Élder Cook pede que alunos da BYU ‘aprendam o que é essencial e evitem desvios e pedras de tropeço’

No momento em que o mundo está em comoção, Élder Quentin L. Cook desafiou jovens adultos a buscarem felicidade, paz e sucesso para “aprenderem o que é essencial” e “evitarem desvios e pedras de tropeço que diminuem esta proteção”.

“Minha oração é que vocês, alunos, tenham um senso de quão preciosos vocês são e o quanto têm a oferecer”, disse Élder Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Meu coração está cheio de gratidão pelo que vocês já alcançaram pelo mundo todo. Nenhuma geração foi mais bem preparada para os importantes momentos que estão por vir.”

Falando virtualmente para os alunos da Universidade Brigham Young a partir de um Marriott Center vazio na terça-feira, 10 de novembro, Élder Cook abordou o tópico “Grandes Esperanças”.

“Nossa ‘grande esperança’ para vocês é que amem, sirvam e adorem o Salvador, e que abençoem o mundo como nenhuma outra geração”, disse aos alunos, extraindo o título de seu discurso de um romance britânico de Charles Dickens de 1861. “Sejam determinados para continuarem no caminho do convênio e serem fiéis. Com sua educação na BYU, vocês podem ser instrumentos para derrubar preconceitos, ajudar a tirar a Igreja mais completamente da obscuridade e edificar a fé no Senhor Jesus Cristo.”

Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala para alunos e professores durante um devocional no campus da BYU no dia 10 de novembro de 2020.
Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala para alunos e professores durante um devocional no campus da BYU no dia 10 de novembro de 2020. Credit: BYU Photo

Élder Cook discursou apenas dois dias após o governador de Utah, Gary Herbert, anunciar um mandado de máscara, assim como interrupções em atividades extracurriculares e reuniões sociais casuais em todo o estado, em meio à escalada da pandemia de COVID-19.

“Há muitos desafios que enfrentamos em nossos dias”, disse Élder Cook. “O mundo está literalmente em comoção.”

A recente eleição nacional nos Estados Unidos demonstrou uma cidadania profundamente dividida, acrescentou. “Independente de nossas visões políticas sobre esta eleição, a Primeira Presidência, em uma carta publicada no dia 6 de outubro, pediu para membros que, ‘Por favor, esforcem-se para viverem o evangelho em sua própria vida, ao demonstrarem o amor do Salvador e civilidade no discurso político.’”

A Igreja não se envolve em política partidária, disse Élder Cook. “Há muitas questões que consideramos importantes, independente de candidatos ou partidos. Estamos comprometidos em apoiar os documentos constitucionais fundadores dos Estados Unidos — documentos que em nossa doutrina foram estabelecidos para ‘a proteção de toda a carne’ (Doutrina e Convênios 101:77-80). Em outras palavras, foi para todas as pessoas de todas as nações. Além disso, sempre apoiamos e defendemos a liberdade religiosa para todas as pessoas. Também estamos comprometidos a fazer tudo que esteja a nosso alcance para edificar a fé no Senhor Jesus Cristo.”

Citando um discurso que deu no último mês agosto para professores e funcionários da BYU Provo, Élder Cook mencionou que, tipicamente, o número de novos alunos da BYU é de cerca de 6.000 estudantes, sendo aproximadamente 1.000 vezes maior do que as turmas de primeiro ano nas Universidades de Harvard, Stanford e Yale juntas, e são comparadas favoravelmente em termos da média de notas, dos exames de ACT (American College Testing) e SAT (Scholastic Assessment Test), e outras realizações relevantes no Ensino Médio. 

“Como líderes da Igreja, apreciamos todos os nossos jovens e somos gratos quando eles se esforçam para viver o evangelho de Jesus Cristo e se preparam para ajudar a edificar o reino de Deus”, disse.

Ao longo da história da Igreja, cada geração se apoiou na geração anterior, disse Élder Cook.

