A irmã Franco fala sobre as mulheres e o sacerdócio — Atrair o poder do Salvador

Nota do editor: Esta história é parte da série do Church News intitulada “Mulheres do Convênio”, em que mulheres da Igreja discutem suas experiências pessoais com o poder do sacerdócio e compartilham o que aprenderam por seguirem o conselho do Presidente Russell M. Nelson de “trabalhar com o Espírito para compreender o poder de Deus — o poder do sacerdócio” (“Tesouros Espirituais”, Conferência Geral, outubro de 2019).

O seguinte ensinamento do Presidente Russell M. Nelson fala ao meu coração: “À medida que sua compreensão aumentar e ao exercerem fé no Senhor e em Seu poder do sacerdócio, sua capacidade de fazer uso do tesouro espiritual que o Senhor disponibilizou aumentará”.

O Presidente Nelson também faz a seguinte pergunta: “Mas, como o faremos? Como atrair o poder do Salvador para minha vida?”

Por meio de minhas próprias experiências de vida, sei que guardar os mandamentos do Senhor, ter fé e confiar plenamente Nele são maneiras de acessar Seu poder do sacerdócio. Lemos em Doutrina e Convênios que quando o seguirmos com fé, “então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; e a doutrina do sacerdócio destilar-se-á sobre tua alma como o orvalho do céu” (Doutrina e Convênios 121:45). 

A irmã Cristina B. Franco, segunda conselheira na presidência geral da Primária, fala durante a sessão da manhã de domingo na 189ª Conferência Geral Semestral da Igreja, no dia 6 de outubro de 2019.
A irmã Cristina B. Franco, segunda conselheira na presidência geral da Primária, fala durante a sessão da manhã de domingo na 189ª Conferência Geral Semestral da Igreja, no dia 6 de outubro de 2019. Credit: Captura de tela

Deixe-me compartilhar uma experiência pessoal para ilustrar este princípio. 

Há 15 anos, fiz uma cirurgia ocular. No começo, estava animada para ter melhor visão. Mas na sala de espera do consultório médico, fiquei surpresa ao ler que 1 em cada 1.000 pacientes perdem a visão e ficam cegos ao realizar esta cirurgia.

Essa estatística permaneceu na minha mente quando o médico me disse que provavelmente eu jamais teria visão 20/20. Mas, adicionou, eu melhoraria a ponto de conseguir ler impressões menores na tabela de teste de visão, pelo menos três ou quatro linhas abaixo do que conseguia ler naquele momento. 

Quando cheguei em casa, meu querido marido perguntou sobre a consulta. Eu disse a ele o que o médico tinha dito e depois lhe contei sobre meu medo, depois de saber que 1 em cada 1.000 pessoas poderia perder a visão. 

Sua resposta foi “Uau, esse número é muito baixo!”  

Respondi: “Mas e se eu for essa pessoa? Você sabe que minha visão não é perfeita, mas ainda consigo ver. Acho que não quero fazer a cirurgia”. 

Ele então me perguntou algo que nunca esquecerei: “Cris, e se o Pai Celestial permitir que você perca a visão?” 

Respondi: “Mas por que motivo Ele faria isso? Ele sabe que preciso enxergar”. 

Ele então perguntou: “Mas você se submeteria à Sua vontade?” 

Não sabia o que dizer, então disse o que sabia: “Tenho fé no fato de que, para o Senhor, nada é impossível. E tenho fé para ser curada. Você pode me dar uma bênção para que tudo corra bem?” 

Ele sorriu e disse: “Claro”.

A irmã Becky Craven, da presidência geral das Moças, e a irmã Cristina B. Franco, da presidência geral da Primária, posam para uma foto com um grupo após um treinamento em Guadalupe, durante sua visita à Área Caribe
A irmã Becky Craven, da presidência geral das Moças, e a irmã Cristina B. Franco, da presidência geral da Primária, posam para uma foto com um grupo após um treinamento em Guadalupe, durante sua visita à Área Caribe Credit: Intellectual Reserve, Inc.

No dia da cirurgia, meu marido me deu uma bênção e fomos à clínica. Enquanto esperava, orei ao meu Pai Celeste, expressando os sentimentos de meu coração e Lhe disse que não importava o que acontecesse, mesmo que tivesse que ficar sem visão pelo resto da vida, eu aceitaria Sua vontade e isso jamais afetaria minha fé Nele ou em meu Salvador. 

Fiz o procedimento e, uma hora depois, fui para casa. 

Três dias após a cirurgia, voltei para minha consulta de acompanhamento. Meu médico me pediu para ler as menores letras que eu pudesse na tabela de teste na parede. Ao ler a menor fileira, o médico disse com surpresa: “Sua visão está perfeita. Você tem visão 20/20! Não sei como ficou assim”. 

Ó, mas eu sabia! Sabia que o milagre da cura tinha acontecido por causa da fé no Senhor Jesus Cristo. Submeti minha vontade à vontade do Senhor. Quando entrei no meu carro, abri o coração, cheio de gratidão, ao meu Pai Celestial por Sua terna misericórdia.

Os milagres acontecem como testemunho “depois da prova de [nossa] fé” (Éter 12:6).

Às vezes, no entanto, esses milagres parecem diferentes do que esperamos. O Élder David A. Bednar explicou: “Há dimensões complementares de fé — fé para fazer as coisas acontecerem e para aceitar as coisas que acontecem. Um discípulo tem que ter as duas. Temos que estar dispostos a agir e esperar no Senhor” (David A. Bednar, “Fé no Salvador — um Princípio de Ação e Poder”, discurso feito em um devocional da BYU-Idaho, no dia 22 de setembro de 2019).

A irmã Cristina B. Franco compartilha fotos com irmãs em uma reunião em Porto Príncipe, no Haiti.
A irmã Cristina B. Franco compartilha fotos com irmãs em uma reunião em Porto Príncipe, no Haiti. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

O acesso ao poder e às bênçãos do sacerdócio estão disponíveis para todos.  À medida que permanecemos fiéis, podemos receber esses poderes e bênçãos do sacerdócio em todos os aspectos de nossa vida.  Ele pode nos fornecer proteção, consolo, força, paz e promessas que alcançam as eternidades. Através desse poder do sacerdócio, o Espírito Santo também me ajuda a recordar experiências em minha vida que continuam a edificar meu testemunho e minha fé em Deus.

Presto testemunho de que, conforme exercemos fé no Senhor e em Seu poder do sacerdócio, nos aproximando Dele e nos submetendo à Sua vontade, veremos muitos milagres em nossa vida.