Dentro da sede da Igreja: Por que a Igreja é governada por conselhos

Nota do editor: Este é o segundo artigo de uma série de quatro partes sobre o papel essencial dos conselhos na Igreja, a começar pelo Conselho da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos, até os conselhos de estaca, ala e família. Leia mais sobre o tema no primeiro artigo.

Desde o início, Deus tem realizado Seu trabalho por meio de conselhos organizados, disse Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos. 

Uma das principais lições que o Pai Celestial ensinou a Seus filhos no mundo pré-mortal foi a importância dos conselhos e de nos aconselharmos mutuamente. 

“Lemos sobre a primeira história de um verdadeiro conselho na Pérola de Grande Valor”, disse Presidente Ballard, referindo-se ao Grande Conselho dos Céus, no qual o Pai Celestial apresentou um plano para o progresso de Seus filhos — que se tornou possível por meio do sacrifício voluntário de Jesus Cristo, que se chamava então Jeová. 

Nesse conselho de família, o Pai Celestial presidiu com amor, incentivou a livre expressão e respeitou o dom do arbítrio. Durante a subsequente criação dos céus e da Terra — à medida que instruções foram delegadas e designações relatadas — o Pai Celestial e Jesus Cristo demonstraram um padrão divino para nos aconselharmos em conselhos. 

Hoje, o Salvador governa Sua Igreja por meio de conselhos. Esse padrão divino é “fundamental” para a organização da Igreja em todos os níveis, disse Presidente Ballard, incluindo os conselhos gerais, de estaca e de ala. Esse padrão divino também se aplica às famílias. 

Élder Jeffrey R. Holland e Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, participam da reunião do Comitê de Liderança e Planejamento no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021.
Élder Jeffrey R. Holland e Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, participam da reunião do Comitê de Liderança e Planejamento no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Sou um defensor do sistema de conselhos”, disse o líder da Igreja de 92 anos de idade, que tem ensinado enfaticamente sobre a importância dos conselhos durante décadas. Esse foi o tema de seus discursos na conferências gerais de outubro de 1993 e abril de 1994, que, posteriormente, foram expandidos em um livro intitulado “Aconselharmo-nos com os Conselhos da Igreja.” Mais recentemente, ele enfatizou os conselhos de família na conferência geral de abril de 2016. 

Presidente Ballard, Élder Dieter F. Uchtdorf, Élder David A. Bednar e Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, que servem nos conselhos executivos da Igreja com outros membros do Quórum do Doze, conversaram recentemente com o Church News sobre o papel essencial dos conselhos na Igreja. Eles também compartilharam percepções a respeito de seu serviço no Conselho da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos. 

Os conselhos são ‘as barreiras de proteção espiritual’

Jesus Cristo é o cabeça de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ele dirigiu a criação da Primeira Presidência para receber revelação para a Igreja (ver Doutrina e Convênios 124:126

A Igreja é liderada pelos conselhos de liderança do Sacerdócio de Melquisedeque, explicou Presidente Ballard, sendo a Primeira Presidência o principal órgão de governo (ou conselho) — o Profeta, que atua como Presidente da Igreja, e dois Apóstolos chamados como conselheiros. O Quórum dos Doze Apóstolos também é um conselho presidente, que serve à Primeira Presidência. 

Leia mais: O que Presidente Oaks e Presidente Eyring aprenderam sobre a revelação nos conselhos

Quando a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos se reúnem, eles formam o Conselho da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos. Nesse conselho, são consideradas e tomadas decisões importantes que afetam o bem-estar espiritual e temporal da Igreja.

Outros conselhos e comitês são organizados sob a direção da Primeira Presidência para administrar aspectos específicos da obra de Jesus Cristo na Terra.

Élder Ulisses Soares sorri conforme os membros do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias se encontram para sua reunião semanal no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City, na quarta-feira, dia 11 de maio de 2021.
Élder Ulisses Soares sorri conforme os membros do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias se encontram para sua reunião semanal no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City, na quarta-feira, dia 11 de maio de 2021. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Presidente Stephen L Richards, primeiro conselheiro na Primeira Presidência de 1951 a 1959, disse: “A sabedoria do governo da Igreja resume-se na utilização de conselhos. Tenho experiência suficiente para saber o valor de um conselho. Raramente se passa um dia sem que eu comprove…a sabedoria do Senhor na criação de conselhos…para governar seu reino.”

Como o sistema de conselhos é a “sabedoria” do governo da Igreja? 

Durante sua carreira como empresário, Presidente Ballard gerenciou várias empresas de sucesso. “Elas tiveram sucesso por causa da experiência e do ótimo trabalho realizado por outras boas pessoas”, disse ele. “A mesma coisa acontece na Igreja.”

Quando se aconselham com seus irmãos no Quórum dos Doze Apóstolos, eles discutem vários aspectos de uma questão, chegam a uma conclusão e fazem designações para um acompanhamento futuro. 

