‘Experiências e talentos’ prepararam o irmão Wilcox para servir na presidência geral dos Rapazes

Anos atrás, enquanto participava como orador convidado em uma conferência de jovens na Califórnia, o irmão Bradley R. Wilcox conheceu um jovem que não queria estar lá. Ele se juntou ao adolescente sob a sombra de uma árvore e logo eles estavam discutindo o tema favorito do jovem — andar de skate. 

O irmão Wilcox pediu ao jovem que lhe mostrasse algumas manobras de skate e ficou impressionado. Ele o convidou então para fazer uma demonstração de skate em um evento do programa Especialmente para a Juventude (EFY) naquele verão. O jovem resistiu no início, mas passou a se interessar pela ideia até que, por fim, concordou.

No processo, o jovem teve uma experiência que mudou sua vida e encontrou seu testemunho do evangelho, disse o irmão Wilcox.

“Ele chegou ao EFY andando de skate, mas saiu como missionário.” 

O relato é uma das muitas experiências desse tipo na vida do irmão Wilcox que demonstram seu profundo amor pelos jovens de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. 

“Passei a vida com crianças, adolescentes e jovens adultos. Amo a juventude”, disse o irmão Wilcox, que foi apoiado como segundo conselheiro na recém-reorganizada presidência geral dos Rapazes na Conferência Geral de Abril de 2020.

Irmão Bradley R. Wilcox
Irmão Bradley R. Wilcox Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Bradley Ray Wilcox é filho de Ray T. e Val C Wilcox, e nasceu no dia 25 de dezembro de 1959, em Provo, Utah. Exceto por alguns anos de infância que passaram vivendo na Etiópia, ele foi criado em Provo com uma família que descreveu como sendo repleta de “exemplos maravilhosos”.

Durante seus anos de ensino médio, o irmão Wilcox era frequentemente zombado ou deixado de lado na escola porque não tinha interesse por esportes. Numa época em que a maioria das atividades dos jovens envolvia arremessar uma bola de basquete, um líder chamado Brad Allen reconheceu os interesses do jovem adolescente e o incentivou a segui-los. Em muitos aspectos, o irmão Wilcox vê sua própria experiência refletindo a direção do novo Programa para Crianças e Jovens.

“Jamais me senti muito útil, até que ele me estendeu sua mão”, lembrou. “Por causa de um líder que passou um tempo comigo e me incentivou a desenvolver meus talentos, aprendi que poderia contribuir na Igreja. Por causa de meus pais e líderes da Igreja, eu sabia que era filho de Deus e que tinha um grande valor. Quando os colegas zombavam de mim, nunca tomei sua rejeição como prova de que eu não era uma boa pessoa, mas de que eles não me conheciam bem o suficiente. Achava que se me conhecessem, passariam a gostar de mim. Essa perspectiva me fez passar por alguns anos difíceis do ensino médio com minha autoestima intacta.”

Tais experiências deram ao irmão Wilcox empatia e o ajudaram a ser mais sensível às necessidades dos outros. Ele nunca quis que ninguém passasse pelo que enfrentou. Sempre cumprimentava a todos que cruzassem seu caminho, um hábito que tem até hoje. Conforme se envolvia no grêmio estudantil e em outras atividades, procurava formas de servir e fazer com que todos se sentissem bem-vindos e incluídos. “Tentei me preocupar mais com os outros do que comigo mesmo”, disse o irmão Wilcox. Durante seu último ano de ensino médio, ele foi eleito “O Formando Mais Amado” por seus colegas.

“Esse prêmio significou mais para mim do que qualquer pessoa poderia imaginar”, disse o irmão Wilcox. “Alguns dos alunos que me aplaudiram foram os que me rejeitaram no início do ensino médio.”

Outro ponto crucial de sua vida espiritual aconteceu enquanto servia uma missão de tempo integral em Viña del Mar, no Chile. Seu testemunho era firme antes de partir, disse ele, mas a adversidade de se adaptar a um novo idioma e uma nova cultura o levou a ter sérias dúvidas sobre sua relação com Deus.

“Tive que parar e dizer: ‘Por que estou aqui? Onde está Deus? Ele sabe que estou aqui? Ele está ciente de mim? Isso iniciou um processo de leitura das escrituras, orações e aprendizados. Com a ajuda de um maravilhoso presidente de missão, Gerald J. Day, passei a conhecer por mim mesmo, de uma forma muito mais profunda, que Deus existe e que Ele está envolvido em nossa vida. O Chile sempre será um solo sagrado para mim porque foi lá que fortaleci meu testemunho e criei um relacionamento pessoal com o Pai Celestial e Jesus Cristo.”

“Aprendi que há lugar para todos na Igreja.”

