O que este novo Setenta Autoridade Geral aprendeu sobre ministrar em momentos de provações e perdas

Quando o Élder Jeremy R. Jaggi era adolescente, sua irmã Kristen, de 7 anos, contraiu uma bactéria que atacou seu cérebro. Os médicos disseram que ela não sobreviveria. 

O jovem Jeremy se ajoelhou ao lado de sua cama em casa, na cidade de Salt Lake City, e implorou ao Senhor para saber por que ela teria que morrer tão cedo. Sua irmã recebeu uma bênção do sacerdócio e, contra todas as probabilidades, sobreviveu.

Este foi um catalisador para que Jeremy, de 17 anos, “fizesse a vontade de Deus”, levando-o a fazer um estudo sério do Livro de Mórmon pela primeira vez. Ele então foi e serviu como missionário de tempo integral na Missão Ohio Cleveland. 

Voltou a cair de joelhos em uma oração desesperada anos depois, quando sua esposa, Amy, estava em trabalho de parto prematuro com seu terceiro filho.

“Naquele momento, senti uma paz avassaladora — que só pode ser descrita como os braços amorosos de um Pai Celestial, me envolvendo com a calidez do Espírito Santo”, disse ele. 

Essa paz os acompanhou pelo pouco tempo que o bebê viveu e os meses de luto que se seguiram com outro aborto. “Todos passamos por ‘adversidades’ à nossa maneira”, disse ele, “mas ainda ‘contamos com toda a alegria’ que o Salvador nos proporcionou para termos paz e felicidade”, disse o Élder Jaggi mencionando o lema da família encontrado em Tiago 1:2.

Élder Jeremy R. Jaggi
Élder Jeremy R. Jaggi Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Jeremy Robert Jaggi nasceu em Salt Lake City, Utah, no dia 23 de março de 1973, filho de Robert Stanley Jaggi e Judy Anne Roos. Quando era jovem morando em Salt Lake City, o Élder Jaggi observava seus pais servirem as pessoas da vizinhança. Ele se lembra de seu pai, que era carteiro, dando várias bênçãos do sacerdócio. Entendeu desde cedo que o poder do sacerdócio era real.

“A maneira como olhamos para o trabalho de ministrar agora é como meus pais sempre ministraram — individualmente”, disse ele. 

Pouco depois de voltar para casa, ao término de seu serviço de tempo integral na Missão Ohio Cleveland, o Élder Jaggi conheceu uma jovem chamada Amy Stewart, no casamento de um bom amigo. Ela havia retornado um ano antes da Missão Alemanha Frankfurt.

“Ao longo daquele dia, nos pegávamos olhando um para o outro”, disse a irmã Jaggi.

Mais tarde naquela noite, enquanto jogava basquete com seus amigos, o Élder Jaggi lhes disse que iria convidá-la para um encontro. 

“Eles literalmente riram de mim e disseram: ‘Ó, ela está saindo com rapazes que terminaram a universidade e já estão trabalhando, e você acabou de chegar da missão. Você é ajudante de garçom no Restaurante Roof’ — e era mesmo”, disse rindo. Mas ele estava determinado. 

Na semana seguinte, o Élder e a irmã Jaggi tiveram seu primeiro encontro. Eles se casaram no Templo de Salt Lake no dia 12 de junho de 1995.

Em sua ala familiar na Universidade de Utah, o Élder Jaggi serviu como presidente do quórum de élderes e o Élder Dale G. Renlund, hoje do Quórum dos Doze Apóstolos, era seu presidente de estaca então. “Tive a oportunidade de me encontrar com ele todos os meses”, disse.

Élder Jaggi recebeu o bacharelado em Ciência na área de Ciência Comportamental e Saúde pela Universidade de Utah em 1997, e completou o Mestrado Executivo em Administração de Empresas (MBA) pela Universidade Pepperdine em 2002. 

Sua carreira em marketing e vendas de biotecnologia fez com que a família se mudasse de Monterey, na Califórnia, para Issaquah, em Washington; Henderson, em Nevada; Salt Lake City; e Newbury Park, na Califórnia. 