“O sistema de conselhos é a maneira como movemos as coisas de onde estão para onde precisam estar com segurança e solidez”, disse Presidente Ballard.

Repetindo esse conceito de segurança, Élder Bednar disse: “Qualquer pessoa pode cometer um erro. Todos nós cometemos erros. E nunca afirmamos que os líderes da Igreja são infalíveis. O sistema de conselhos é ’a barreira de proteção espiritual.”

Da esquerda para a direita: Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, irmã Reyna Isabel Aburto, segunda conselheira, irmã Sharon Eubank, primeira conselheira, e presidente Jean B. Bingham, todas da presidência geral da Sociedade de Socorro, e Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, participam da reunião do Comitê de Liderança e Planejamento no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021.
Da esquerda para a direita: Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, irmã Reyna Isabel Aburto, segunda conselheira, irmã Sharon Eubank, primeira conselheira, e presidente Jean B. Bingham, todas da presidência geral da Sociedade de Socorro, e Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, participam da reunião do Comitê de Liderança e Planejamento no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

No Conselho da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos, por exemplo, todos os 15 líderes devem chegar à unanimidade antes de tomarem uma decisão. 

“Só podemos chegar a uma conclusão inspirada quando somos humildes, mansos e guiados pelo poder do Espírito Santo”, disse Élder Bednar. “Esse sistema de conselhos protege a Igreja e todos os membros de qualquer pessoa que tente impor um assunto, ou uma questão, ou um ponto de vista específico. 

“O sistema de conselhos é o padrão divinamente estabelecido para a segurança da Igreja.”

União, amor e respeito

Élder Uchtdorf disse que, quando a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos estão reunidos em conselho, “não representamos países, nacionalidades ou profissões. Representamos o Senhor Jesus Cristo e Sua obra.”

Como cada membro da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos possui todas as chaves do sacerdócio necessárias para governar a Igreja, “isso traz um sentimento de união e amor inigualáveis, assim como respeito uns pelos outros”, disse Élder Uchtdorf. Apenas o Presidente da Igreja tem autoridade para exercer todas essas chaves.

Élder Jeffrey R. Holland e outros membros do Quórum dos Doze Apóstolos participam de sua reunião semanal no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City, na terça-feira, dia 11 de maio de 2021.
Élder Jeffrey R. Holland e outros membros do Quórum dos Doze Apóstolos participam de sua reunião semanal no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City, na terça-feira, dia 11 de maio de 2021. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Esse respeito mútuo promove um “nível igual de discussão” — independentemente do tempo de serviço de cada membro no conselho, acrescentou ele.  

Élder Cook disse que, muitas vezes, há “uma ênfase e um poder espiritual que surgem” durante a discussão aberta com os membros da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos em um conselho. 

“De repente, tudo, desde nossa história até nossa doutrina, as necessidades dos santos, nossas frequentes viagens para nos reunirmos com os membros da Igreja, passa a existir. O Espírito Santo nos abençoa com impressões incrivelmente fortes”, disse ele. 

“Então, muitas vezes em oração e em outras ocasiões, temos experiências espirituais adicionais muito fortes, que são muito poderosas e abençoam o empenho.”

Quando a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos se aconselham mutuamente, disse Élder Bednar, “ninguém jamais trata com leviandade uma dúvida, ou um comentário, de um companheiro profeta, vidente e revelador.”

Élder Bednar experienciou isso quando era um Apóstolo relativamente novo. Durante uma determinada reunião, um assunto foi apresentado por um membro sênior do Quórum dos Doze Apóstolos, e Élder Bednar tinha receios sobre a data que havia sido proposta. 

Élder Neil L. Andersen e Élder Dale G. Renlund se cumprimentam antes da reunião semanal do Quórum dos Doze Apóstolos no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021.
Élder Neil L. Andersen e Élder Dale G. Renlund se cumprimentam antes da reunião semanal do Quórum dos Doze Apóstolos no Edifício Administrativo da Igreja em Salt Lake City na terça-feira, dia 11 de maio de 2021. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Ele disse: ‘Élder Bednar, quais são suas preocupações a respeito da data?’ E eu expressei meu ponto de vista”, recordou Élder Bednar. O membro sênior fez uma pausa. Em seguida, ele respondeu: “Eu não havia considerado completamente a data desse assunto à luz do que você acabou de sugerir. Vamos reconsiderar essa proposta e realizar algum trabalho adicional.”

Élder Bednar disse a respeito desta experiência: “É extraordinário ser capaz de interagir dessa maneira com homens que você honra, admira e ama, e que têm a mesma consideração por você.”

Dentro do Quórum dos Doze Apóstolos: Como é ser um profeta, vidente e revelador

O poder de nos aconselharmos neste e em outros conselhos da Igreja é “convidarmos, recebermos e reconhecermos a revelação”, disse Élder Bednar. A revelação é “distribuída” entre os vários participantes. Cada voz é importante. 

“O único objetivo é tentar discernir e aplicar a vontade do Senhor e em Seu tempo”, disse ele.