Presidência geral das Moças: ‘O que há em um nome?’

Há um ano, na Conferência Geral de Outubro de 2019, a presidente geral das Moças, Bonnie H. Cordon, anunciou quatro ajustes empolgantes para o programa das Moças:  

  1. Uma inspirada revisão do tema das Moças
  2. Ajustes na estrutura das classes das Moças
  3. A unificação do nome “Moças” dado a todas as classes (os nomes das classes Laurel, Menina-Moça e Abelhinhas não são mais usados)
  4. O papel e propósito das presidências de classe foram fortalecidos e mais claramente definidos

Nos 12 meses desde que estes ajustes foram anunciados, testemunhamos o poder e o incrível Espírito que tem sido uma força para o bem na vida de nossas moças. Cada ajuste tem um papel singular e vital no progresso espiritual de cada uma de nossas preciosas jovens.

Referir-se a todas as moças com um nome unificador aumentará a união e afirmará a identidade divina. Não foi fácil deixar de usar os nomes Laurel, Menina-Moça e Abelhinha. Esta mudança veio com uma clara direção depois de uma longa luta. Nosso nome precisa refletir nossa verdadeira identidade em cada idioma. Como presidência geral de Moças, buscamos os melhores pensamentos de muitas pessoas e ponderamos e oramos por novos nomes para as classes por um longo tempo. 

Enquanto buscávamos a orientação do Senhor, uma clara e simples direção veio ao nosso coração e mente. Fomos inspiradas a simplificar e ajudar nossas queridas irmãs a se concentrarem no poder de pertencer. O nome “Moças” tem um efeito unificador em cada classe e sua identidade é clara. Estas doces irmãs não são Lauréis, Meninas-Moças ou Abelhinhas. São moças e filhas de Deus. Um número não precisará normalmente ser adicionado ao final do nome de uma classe. Nossos jovens geralmente não dizem que são membros da Escola Dominical da classe de jovens de 14 a 15 anos; eles simplesmente vão para a escola dominical. Da mesma forma, esperamos que nossas Moças e seus líderes adultos possam se referir às classes das Moças sem sentir a constante necessidade de anexar um número.

Cortlin Talbot segura o novo tema das Moças que decorou com pensamentos e imagens.
Cortlin Talbot segura o novo tema das Moças que decorou com pensamentos e imagens. Credit: Amy Wright

Esta mudança tem sido difícil para alguns, mas temos grande esperança de que a identidade seja encontrada, não em nomes de classes, mas sim nas palavras do tema das Moças. Elas são “filhas amadas”, “discípulas de Jesus Cristo” e “testemunhas de Deus.”

Amamos todos os verbos de ação no novo tema das Moças e como eles confirmam sua identidade. Uma moça se esforça, procura, age, ministra, se levanta, valoriza, fortalece, faz, guarda e recebe. Ela está comprometida com seus sagrados convênios. Ela “[está levando suas] perguntas diretamente para [seu] Pai Celestial em oração. [Ela está aprendendo por si mesma] como receber revelação. E nada fará maior diferença na vida [dela] do que isso” (Presidente Russell M. Nelson 2018 Devocional Mundial). 

Mudar um nome de classe realmente importa? Prestamos testemunho de que um nome importa.

O Pai Celestial ama todas as Suas jovens filhas no mundo inteiro, e Ele as vê como jovens que estão exercendo fé em Jesus Cristo. Com o passar do tempo, continuarão a serem mulheres de Deus, sabendo como servir, liderar, amar e ministrar no sagrado nome de Cristo.

O rei Benjamim ensinou um povo justo: “E agora, por causa do convênio que fizestes, sereis chamados progênie de Cristo, filhos e filhas dele, porque eis que neste dia ele vos gerou espiritualmente; pois dizeis que vosso coração se transformou pela fé em seu nome; portanto nascestes dele” (Mosias 5:7). Um foco contínuo na identidade divina trará poder a cada jovem, mudando seu coração através da fé em Seu nome.

Conforme líderes adultos e jovens se concentram na identidade das moças encontrada em seu tema, elas descobrirão quem são e sentirão seu divino valor e propósito. Começarão a fazer perguntas que convidem a ministração do Espírito Santo para sua vida. Élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, recentemente ensinou: “Não se enganem: vocês não são do mundo; são divinos” (Devocional da BYU, 21 de janeiro de 2020). O Espírito prestará testemunho desta verdade à alma de cada jovem.

As moças são divinas, assim com seu propósito.  

Agora, olhando para o novo nome de classe das “Moças”, o que os líderes adultos e jovens podem ver, com olhos espirituais, que os ajudarão a ministrar a esta valente geração em ascensão?

As jovens se lembram e aceitam quem são e sabem o que devem fazer ao serem enviadas aqui? Não queremos que as muitas vozes do mundo obscureçam a identidade divina das Moças. Lembrá-las de que são filhas amadas de Pais Celestiais, discípulas de Cristo e testemunhas de Deus, é o início do caminho para as sagradas promessas compartilhadas pela presidente Cordon (Conferência Geral de Outubro de 2019). Ela prometeu que esses ajustes ajudariam cada moça a:

  1. Desenvolver seu sagrado potencial pessoal  
  2. Aumentar sua justa influência
  3. Obter fé inabalável em Cristo  
  4. Obter um conhecimento seguro de sua identidade divina

Oramos pelas moças e seus líderes no mundo todo, e esperamos que elas estejam procurando entender estas promessas, e exercendo fé e esperança nas promessas que ainda estão por vir!