Presidente Jones fala sobre lições ensinadas por mulheres e crianças pioneiras: ‘Somos capazes de realizar coisas difíceis’

A vida da tataravó da presidente da Primária Joy D. Jones — Helen Adelia Gibson Ellsworth, ou “Tia Nell”, como era conhecida pela família e pelos amigos — começou na trilha dos pioneiros. 

Helen nasceu na parte de trás de um carroção, 10 dias antes de seus pais chegarem ao Vale do Lago Salgado. Como a mais velha de 10 filhos, Helen frequentemente cuidava da família quando sua mãe — a mais velha de 22 filhos — estava com a saúde debilitada. 

“Quando Helen tinha 15 anos, tomava conta da casa”, disse a presidente Jones. “Ela cuidava de seus irmãos e de sua querida mãe inválida. Ela cozinhava sobre o fogo, costurava roupas à mão, fazia velas e trabalhava com tecelagem.

“Fico simplesmente maravilhada com as coisas que ela realizou. Percebo hoje que o DNA dela está em mim. Sou capaz de realizar coisas difíceis também.”

Uma foto da tataravó da presidente Joy D. Jones, Helen Adelia Gibson Ellsworth, com seu marido, Brigham Henry Ellsworth.
Uma foto da tataravó da presidente Joy D. Jones, Helen Adelia Gibson Ellsworth, com seu marido, Brigham Henry Ellsworth. Credit: Cortesia de Joy D. Jones

Sentada em frente ao Memorial das Crianças Pioneiras no Parque Patrimonial Este É o Lugar em Salt Lake City, conforme o Dia dos Pioneiros se aproxima, a presidente Jones refletiu sobre o legado das mulheres e crianças pioneiras e como os santos dos últimos dias podem honrar a herança que lhes foi deixada.

Mulheres e crianças pioneiras

Ao ler histórias dos primeiros santos que cruzaram as planícies, a presidente Jones disse que extraiu forças do exemplo de irmandade que havia entre as mulheres pioneiras — “como elas devem ter compartilhado seus pensamentos e incentivos umas com as outras, se divertido umas com as outras, e chorado no ombro umas das outras.”

Muitas mulheres enfrentaram desafios difíceis, como enterrar um filho ao longo da trilha. Mas, quando isso acontecia, “elas impulsionavam umas às outras e estavam lá, umas para as outras”, disse ela. Elas compartilhavam o pouco que tinham. Ajudavam a cuidar dos filhos umas das outras. Elas viviam sua religião.

“Sinto que isso é um grande legado para nós, como mulheres, olhar para trás e perceber o amor que essas irmãs compartilhavam umas com as outras”, disse a presidente Jones. “Somos mais fortes unidas do que sozinhas. Precisamos umas das outras. Nós nos apoiamos, nos fortalecemos e somos melhores devido a umas com as outras.”

A presidente geral da Primária, Joy D. Jones, sorri antes de uma entrevista no Memorial das Crianças Pioneiras no Parque Patrimonial Este É o Lugar em Salt Lake City na segunda-feira, dia 15 de junho de 2020.
A presidente geral da Primária, Joy D. Jones, sorri antes de uma entrevista no Memorial das Crianças Pioneiras no Parque Patrimonial Este É o Lugar em Salt Lake City na segunda-feira, dia 15 de junho de 2020. Credit: Scott G Winterton, Deseret News

As crianças pioneiras, também eram fortes, continuou ela. “Que dádiva isso é para nossos filhos, reconhecer esses preciosos pequeninos que caminharam dia após dia, seguindo o exemplo de seus pais, fazendo o que lhes foi pedido e mantendo sua fé firme em Jesus Cristo.”

Embora os desafios dos jovens de hoje sejam diferentes daqueles que as crianças pioneiras enfrentaram, “Nossos filhos podem olhar para essas crianças do passado e perceber que foi difícil para elas, pois realizaram coisas difíceis. E nossos filhos hoje realizam coisas difíceis também.” 

A presidente Jones incentivou os pais a ensinarem os filhos sobre os pioneiros em sua família e como eles agiram de acordo com as revelações que recebiam para orientar sua jornada. Estudos mostram que as crianças que sabem mais sobre suas famílias são mais fortes e resistentes, disse ela.

“Elas percebem que são parte de algo maior que elas mesmas — que possuem um senso de pertencimento, bem como estão em um lugar importante e têm um papel importante a desempenhar”, disse.

Presidente Ballard encoraja os santos a ‘se lembrarem das histórias dos pioneiros’

Enquanto viajava pelo mundo, a presidente Jones conheceu muitas crianças pioneiras modernas “realizando coisas difíceis”. Embora essas crianças vivam em diferentes países e falem idiomas diferentes, há uma coisa que têm em comum: “Estão sempre sorrindo.”

