Irmã Reyna Isabel Aburto: ‘A sepultura não tem vitória’

Segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro

Resumo do discurso:

Dois dias após a trágica morte de seu amigo e Mestre, Maria Madalena chorou em Seu túmulo vazio. O Salvador ressuscitado veio até ela e lhe perguntou por que estava chorando. Pensando que Ele era o jardineiro, ela indagou para onde Ele havia levado o corpo do Senhor. Ele então a chamou pelo seu nome, e ela O reconheceu.

Muitos podem se identificar com a angústia sentida por Maria Madalena e seus amigos ao lamentarem a morte do Senhor. Por causa do Salvador, todos ressuscitarão. Ele também tornou possível que todos se reunissem como famílias e tivessem alegria eterna na presença de Deus se fizerem e guardarem seus convênios com Ele.

Conforme ensinou o Presidente Russell M. Nelson: “A morte é um elemento necessário de nossa existência eterna. … para os pesarosos entes queridos tristes que ficaram… o aguilhão da morte é aliviado pela firme fé em Cristo, um perfeito esplendor de esperança, amor a Deus e a todos os homens, e um profundo desejo de servi-los”.

Por meio da Expiação redentora e da gloriosa Ressurreição de Jesus Cristo, “corações quebrantados podem ser curados, a angústia pode se tornar paz e a aflição pode se tornar esperança. Ele pode nos abraçar em Seus braços de misericórdia, confortando,  empoderando e curando cada um de nós.”