Élder Nielson no Devocional de Natal da Primeira Presidência: ‘O Príncipe da Paz’

No dia de Natal de 1943, Normal Nielson, pai do Élder Brent H. Nielson, escreveu uma carta deprimente para sua mãe viúva. Morando nas selvas de Papua-Nova Guiné, ele estava no seu segundo ano de um total de quatro, lutando no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial.

Norman descreveu para sua mãe, os eventos daquele dia e expressou seu desejo de estar em casa e comer com a família. Os pacotes de Natal ainda não haviam chegado. “Há muitos de nós que não recebemos nada para o Natal. Lembro-me de você ter dito muitas vezes que, nunca se sente sede, até que o poço esteja seco”, ele escreveu.

Citando esta carta durante o Devocional de Natal da Primeira Presidência no domingo, dia 6 de dezembro, Élder Nielson, da Presidência dos Setentas, disse que quando leu as palavras de seu pai pela primeira vez, ele queria de alguma forma mudar os eventos daquele dia de Natal.

“Eu clamei em meu coração: ‘Quanto sofrimento este jovem de Idaho pode suportar?’”, disse Élder Nielson. “Ele perdera seu pai, vítima de um ataque cardíaco, quando tinha apenas 12 anos, foi criado por sua mãe, foi chamado para o serviço militar, e estava morando na selva, no meio de uma terrível batalha. Será que ele não poderia receber pelo menos um presente para o Natal?”

Norman Nielson, pai do Élder Brent H. Nielson.
Norman Nielson, pai do Élder Brent H. Nielson. Credit: Captura de tela do site ChurchofJesusChrist.org

Élder Nielson disse que sentiu o Espírito lhe dizer, conforme ponderava sobre a situação de seu pai: “Brent, você sabe qual é o fim desta história. Seu pai finalmente recebeu o presente mais importante e viveu uma vida repleta de fé, tendo sido o Natal sua época favorita do ano.”

Conforme Élder Nielson lia mais sobre a história de seu pai, encontrou uma de suas últimas cartas enviadas para casa, em fevereiro de 1945. Seu pai tinha finalmente sido capaz de assistir a uma reunião da Igreja nas Filipinas e disse que “não se importou muito com o discurso.”

“Mãe, agora, para mim, várias coisas parecem muito triviais e que antes eram tão importantes”, Norman Nielson escreveu. “Não quero dizer minha fé em Deus, que é provavelmente mais forte do que nunca, mas olho para Deus como uma pessoa amorosa e compreensiva, em vez de alguém que está sempre em cima de você para puni-lo por cada erro que comete.”

Élder Nielson disse a respeito desta carta: “O que o Espírito me ensinou é que, durante tempos extremamente difíceis, tendo participado de uma terrível guerra onde muitos soldados, enfermeiras, marinheiros, aviadores e civis inocentes, de ambos os lados, perderam sua vida, meu pai encontrou o presente – ele descobriu o verdadeiro espírito do Natal. …

“Em seus momentos extremos, quando foi levado até os limites de onde poderia chegar pessoalmente, meu pai encontrou um amoroso e bondoso Pai Celestial. Aquilo que meu pai descobriu lhe trouxe paz, alegria e felicidade em um mundo repleto de confusão, dor e sofrimento. Ao deixar a guerra para trás, ele trouxe o presente para casa, junto com ele.”

O verdadeiro presente no Natal, dado pelo Pai Celestial, é o Salvador Jesus Cristo, disse Élder Nielson.

Reconhecendo que muitos neste Natal estão isolados ou longe da família devido às condições atuais do mundo, Élder Nielson disse: “Alguns de nós podem sentir este ano como meu pai o fez naquele dia de Natal de 1943.

“Podemos até nos perguntar por que não recebemos quaisquer presentes ou visitas. Mas se olharmos para cima e para Deus, e vivermos, descobriremos que Jesus Cristo é a maior dádiva. Abrir esse presente nos dá a chave para uma vida maravilhosa e pacífica.”

Líderes da Igreja sentados antes do início da transmissão do Devocional de Natal da Primeira Presidência, a partir do Teatro do Centro de Conferências em Salt Lake City no domingo, dia 6 de dezembro de 2020.
Líderes da Igreja sentados antes do início da transmissão do Devocional de Natal da Primeira Presidência, a partir do Teatro do Centro de Conferências em Salt Lake City no domingo, dia 6 de dezembro de 2020. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Em Marcos 4, os discípulos do Salvador estavam em um barco com Ele, quando surgiu uma tempestade. Em resposta ao medo dos discípulos, o Salvador acalmou os ventos e as ondas. Os discípulos então lhe fizeram uma pergunta, a qual Élder Nielson convidou seus ouvintes a ponderarem neste Natal: “Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?” (Marcos 4:41).

Jesus Cristo é o “Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”, e convida todos a “virem”, disse Élder Nielson referindo-se a Isaías 9:6 e Mateus 11:28-30.

“Minha esperança durante esta época de Natal é que, sejam quais forem nossas circunstâncias, onde quer que estejamos, e independente de estarmos separados de familiares ou amigos, que nos lembremos que Ele, o Salvador Jesus Cristo, é o presente; que conforme vamos até Ele, Ele tornará nossos fardos leves; e poderemos encontrá-Lo, como meu pai fez, no meio de uma terrível guerra” disse Élder Nielson.

“Ao confiarmos Nele, encontraremos paz e felicidade, sejam quais forem nossas circunstâncias.”