Por exemplo, “Observei algumas crianças enquanto trabalhavam ao lado de seus pais e, em seguida, levavam seus produtos para o mercado. Eles ficavam juntos lá o dia todo, e a noite também, vendendo seus produtos”, disse a presidente Jones. 

Repetidamente ela viu como as crianças estão “muito ansiosas para participar, servir e ajudar. … Elas têm coragem. Elas têm fé” — assim como as crianças pioneiras.

Honrando a herança pioneira

Enquanto estava em frente à lápide de sua outra tataravó, Miriam Angeline Works Young, em Mendon, Nova York, no verão passado, a presidente Jones disse que sentiu uma forte conexão com seus antepassados. 

“A vida deles foi importante. A vida deles ainda importa. Senti uma profunda e terna gratidão. Foi um momento poderoso”, disse ela. “Senti a finura do véu e percebi que todos nós somos parte deste trabalho juntos, em ambos os lados do véu.”

O Dia dos Pioneiros é uma oportunidade para “pausar” e refletir sobre “o privilégio de se fazer parte de uma família”, disse a presidente Jones. “Ficamos muito ocupados no presente e estamos sempre ansiosos pelo futuro mas, às vezes, nos esquecemos de olhar para trás. Às vezes esquecemos de nos lembrar.”

O Presidente M. Russell Ballard, presidente interino do Quórum dos Doze Apóstolos, deu conselhos semelhantes. Com muitas das celebrações tradicionais canceladas em Salt Lake City e outros lugares devido à COVID-19, o Dia dos Pioneiros deste ano apresenta uma oportunidade de se encontrar um momento tranquilo e refletir, disse ele.

“A coisa mais importante que as pessoas precisam de tempos em tempos é apenas ‘[se aquietarem] e [saberem] que eu sou Deus (Salmos 46:10).’ É no silêncio que podemos contemplar quem somos, qual é nosso propósito, e também encontrar tempo para sermos capazes de ler e estudar as histórias de nossos próprios antepassados.”

Além de lembrar e compartilhar histórias, os santos dos últimos dias podem honrar os pioneiros vivendo os princípios que eles demonstravam, disse a presidente Jones.

Presidente M. Russell Ballard, Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, à esquerda, e a irmã Joy D. Jones, presidente geral da Primária, caminhando no Memorial das Crianças Pioneiras no Parque Patrimonial Este É o Lugar em Salt Lake City, na segunda-feira, dia 15 de junho de 2020.
Presidente M. Russell Ballard, Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, à esquerda, e a irmã Joy D. Jones, presidente geral da Primária, caminhando no Memorial das Crianças Pioneiras no Parque Patrimonial Este É o Lugar em Salt Lake City, na segunda-feira, dia 15 de junho de 2020. Credit: Scott G Winterton, Deseret News

“Como pais, avós, tias e tios, podemos viver as características que tanto honramos e respeitamos em nossos primeiros santos — coragem e fé, amor, resiliência e aquela força que exalavam todos os dias de sua vida”, disse ela. Quando vivemos essas características, estamos compartilhando estes atributos com nossas crianças.”

Ao servir os outros, o espírito pioneiro se torna pessoal, disse o Élder Ulisses Soares do Quórum dos Doze Apóstolos. 

“Creio que esta é a melhor maneira de honrar o patrimônio pioneiro: servirmos uns aos outros, servirmos em nossas comunidades, sermos bons vizinhos, ajudarmos uns aos outros a sentirmos a mesma alegria que sentimos, mesmo que eles não se juntem a nós em nossa crença. Podemos ajudá-los e abençoá-los por meio de nosso amor e exemplo pessoal”, disse Élder Soares.

Outra forma de homenagearmos os primeiros pioneiros é aprendendo com suas experiências a “ouvi-Lo”, disse ele. “Eles ouviram a voz do Senhor e a seguiram. E podemos ouvir a voz do Senhor em nossos dias, como o Presidente Russell M. Nelson tem ensinado a toda a Igreja. …

“Ao fazê-lo, acredito que podemos realmente desfrutar dos milagres que os primeiros pioneiros experimentaram quando estavam cruzando as planícies e tentando encontrar seu lugar no mundo. Há muitos milagres em suas histórias, muitas coisas que aconteceram que podem ser aplicadas à nossa vida hoje.”

Os pioneiros de hoje, disse a presidente Jones, estão “seguindo a palavra do Senhor” e aumentando a fé, conforme recebem revelação. “Estamos fazendo a mesma coisa que os primeiros pioneiros fizeram. Cada um de nós está vivenciando a própria jornada. Estamos cruzando nossas próprias trilhas. Estamos seguindo em frente com fé em Jesus Cristo, assim como eles o fizeram.”