nunca me importei com nada além de uma coisa, que é, simplesmente saber que eu estou agora diante de meu Pai no Céu.”

“Sua preocupação não era com uma futura justificação ou com o ‘arco da história’. Sua preocupação era com o dever no presente”, disse élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos.

“Ele sabia que a jornada de mil milhas ou dez mil milhas, começa com um passo e ele colocou sua pá no chão para mais uma vez construir uma âncora para a cidade de Sião.”

Semanas antes do centenário da dedicação do Templo de Laie Havaí, élder Holland falou para estudantes da BYU-Havaí num discurso num devocional no dia 22 de outubro sobre o privilégio único que eles tinham de aprender tanto com o templo quanto com a universidade na meta profética de estabelecer Sião.

er Jeffrey R. Holland fala durante um devocional na BYU-Havaí no dia 22 de outubro.
er Jeffrey R. Holland fala durante um devocional na BYU-Havaí no dia 22 de outubro. Credit: Monique Saenz, BYU-Hawaii

Como demonstrado nos planos para Nauvoo, Illinois, o profeta Joseph Smith imaginou que a cidade ideal de Sião seria ancorada por um templo e uma universidade – uma casa de fé e uma casa de aprendizado.

BYU-Havaí é uma das quatro “estações experimentais na criação de Sião”, onde um templo e uma universidade unem-se numa continuação da jornada pelo sonho de Joseph Smith. BYU, BYU-Idaho e LDS Business College são as outras estações.

“Se vocês perseverarem por toda sua vida como começaram em seus programas acadêmicos aqui e se vocês forem fiéis ao que templos Santos dos Últimos Dias e universidades pregam – o que Sião prega – eu prometo a vocês, em nome do Senhor, que seu futuro se revelará como Ele destinou antes da fundação do mundo”, élder Holland falou a estudantes da BYU-Havaí.

Parecido com os templos de Kirtland, Nauvoo e Salt Lake, a construção do templo de Laie também foi uma história de fé – uma história que começou com uma impressão em 1864 de construir o templo e continuar por mais de 50 anos até que fosse dedicado no Dia de Ação de Graças, no dia 27 de novembro, 1919.

O Templo de Laie Havaí hoje serve aos Santos fiéis de Oahu, Kauai (o Templo de Kona Havaí tem servido ao resto do Havaí desde 2000) e das Ilhas Marshall no Pacífico Ocidental. Quando abriu pela primeira vez em 1919, ele serviu a todo o Havaí, as ilhas do Pacífico Sul e a Ásia.
O Templo de Laie Havaí hoje serve aos Santos fiéis de Oahu, Kauai (o Templo de Kona Havaí tem servido ao resto do Havaí desde 2000) e das Ilhas Marshall no Pacífico Ocidental. Quando abriu pela primeira vez em 1919, ele serviu a todo o Havaí, as ilhas do Pacífico Sul e a Ásia. Credit: Mike Foley

E essa mesma determinação e coragem marcou a história da BYU-Havaí, que começou como a Faculdade da Igreja do Havaí em 1955 com 153 estudantes ensinados em prédios excedentes da guerra.

“Sua história tem sido desafiadora, até angustiante em algumas décadas, dando a vocês um gostinho de Kirtland e do Condado de Jackson e Nauvoo pelo caminho”, élder Holland disse. “Mas aqui estão vocês, e seu sucesso é tão óbvio quanto sua persistência.

“Nem todo aspecto do futuro está claro … mas tudo sobre o experimento da BYU-Havaí, assim como tudo sobre este templo que fica no cume do monte a oeste de nós, é uma declaração de fé, uma declaração de sacrifício, uma declaração de profecia e pureza e milagres.”

O sucesso da BYU-Havaí e seus estudantes continuará a exigir fé e direção divina, ele disse.

Élder Holland encarregou que os estudantes declarassem por toda parte sua história na BYU-Havaí – que o que eles fizeram “importava na jornada para uma maneira única de aprender e finalmente viver, uma maneira que unisse razão e revelação, fé e intelecto, exaltando a mulher plena e o homem pleno em todo esse processo.”

Élder Jeffrey R. Holland e sua esposa, irmã Patricia Holland, andam no campus da BYU-Havaí no dia 22 de outubro.
Élder Jeffrey R. Holland e sua esposa, irmã Patricia Holland, andam no campus da BYU-Havaí no dia 22 de outubro. Credit: Trisha Panzo

Ele, então, acrescentou, “Testifico aos nossos amigos e vizinhos, chefes e empregados, que vocês ainda estão tentando ser ‘certos perante seu Pai no Céu’, … uma lição que vocês aprenderam na Universidade de Brigham Young-Havaí.”

Sejam fiéis, confiem em Deus e continuem se movendo. “Seu futuro é brilhante e as promessas de Deus para você são firmes”, élder Holland declarou.

Ele encerrou seu discurso parafraseando Brigham Young: ‘“Eu não sei onde estarei amanhã, nem sei quando esta (experiência da universidade será toda realizada, mas) isso eu sei – deverá haver uma (grande universidade) construída aqui. Eu sei que esse é o dever desse povo’ de continuar a construir uma grande universidade para o Senhor.’”

Antes de falar no devocional da BYU-Havaí, élder Holland presidiu uma conferência de estaca para a Estaca Waipahu Havaí com élder Voi R. Taeoalii, Setenta de Área, nos dias 19 e 20 de outubro.