Presidente Cordon fala sobre as mulheres e o sacerdócio — Aumentar o poder através do serviço

Nota do editor: Esta história é parte da série do Church News intitulada “Mulheres do Convênio”, em que mulheres da Igreja discutem suas experiências pessoais com o poder do sacerdócio e compartilham o que aprenderam por seguirem o conselho do Presidente Russell M. Nelson de “trabalhar com o Espírito para compreender o poder de Deus — o poder do sacerdócio” (“Tesouros Espirituais”, Conferência Geral, outubro de 2019).

É dando que recebemos. Aprendi isto com a irmã Amy Wright. No final de 2015, Amy foi diagnosticada com câncer no estágio quatro e sua chance de sobreviver era de 17%. Seus médicos explicaram que o tratamento para o seu tipo de câncer era tão invasivo e doloroso que, embora fosse sua única esperança, muitos pacientes tinham dificuldade em terminá-lo.  

Amy começou o tratamento e, assim como os médicos disseram, danificou seu corpo e mente. Um dia ela declarou ao seu marido: “Desisto!” Estava emocional e fisicamente esgotada e sabia que não conseguiria continuar sem a maravilhosa assistência divina. Amy explicou o que aconteceu a seguir: “Em sua sabedoria, meu amado marido ouviu pacientemente e então respondeu: ‘Bem, então precisamos encontrar alguém para servir.’”

Como família, encontraram maneiras de servir a outros. Mesmo durante suas noites sem dormir, Amy preparava nomes para o templo ou enviava a outros um curto bilhete ou uma mensagem de texto carinhosa e de encorajamento. 

A presidência e junta geral das Moças posam para uma foto em Goshen, Utah.
A presidência e junta geral das Moças posam para uma foto em Goshen, Utah. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Em sua luta por vida, Amy descobriu a verdade da promessa do Presidente Russell M. Nelson: “Seu poder aumentará à medida que servirem ao próximo” (“Tesouros Espirituais”, Conferência Geral de Outubro de 2019). Hoje, ela está saudável e continua a servir, tanto de forma grande como pequena.

Servir a outros é uma fonte de força, mesmo quando nos sentimos fracos. Quando servia, Amy se sentia forte física e espiritualmente, mas a força emocional que recebeu foi verdadeiramente mais do que poderia ter imaginado. Ela teve um gostinho do que o Élder Neal A. Maxwell prestou testemunho, tanto em palavra quanto em ação: “A empatia durante a agonia é uma porção da divindade!” (“As Mulheres de Deus”, Liahona, maio de 1978).

O rei Benjamim declarou que o serviço era uma das chaves para desvendar os mistérios de Deus. “[Abri] … vossa mente para que os mistérios de Deus vos sejam revelados. … E eis que vos digo estas coisas para que aprendais sabedoria; para que saibais que, quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de vosso Deus” (Mosias 2:9,17). 

A irmã Amy Wright é membro da junta geral das Moças.
A irmã Amy Wright é membro da junta geral das Moças. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Poder, sabedoria e entendimento dos mistérios de Deus — se o serviço nos dá acesso a estas promessas arrebatadoras, talvez a próxima pergunta devesse ser: “Neste mundo, acaso, fiz hoje eu?  A alguém um favor ou bem?” (Hinos, #136).

O serviço aumenta nossa alma, amplia nossa perspectiva e nos permite recorrer ao poder de Deus com mais abundância. O Senhor sabe disto, mas Satanás também sabe. Com sua sempre vigilante tentativa de nos afastar do poder de Deus, o adversário nos subjugaria, ou faria com que sentíssemos que o que temos a oferecer é inadequado. 

Em mais uma bela parte da história da irmã Wright, ela me apresentou a Irmgard Dixon, que nasceu na Alemanha em 1932. Amy disse: “Irmgard apareceu na varanda da frente de minha casa, em uma tarde de verão, cerca de um mês após completar meu último tratamento de quimioterapia.  Em seus braços havia uma pequena bolsa de ‘tesouros’.  Ela confessou que queria me dar algo por muitos meses, mas um pensamento não lhe saía da cabeça: ‘Quem sou eu para ir visitar a irmã Wright?’”

Irmgard havia permitido temporariamente que o adversário lhe roubasse o poder que ela teria através do serviço. Amy continuou: “Ela, então, continuou a tirar, um por um, pequenos presentes que haviam lhe trazido conforto durante a guerra; pequenos tesouros de visão, paladar e olfato que a confortaram quando jovem na Alemanha e estava com medo.  Estávamos as duas na minha varanda, chorando.  Mal sabia o quanto precisaria da sua coragem nos meses seguintes, quando descobri que o meu câncer não estava curado e muitas cirurgias ainda seriam necessárias.” 

Esta lição está agora gravada no coração de Amy: nunca duvide de um ato de bondade. 

A irmã Jean B. Bingham, presidente geral da Sociedade de Socorro, e a irmã Bonnie H. Cordon, presidente geral das Moças, leem mensagens escritas por crianças que receberam ajuda no Centro de Justiça Avenues Children na quarta-feira, 27 de junho, 2018.
A irmã Jean B. Bingham, presidente geral da Sociedade de Socorro, e a irmã Bonnie H. Cordon, presidente geral das Moças, leem mensagens escritas por crianças que receberam ajuda no Centro de Justiça Avenues Children na quarta-feira, 27 de junho, 2018. Credit: Laura Seitz, Deseret News

Se intencionalmente fizermos do serviço ao próximo, uma parte da nossa vida, descobriremos os mistérios de Deus. Descobriremos paz, encontraremos força e receberemos mais poder ao servirmos ao nosso Salvador, Jesus Cristo e nos esforçarmos para sermos Suas mãos para elevar e abençoar aqueles ao nosso redor.

O Presidente Spencer W. Kimball confirmou que é através do serviço que descobrimos “a vida abundante mencionada nas escrituras. … Tornamo-nos mais substanciais ao servirmos outros — de fato, é mais fácil ‘nos encontrarmos’ porque há muito mais de nós para encontrar” (A Vida Abundante”, Liahona, julho de 1978).

“Portanto, amados irmãos, façamos alegremente todas as coisas que estiverem a nosso alcance; e depois aguardemos, com extrema segurança, para ver a salvação de Deus e a revelação de seu braço” (Doutrina e Convênios 123:17).