Depois de voltar, o irmão Wilcox se tornou um bom amigo de Doug Gunnell, de quem gostava muito e a quem perguntou: “Você não teria uma irmã gêmea com quem eu poderia me casar, teria?” Na verdade, ele tinha — o nome dela era Debi e, naquele momento, ela estava servindo missão na Guatemala. Quando voltou para casa, Doug convidou o irmão Wilcox para ir à reunião sacramental em que ela falaria. Debi percebeu que Brad entrou e se sentou com sua família. Sua primeira impressão dele foi positiva.

“Escrevi em meu diário naquela noite que havia conhecido um rapaz chamado Brad Wilcox, e que parecia ser muito simpático”, disse a irmã Debi Wilcox. “O que me chamou a atenção foi o amor que emanava dele.”

Cerca de um ano depois, eles se casaram no Templo de Provo Utah, no dia 7 de outubro de 1982. Hoje eles moram em Provo e têm quatro filhos.

Selecionar que carreira seguir não foi fácil porque o irmão Wilcox se interessava por muitas áreas, incluindo jornalismo, inglês e história. Quando fez um teste vocacional no ensino médio, os resultados indicaram que ele deveria se tornar padre ou rabino. 

“Isso não é uma boa notícia para um santo dos últimos dias”, disse.

A próxima opção da lista era professor de ensino fundamental, o que significava que ele poderia ensinar diversas disciplinas. A ideia era atraente. Seus pais eram professores e sabia que eles tinham feito uma diferença positiva em muitas vidas. Ele queria fazer o mesmo.

O irmão Wilcox tem bacharelado em Educação pela BYU e ensinou por três anos antes de retornar para obter um mestrado. Mais tarde completou seu doutorado na Universidade de Wyoming. 

O irmão Wilcox concluiu seu bacharelado na BYU em 1985. Naquele verão, ele também falou pela primeira vez no programa Especialmente para a Juventude (EFY), um evento de uma semana com aprendizado do evangelho e atividades divertidas. Ele continuoua ser orador do programa e de dirigi-lo pelos 35 anos seguintes e ficou maravilhado quando o EFY se tornou o FSY — Para o Vigor da Juventude — uma parte da nova iniciativa para Crianças e Jovens. Ele se lembra de ter participado da primeira versão internacional do EFY, na Austrália, junto com outro professor, Matthew Richardson. O irmão Wilcox está espantado com a forma como o programa cresceu.

“Esse programa foi onde encontrei meu amor ao trabalhar com a juventude”, disse ele. “Estive envolvido com o EFY e o FSY durante toda a minha vida adulta, e estou emocionado por poder ver este programa agora atingir muito mais jovens. Sei a diferença que pode fazer.

O irmão Wilcox serviu em muitos chamados de liderança da Igreja. Cada um proporcionou experiências e lições memoráveis, mas duas se destacam.

O irmão Wilcox foi chamado para ajudar uma mãe solteira em sua ala em Provo, com seu filho autista. Todos os domingos, durante quatro anos, seu dever era ajudar o garoto a ficar na Primária. Embora não tenha sido um chamado fácil, isto o ajudou a prepará-lo, e também a sua família, para anos depois cuidarem de um neto com autismo. Agora ele é grato por aqueles que são chamados para ajudar seu neto.

“Aprendi que há lugar para todos na Igreja”, afirmou. 

Outro chamado significativo foi o retorno ao Chile para servir como presidente da Missão Chile Santiago Leste, com sua esposa, de 2003 a 2006. 

Em março de 2006, o Presidente Gordon B. Hinckley rededicou o Templo de Santiago Chile e mais de 63.000 pessoas participaram da visitação pública do templo. 

“Nossos missionários estavam muito envolvidos em ajudar as pessoas a participarem daquela visitação pública”, disse o irmão Wilcox. “Vimos o poder do templo e o impacto que teve em tantas vidas.”

Essas e muitas outras experiências prepararam o irmão Wilcox para servir na presidência geral dos Rapazes, disse a irmã Wilcox.

“Cada pequena experiência que teve, cada talento, o preparou. Ele parece ter uma habilidade de se conectar com a juventude e fazer a diferença. Os jovens o escutam e confiam nele. Sabem que ele se importa sinceramente”, disse a irmã Wilcox. “Acho que ele está preparado para este chamado há muito tempo.”

Em um momento em que os jovens enfrentam problemas como más habilidades sociais e de comunicação, assim como a incapacidade de lidar com pressão e a espiritualidade fraca, o irmão Wilcox disse: “O evangelho oferece soluções para todos esses problemas. O Salvador é a solução para todos os problemas”.

“Colocarei neste chamado meus melhores esforços. Durante a conferência geral, amei o pequeno videoclipe do Presidente (Russell M.) Nelson falando com as crianças da Primária e dizendo-lhes que “o Senhor ama o esforço”. Tomarei as palavras do (Presidente Nelson) para mim.