Vídeo: presidente Nelson, élder Christofferson compartilham a ‘grande esperança’ que sentem pelo futuro da Igreja no Vietnã

Fazem 23 anos desde que um profeta visitou o Vietnã.

A primeira vez foi em 1966, quando o então-élder Hinckley viajou para o país e ofereceu uma oração na terra em nome do povo. Passariam 30 anos até que ele retornasse à área como presidente da Igreja.

No dia 17 de novembro, 2019, presidente Russell M. Nelson parou em Ho Chi Minh para falar com 432 Santos dos Últimos Dias. Num vídeo do Church News, presidente Nelson falou sobre como a Igreja tem crescido nas últimas décadas, citando que o presidente Hinckley conseguia “prever o que estamos vendo nesta noite.”

Élder D. Todd Christofferson, que acompanhou presidente Nelson em seu ministério, falou sobre a esperança que possuem a respeito do futuro da Igreja no Vietnã.

“A Igreja é jovem aqui. É jovem em termos de anos de presença … mas é dinâmica”, ele disse. “E por causa disso, tem-se grande esperança para o futuro.”

Presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, riem durante uma entrevista de mídia em Hanói, Vietnã, no domingo, dia 17 de novembro, 2019.
Presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, riem durante uma entrevista de mídia em Hanói, Vietnã, no domingo, dia 17 de novembro, 2019. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Presidente Nelson e élder Christofferson também mencionaram que as bênçãos prometidas para Santos dos Últimos Dias são as mesmas não importa a localização.

“O Senhor disse nos últimos dias que por mais que nossos números sejam poucos, nossos números estarão ainda assim armados com a retidão e o poder de Deus e grande glória”, disse presidente Nelson. “Então, provavelmente sempre seremos a minoria.”

Élder Christofferson acrescentou que tem muitas coisas maravilhosas à frente.

“Nós somos o fermento do pão, ao invés de o pão, mas isso faz toda a diferença e eles farão uma grande diferença”, ele disse. “Você consegue sentir, não consegue? – o que está vindo por causa do fermento deles, nesta sociedade, nesta nação.”