Ele fez referência à dramática imigração de recém-conversos da Grã-Bretanha para os Estados Unidos em junho de 1863. Charles Dickens foi a bordo do navio de passageiros Amazon, com destino a Nova York e cheio de conversos santos dos últimos dias. Dickens — surpreso pelo que observou por causa dos relatórios depreciativos da Igreja na mídia britânica — descreveu estes conversos ingleses como “a flor e a nata da Inglaterra”. 

Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala para alunos e professores durante um devocional no campus da BYU no dia 10 de novembro de 2020.
Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala para alunos e professores durante um devocional no campus da BYU no dia 10 de novembro de 2020. Credit: BYU Photo

Élder Cook disse que o romance de Charles Dickens de 1861 “Grandes Esperanças” é “amplamente considerado uma obra-prima da literatura inglesa.”

O romance retrata o crescimento e desenvolvimento pessoal de um órfão chamado Pip e afirma que a “afeição, lealdade e consciência são mais importantes do que o avanço social, riquezas e classe.”

“Gosto do fato de que, após dois anos, ao observar nossos conversos da Igreja no navio Amazon, ele pôde ver aquelas mesmas qualidades admiráveis em nossos membros que, em sua maioria, vieram de origens humildes”, Élder Cook disse.

O título de seu discurso, “Grandes Esperanças”, reflete “as esperanças e aspirações de nosso Pai Celestial, de nosso Salvador, Jesus Cristo, de seus pais terrenos e líderes da Igreja por cada um de vocês e sua geração”, disse Élder Cook. 

“Na visão dos ensinamentos do Salvador e Suas grandes esperanças para vocês, fui escolhido para falar sobre estas expectativas e sobre como evitar aquilo que os impede de alcançá-las”, disse. “Uma esperança que desejamos a vocês é que permaneçam no caminho do convênio e guardem os mandamentos de Deus, para que possam retornar e viver com o Pai Celestial e Jesus Cristo no Reino Celestial, com a plenitude de felicidade e alegria prometidas àqueles que guardam os mandamentos do Senhor.”

Élder Cook dividiu seu discurso para os alunos “em um patamar crítico da vida”, em duas categorias importantes.

“Primeiro: Aprender o que é essencial, quando o mundo está em tumulto, para os proteger, abençoar e prover a felicidade, paz e sucesso que desejam. Segundo: Evitar desvios e pedras de tropeço que diminuem esta proteção.”

Élder Cook se lembrou de quando vivia com sua esposa, a irmã Mary Cook, na área da baía da Califórnia nos anos de 1960 — uma época em que a turbulência, raiva e inquietação social “era semelhante ao que temos vivenciado recentemente.” 

Diante daquele caos, os Cooks receberam conselhos do presidente Harold B. Lee, na época presidente do Quórum dos Doze Apóstolos.

“Primeiro, edifiquem Sião em seus corações e em seus lares. Segundo, sejam uma luz na colina e um exemplo em sua comunidade. E terceiro, foquem sua visão e metas nas ordenanças e princípios ensinados no templo”, Élder Cook relembrou. “Presidente Lee prometeu que seríamos protegidos se seguíssemos estes princípios e poderíamos viver em qualquer lugar do mundo.”

Élder Cook falou aos jovens adultos que estes princípios são tão relevantes hoje quanto foram há 50 anos.

“Primeiro, ao se esforçarem para edificar Sião em seus corações e lares, por favor, entendam que a instituição eterna da família é o alicerce para a felicidade”, disse.

Uma importante meta é se comprometer à instituição eterna da família, disse. “Garanto-lhes que a alegria, amor e satisfação adquiridas em famílias dignas e amáveis produz a maior felicidade possível que podemos alcançar…. Este também é o alicerce para uma sociedade bem sucedida.” 

Ao falar sobre ser uma luz na colina, Élder Cook prometeu aos alunos que, ao continuarem sua educação e então embarcarem em suas muitas ocupações e responsabilidades, podem ser uma força poderosa para o bem. “Um desafio bem significativo será aderir à injunção escriturística de viver no mundo sem ser do mundo (João 15:19)”, disse.