O Élder e a irmã Jaggi têm cinco filhos. Eles agradecem aos muitos bispos, membros da ala e vizinhos que ajudaram em momentos de provações e perdas, pois sofreram abortos e lutaram contra a infertilidade.

“Apenas vemos os desígnios divinos de Deus trazendo pessoas diferentes para nossa vida”, disse a irmã Jaggi. “Elas eram anjos de plantão.”

A irmã Jaggi se lembra da presidente da Sociedade de Socorro que a levou para o hospital quando estava em trabalho de parto prematuro e da professora visitante que estava ao seu lado quando o Élder Jaggi estava fora da cidade. Sua outra professora visitante tinha perdido dois bebês natimortos e entendia o que ela estava passando. 

Pouco depois que o bebê do casal Jaggi morreu, uma das irmãs que a irmã Jaggi visitava perdeu um filho. “Pude dizer: ‘Estou aqui. Posso abraçá-la. Estou devastada com você’.”

“Havia uma infraestrutura de pessoas que sabiam, cujo coração poderia ir para aquele lugar”, disse a irmã Jaggi. “(O Pai Celestial) me cercou delas. Tiveram contato comigo por causa do programa de professoras visitantes.”

Enquanto o Élder Jaggi refletia sobre as experiências de sua família e seus chamados anteriores, disse: “A única coisa que aprendi é que Deus usa pessoas comuns e as ajuda a fazerem coisas extraordinárias”.

“Não se trata de quem somos, mas de quem podemos nos tornar por meio de Jesus Cristo”

Enquanto moravam em Newbury Park, o Élder e a irmã Jaggi receberam o chamado para presidir a Missão Utah Ogden. Eles nunca se esquecerão da entrevista exploratória com o então Élder Russell M. Nelson por videoconferência.

“Ele foi tão doce, carinhoso como um avô e tão amoroso”, disse o Élder Jaggi. “No final da ligação, ele disse: ‘Posso dar um abraço em vocês dois?’ então foi até o monitor e nos deu um abraço virtual.”

Ao presidirem a Missão Utah Ogden de 2015 a 2018, o Élder e a irmã Jaggi serviram com missionários do mundo todo, bem como com missionários seniores da área da grande Ogden. 

“Amamos nossos missionários”, disse o Élder Jaggi. “Agora, eles são uma extensão da nossa família.”

Servir no norte de Utah também foi especial para o Élder Jaggi, pois seus antepassados da Suíça se estabeleceram em Logan e Brigham City. Ele encontrou pessoas em conferências de estaca que conheceram os irmãos de seu avô. “Em muitos lugares onde íamos, um Jaggi aparecia do nada”, disse.

O Élder Jaggi também serviu na Igreja como professor de preparação missionária, secretário executivo assistente, bispo, conselheiro na presidência dos Rapazes da ala, líder de missão da ala e professor do Seminário. 

“Meu chamado favorito é ser irmão ministrador e mestre familiar”, disse. “Gosto disso porque é o que o Senhor faria se Ele estivesse aqui agora. Ele sairia e ministraria individualmente.”

Élder Jaggi estava servindo como setenta de área na Área Utah e trabalhando para a Alkermes Inc. e gerenciando imóveis comerciais na HCA Investments LLC na ocasião de seu chamado. 

E conforme esperam ansiosamente pelos próximos anos de serviço, o Élder Jaggi encontra consolo na frase frequentemente citada pelo Presidente Thomas S. Monson: “O Senhor qualifica aquele a quem chama”.

“Confio nesta promessa”, disse o Élder Jaggi. “Não se trata de quem somos, mas de quem podemos nos tornar por meio de Jesus Cristo … ao trilharmos este maravilhoso caminho do convênio, como o Presidente Nelson descreveu para nós.”

A irmã Jaggi acrescentou: “Estou muito animada para seguir em frente e procurar escutar, ouvir e obedecer a voz do Senhor, como nosso profeta disse.”