Presidente Cordon no Seminário para nova Liderança de Missão: Um padrão de edificação para o trabalho missionário

O serviço missionário é um elemento que define a vida da presidente Bonnie H. Cordon. Além de ter servido sua própria missão de tempo integral em Portugal, ela observou seus pais, Harold e Carol Hillam, servirem juntos enquanto seu pai presidia uma missão. Mais tarde, serviu ao lado do marido, Derek Cordon, enquanto ele presidiu a Missão Brasil Curitiba.

“O trabalho missionário é um dos trabalhos mais agradáveis e enternecedores do Reino de Deus”, disse ela no dia 27 de junho no Seminário para nova Liderança de Missão 2020. “Posso não dizer o número exato de batismos que Derek e eu tivemos em nossos anos somados como missionários de tempo integral, mas posso conversar com vocês por horas sobre as pessoas. Essa é a alegria do serviço missionário.

“Pelo resto da vida, o nome e o rosto de membros e missionários ficarão gravados em seu coração. Sua capacidade de amar e o grande número de pessoas que vocês amam crescerá exponencialmente.”

O trabalho missionário, acrescentou a presidente Cordon, é muito mais do que batizar novos membros — trata-se de nutrir discípulos de Jesus Cristo para toda a vida. “Regozijamo-nos quando eles escolhem ser batizados, mas nada se compara à gratidão completa da alma quando estes fiéis conversos permanecem firmes na fé em Cristo.”

Presidente Bonnie H. Cordon e seu marido, Derek Cordon, em frente ao muro de contenção que fica ao lado de sua casa em Bountiful, Utah. Este muro serviu para ilustrar uma metáfora sobre o alicerce da fé, durante o Seminário para nova Liderança de Missão 2020.
Presidente Bonnie H. Cordon e seu marido, Derek Cordon, em frente ao muro de contenção que fica ao lado de sua casa em Bountiful, Utah. Este muro serviu para ilustrar uma metáfora sobre o alicerce da fé, durante o Seminário para nova Liderança de Missão 2020. Credit: Cortesia de Bonnie H. Cordon

A retenção desses membros novos — e a dos missionários que os ensinaram — no evangelho durante as gerações futuras é a verdadeira medida do sucesso.

Há um muro de contenção com aproximadamente 9 metros de altura ao lado da casa da presidente Cordon em Bountiful, Utah. Esta estrutura física, com seu alicerce seguro e camadas reforçadas, é um símbolo do que significa edificar algo projetado para suportar as tempestades da vida e o desgaste cotidiano. Ele é edificado tendo em mente a resistência futura.

Então, perguntou a presidente Cordon, o que acontece quando este mesmo padrão de construção é aplicado ao trabalho missionário?

“Começamos com um alicerce firme, ancorado em nosso Salvador, Jesus Cristo. Reforçamos esse alicerce e cada camada de crescimento com relacionamentos firmes. Edificamos ao convidar aqueles a quem ensinamos a serem contribuintes ativos no trabalho — agora. Linha sobre linha, tijolo sobre tijolo, lhes comunicamos que são necessários e que fazem parte.”

Ancorados em Cristo

Os missionários estabeleceram o alicerce ancorado no Salvador para aqueles que ensinam.

“O Livro de Mórmon é a pedra fundamental, com sua poderosa evidência da divindade de Cristo e a prova da Restauração por meio do Profeta Joseph Smith”, ela afirmou.

Esse alicerce é então expandido por meio de lições sobre a Restauração, o Plano de Salvação, a doutrina de Cristo e as leis e ordenanças do evangelho, como descrito em “Pregar Meu Evangelho”. Esse alicerce seguro então é selado com o testemunho do Espírito Santo.

Quando os trabalhadores construíram o muro de contenção ao lado da casa da presidente Cordon, todas as pedras do alicerce foram fixadas no solo para mantê-las estáveis e seguras. O “solo”, que mantém os membros seguros à sua fé, são as relações que constroem com outros fiéis.

Relacionamentos Firmes

Os relacionamentos firmes com os membros novos são constantes, duradouros e consistentes.

“Também amo a segunda metade dessa palavra em inglês – steadfast [fast = rápido]”, disse a presidente Cordon aos presidentes de missão e respectivas companheiras. “Quanto mais rápido pudermos conectar aqueles que estão interessados no evangelho com membros locais e líderes, mais eles sentirão que fazem parte.

