Enfocar no caminho para o templo, recomenda a presidência geral das Moças

No Livro de Mosias, no Livro de Mórmon, lemos sobre o Rei Benjamim, um líder justo no fim de sua vida. O rei desejou proferir um último sermão para o povo de Zaraenla e conferir seu reinado a seu filho, Mosias. 

Uma proclamação foi divulgada por toda a terra convidando as pessoas a se reunirem ao redor do templo no dia seguinte, para ouvirem o último discurso de seu amado rei. Os seguidores do Rei Benjamim vieram em grandes números. Lemos que, “eram tantos, que não foram contados…” (Mosias 2:2).

Também aprendemos que, quando as pessoas chegaram, vieram em famílias, compostas por maridos, esposas, filhas e filhos, do mais velho ao mais novo. Muitas moças certamente teriam feito parte da multidão de pessoas que viajaram até o templo para ouvir a mensagem de seu líder. Mosias explica que as pessoas armaram suas tendas ao redor do templo, com cada família posicionando sua tenda com a porta em direção ao templo, para que eles pudessem ouvir o conselho e o testemunho de seu rei pela última vez.

Moças e rapazes reúnem-se para ouvir o Rei Benjamim na torre na Terra de Zaraenla, nesta cena dos Vídeos do Livro de Mórmon.
Moças e rapazes reúnem-se para ouvir o Rei Benjamim na torre na Terra de Zaraenla, nesta cena dos Vídeos do Livro de Mórmon. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Nestes poucos e curtos versos, escritos há mais de dois mil anos, encontram-se muitas lições e exemplos que são significativos para as moças que querem ser discípulas de Cristo hoje, no século XXI. O próprio sermão continua sendo um dos mais instrutivos e inspiradores discursos contidos nas escrituras sagradas, com orientação divina sobre as maneiras pelas quais todos podem viver e compreender sua verdadeira identidade como filhos de Deus.

O ato de armarmos nossas tendas com a porta em direção ao tempo é uma metáfora poderosa para a nossa época. Esta simples frase comunica algo a respeito do senso de propósito e fé que as pessoas de Zaraenla demonstraram, uma vez que todos viajaram com suas famílias e suas tendas, posicionando-as zelosamente para que pudessem ouvir as palavras de seu profeta e rei. 

Que diferença de hoje, quando tudo o que temos a fazer é encontrar uma rádio, televisão ou um aparelho eletrônico próximo, e ouvirmos as palavras dos profetas de onde quer que estejamos e sempre que quisermos. 

Como podemos figurativamente ‘armar nossas tendas’ ao redor do templo todos os dias e nos concentrar em nosso propósito, tendo ou não um templo físico à nossa vista? Em nossa época, somos abençoadas com muitas oportunidades e opções que podem ser poderosos lembretes de quem devemos ser e de como podemos demonstrar nossa fé em Jesus Cristo, assim como os jovens de Zaraenla.

Obter e manter uma recomendação de uso limitado, enquanto estamos na organização das Moças, nos colocará no caminho em direção ao templo e trará paz à nossa vida. Quando obtemos e mantemos uma recomendação, demostramos ao Senhor que O amamos e queremos segui-lo, e estar em Sua casa sagrada. Embora muitos templos ainda estejam fechados devido à pandemia, a obtenção de uma recomendação para o templo nos permite avaliar nossa espiritualidade, nossas escolhas e nosso compromisso com os convênios que fizemos no batismo. Isso nos possibilita usarmos o valioso dom do arrependimento e alinharmos nossa vontade com a de Deus.

A presidência geral das Moças: da esquerda para a direita, irmã Michelle D. Craig, primeira conselheira; presidente Bonnie H. Cordon e irmã Rebecca L. Craven, segunda conselheira.
A presidência geral das Moças: da esquerda para a direita, irmã Michelle D. Craig, primeira conselheira; presidente Bonnie H. Cordon e irmã Rebecca L. Craven, segunda conselheira. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Caroline Faust, uma moça de 16 anos de idade de Oakton, Virgínia, expandiu sua vista do templo durante a pandemia. Ela explicou: “Senti falta da paz do templo durante o confinamento da COVID-19, mas comecei a compreender que a melhor maneira de manter meus padrões é certificar-me de que sempre estou digna para entrar na casa do Senhor, não importa se posso frequentar um templo ou não. Só porque não podemos entrar fisicamente em um lugar sagrado, não significa que não devemos estar sempre preparados e dignos.”

Na conferência geral de outubro de 2020, Élder Ronald A. Rasband falou sobre recomendações para o templo em seu discurso “Recomendados ao Senhor.” Ele nos lembrou: “Seja para jovens ou adultos, sua recomendação para o templo não se resume em uma lista de coisas que vocês podem ou não fazer. Não é uma lista de tarefas, uma autorização ou um ingresso para uma poltrona especial. Ela tem um propósito mais elevado e sagrado.  A fim de se qualificarem para a honra de ter uma recomendação para o templo, vocês devem viver em harmonia com os ensinamentos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.”

Quando recebemos uma recomendação, e a carregamos conosco em nossas bolsas, bolsos ou carteiras, isso serve como um lembrete constante de que somos mais do que convidadas — somos recomendadas a entrar nos templos sagrados, onde podemos participar da sagrada obra de salvação e exaltação e sentir a paz desses lugares santos.

É uma grande bênção termos a oportunidade em nossa juventude de nos tornarmos dignas de obter e manter uma recomendação de uso limitado, até que possamos adquirir uma recomendação para o templo. Os templos de Deus são os lugares onde podemos deixar a agitação do mundo para trás e encontrar um santuário, uma conexão mais próxima e um sentimento de que pertencemos ao nosso lar celestial.