Terceiro, reconhecer a falta de retidão no mundo hoje. Élder Cook disse aos alunos que eles vivem em uma época sagrada e santa. “O Senhor preparou o Presidente Russell M. Nelson, nosso profeta, por muitos anos através de designações relacionadas ao templo, a fim de presidir a Igreja em uma época em que os templos verdadeiramente pontilharão a Terra em números sem precedentes”, disse.

Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala a partir de um Marriott Center vazio no campus da Universidade Brigham Young na terça-feira, 10 de novembro de 2020.
Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala a partir de um Marriott Center vazio no campus da Universidade Brigham Young na terça-feira, 10 de novembro de 2020. Credit: BYU Photo

Élder Cook falou então sobre a “necessidade de se evitar desvios e pedras de tropeço que diminuem a felicidade, paz e sucesso”.

Vícios — como álcool, tabaco, cigarro eletrônico, drogas, vídeo games, mídias sociais e pornografia — têm sido pedras de tropeço para um grande número de pessoas. “A melhor maneira de se evitar tais vícios é nunca, nunca se envolver com eles…” disse. “Por favor evitem estes vícios! Se vocês têm desafios com qualquer vício, se aconselhem com seu bispo. A Igreja fornece excelente aconselhamento e apoio.”

Além de evitar vícios, também é importante evitar colocar as filosofias dos homens no lugar do evangelho de Jesus Cristo, ensinou Élder Cook. 

“Alguns supõem que aquilo que estão aprendendo pode substituir a doutrina estabelecida pela mão do Senhor. Alguns se impressionam com a complexidade do aprendizado científico e intelectual, e ficam envergonhados com a simplicidade da mensagem do Salvador.”

As filosofias dos homens frequentemente desafiam a fé em Jesus Cristo e, particularmente, Sua Ressurreição e Sua Expiação, disse Élder Cook. 

A consagração diária é uma grande bênção, disse. “Gestos heroicos, ou o esforço pelo reconhecimento como um substituto pela consagração diária, devem ser evitados. … Alguns membros professam que se comprometerão com entusiasmo se receberem um grande chamado que forneça reconhecimento, mas não acham que coligar Israel seja digno ou heroico o suficiente para seu esforço contínuo.”

Deus usa Seus filhos “não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito (2 Timóteo 1:9)”, disse Élder Cook. “Não seremos sábios se nossa consagração for condicional ou baseada em reconhecimento, ou se não envolver devoção diária, incluindo o arrependimento diário.”

Élder Cook também pediu aos alunos para evitarem tolices. “Alguns estão utilizando a internet para criarem ódio e desunião ao retratarem apenas um lado de um problema, julgando outros por uma declaração distorcida, não condizente com a maneira como vivem sua vida, presumindo que uma comunicação revele seu eu interior e ignorando uma vida louvável recomendável. O vício na tecnologia, particularmente a pornografia, é um problema sério. As tristes consequências desta conduta podem ser tiradas de uma advertência das escrituras: “iniquidade nunca foi felicidade” (Alma 41:10).

Élder Cook aconselhou os alunos a “evitarem todas as condutas do mal que possam bloquear a felicidade, paz e sucesso. Tais condutas do mal são contrárias aos mandamentos de Deus e geralmente são consideradas um pecado.”

Durante sua vida, Élder Cook disse que seus pais, professores e mentores frequentemente usaram uma frase: “evite o mal como evitaria a praga.”

Élder Cook disse que a recente pandemia de COVID-19 lhe deu uma visão sobre o impacto de uma praga global, assim como um melhor entendimento do conceito de se evitar o mal como evitaria a praga.

“Meu desafio para vocês, maravilhosos alunos, é que aprendam o que é essencial, quando o mundo estiver em comoção, para protegerem, abençoarem e proverem a felicidade, paz e sucesso que desejam”, concluiu. “Por favor evitem desvios e pedras de tropeço que diminuem esta proteção.”