O presidente Micah D. Rolfe, à direita, e a sister Marie Rolfe, que em breve presidirão a Missão Nova Jersey Morristown, participam do Seminário para nova Liderança de Missão 2020 de sua casa em Surprise, estado do Arizona, nos Estados Unidos.
O presidente Micah D. Rolfe, à direita, e a sister Marie Rolfe, que em breve presidirão a Missão Nova Jersey Morristown, participam do Seminário para nova Liderança de Missão 2020 de sua casa em Surprise, estado do Arizona, nos Estados Unidos. Credit: Foto cortesia da sister Marie Rolfe

“Instruam seus missionários que não esperem até que seus investigadores sejam batizados para começar a desenvolver este tipo de amizade. Mesmo quando estão apenas conhecendo o evangelho, muitas pessoas começarão a perder amigos e familiares. Grande parte de seu sistema de apoio talvez sucumba. Os missionários podem preencher parte desta lacuna, mas precisamos de metros, quilos, até mesmo toneladas de apoio para sustê-los.”

Além de um testemunho do Livro de Mórmon, os relacionamentos bem edificados terão maior influência na retenção dos membros novos, acrescentou. Eles confiam intensamente em sua amizade com os missionários que os ensinaram. Mas também precisam ser envolvidos por uma “nuvem de testemunhas” que possam apoiar seu crescimento e aumentar sua retenção.

“Conforme os missionários incentivam e alimentam os laços de amizade com aqueles a quem ensinam, ir à Igreja fará com que eles sintam que estão indo para casa. Eles saberão que pertencem à família de uma ala ou ramo amoroso.”

A presidente Cordon acrescentou que também é vital que os missionários adquiram habilidades que precisarão para se comunicarem e se conectarem efetivamente com os membros, permitindo que ambos trabalhem lado a lado com os membros novos.

Engajados no trabalho

Uma vez que um alicerce firme e relacionamentos seguros estejam em vigor com os membros novos, é essencial edificar uma “conversão profunda”, disse a presidente Cordon.

Tal “edificação” acontece ao se “engajar” os membros novos no trabalho do evangelho. “Todos precisamos sentir que somos necessários e fazemos parte de uma causa maior do que nós mesmos.” “Nossa causa é a causa de Cristo. Melhor, impossível.”

Convidem as pessoas que estão conhecendo o evangelho e os membros novos a assumirem um papel ativo no estabelecimento de Sião. 

“O que aconteceria”, perguntou a presidente Cordon, “se nós pedíssemos àqueles a quem estamos ensinando que sejam um amigo, e não apenas recebam um amigo? Como se sentiriam se soubessem que fazem parte deste trabalho com a incumbência de cuidar e não de apenas receber cuidado de alguém? 

“Permitam-lhes sentir o testemunho que recebem quando servem e se sacrificam por outras pessoas.”

O Senhor conhece cada pessoa que os missionários estão ensinando. Elas lutaram ao lado Dele para defender o plano do Pai antes de virem à Terra. Foram preparadas para serem “contribuintes ativos” em Seu reino.

Um monitor mostra um número de 135 casais de novos presidentes de missão, e respectivas companheiras, participando do Seminário para nova Liderança de Missão virtual 2020.
Um monitor mostra um número de 135 casais de novos presidentes de missão, e respectivas companheiras, participando do Seminário para nova Liderança de Missão virtual 2020. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Os três elementos-chave da retenção de membros — estar ancorados em Cristo, estabelecer relacionamentos firmes e se engajar no trabalho — não funcionam de forma independente, ensinou a presidente Cordon. Eles trabalham em sincronia.

Cada um desses elementos também pode ser um ponto forte na vida dos missionários.

“Vocês têm um único papel como líderes de missão — não só têm a visão e o testemunho sobre a retenção, mas também têm a oportunidade de edificar missionários que sejam capazes de ajudar outras pessoas a se tornarem discípulos de Cristo por toda a vida”, disse a presidente Cordon. “A parte mais bela de ajudar seus missionários a terem a visão da retenção é que eles mesmos entenderão melhor essas verdades eternas. Vocês aumentarão o desejo deles de se manterem firmes na fé em Cristo.”

Para os membros novos e missionários, uma vida edificada sobre a “Rocha de seu Redentor” permitirá que permaneçam firmes para sempre na fé.