Conselheiros de jovens fazem muito mais do que dar aulas aos domingos

Jaren Wilkey, presidente dos Rapazes de uma estaca em Utah, compreendeu a mudança cultural associada ao programa Crianças e Jovens ao se lembrar de quando ensinou seu filho, Isaac, a dirigir.

Wilkey relembrou: “Quando Isaac conseguiu sua carteira e habilitação temporária, ele foi obrigado a completar um certo número de horas dirigindo com um dos pais. Comecei a ensiná-lo enquanto dirigia, explicando o que estava fazendo e o porquê. Apontei coisas para observar enquanto dirigíamos. Então chegou a hora dele se sentar no banco do motorista. Sentei-me no banco do passageiro e orientei Isaac para dirigir ao redor do estacionamento da Igreja e nas estradas tranquilas de nosso bairro.”

Isaac então teve que fazer uma cirurgia em ambos os tornozelos e não dirigiu por três meses. Quando finalmente se recuperou, Wilkey jogou as chaves do carro para o filho e lhe pediu que levasse os dois para a aula de preparação missionária na sede da estaca local.

Irmão Bradley R. Wilcox, segundo conselheiro na presidência geral dos Rapazes.
Irmão Bradley R. Wilcox, segundo conselheiro na presidência geral dos Rapazes. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Wilkey disse: “Quando Isaac saiu da garagem, ficou claro que ele não dirigia há algum tempo. Não foi o começo mais suave. Quando chegamos ao final da garagem, ele me perguntou: ‘Por qual lado devo ir?’”

Wilkey ficou pasmo.

“Você tem ido à sede da estaca há anos, inclusive para preparação missionária todas as semanas no ano passado”, disse ele. “Eu levei você lá todos os domingos nos últimos três meses, enquanto você não podia dirigir. Como não sabe como chegar lá?”

Isaac respondeu: “Porque você estava sempre dirigindo ou me dizendo o que fazer.”

Wilkey percebeu que havia perdido a parte mais importante de ensinar seu filho — deixá-lo dirigir sozinho. O programa Crianças e Jovens é muito parecido com isso. É importante dar sugestões e alertar sobre obstáculos. É vital permitir que os jovens pratiquem “dirigir pelo estacionamento”, para que ganhem confiança. Mas, se realmente queremos que eles saibam como chegar até onde precisam estar, os conselheiros e os pais precisam “deixá-los dirigir.”

Irmã Michelle D. Craig, primeira conselheira na presidência geral das Moças.
Irmã Michelle D. Craig, primeira conselheira na presidência geral das Moças. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Wilkey dá aos líderes jovens adultos de sua estaca o seguinte conselho: “Já temos uma conexão com Cristo. Agora precisamos que os jovens tenham sua própria conexão. Precisamos tomar nosso lugar no banco do passageiro, apertar o cinto e ser pacientes quando a viagem ficar um pouco agitada. Precisamos dar aos jovens muitas oportunidades de praticar.”

A nível de ala, os jovens da Igreja têm muitos líderes adultos: pais, bispados, presidências das Moças e consultores. Um ou mais especialistas também podem ser chamados para auxiliar permanente ou temporariamente em atividades específicas, como bailes, atividades ou acampamentos. No entanto, o objetivo é que o programa seja liderado por jovens e apoiado por adultos.

Emponderar presidências de quóruns e classes para liderarem o programa para Crianças e Jovens, dizem líderes gerais dos Rapazes e Moças

Todos esses líderes adultos devem se lembrar que são “instrutores de direção.”

Talvez o chamado mais afetado por essa mudança seja o de consultores. No passado, alguns consultores consideravam seu papel apenas dar aulas aos domingos ou ajudar os jovens a se prepararem para dar as aulas eles mesmos.

O Programa Crianças e Jovens nos lembra de que se espera mais deles. O Manual de Instruções da Igreja oferece as seguintes orientações:

• Sejam bons exemplos e mentores (ver 10.2.1.1 e 11.2.1.1).

• Incentivem os jovens a aprenderem o evangelho fora das aulas de domingo (ver 10.2.1.2 e 11.2.1.2).

• Estudem o evangelho e compartilhem o que estão aprendendo (ver 10.2.1.2 e 11.2.1.2).

• Apoiem o bispado, a presidência das Moças e as presidências dos jovens ao fazerem planos para realizarem a obra de salvação e exaltação ((ver 10.2.1.3 e 11.2.1.3).

• Apoiem o bispado, a presidência das Moças e as presidências dos jovens no planejamento de serviços e atividades seguras (ver 10.2.1.3 e 11.2.1.3).

• Certifiquem-se de que haja sempre dois líderes adultos responsáveis ​​presentes (ver 10.2.1.3 e 11.2.1.3).

• Apoiem os jovens à medida que se tornam mais semelhantes ao Salvador, buscando inspiração, fazendo planos, agindo de acordo com seus planos e refletindo sobre o que aprenderam (ver 10.4.4 e 11.3.4.3).

• Incentivem os jovens a se prepararem para servirem uma missão de tempo integral (ver 10.4.3 e 11.2.1.1).

• Participem das reuniões da presidência dos jovens e forneçam instruções de liderança (10.4.3 e 11.3.4.1). As aulas de liderança dos jovens são um ótimo ponto de partida.

• Proporcionem aos jovens experiências que os prepararão para uma vida inteira de serviço (ver 10.6 e 11.2.1.3).

Élder Vaughn J. Featherstone.
Élder Vaughn J. Featherstone. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O falecido Élder Vaughn J. Featherstone, Setenta Autoridade Geral, falou muitas vezes sobre como é essencial para os jovens terem terceiros como líderes — alguém além dos pais e bispos: “[Os jovens] precisam da ajuda de líderes preocupados e perspicazes que usarão sua influência para ajudarem a orientar nossos jovens no caminho certo.”

Isso descreve um consultor. Imagine o impacto que um consultor poderia ter apenas por mostrar interesse nos objetivos dos jovens e perguntar como eles estão e o que estão aprendendo. Imagine um consultor compartilhando alguns de seus próprios objetivos e progresso.

Jaren Wilkey aprendeu que havia muito mais em ensinar seu filho a dirigir do que lhe entregar as chaves do carro. Da mesma forma, os líderes adultos — especialmente os consultores — estão aprendendo que, ensinar os jovens a liderarem é muito mais do que lhes dar um chamado e uma aula de domingo.

Assim como os jovens foram preparados para estes dias, o mesmo aconteceu com seus líderes adultos. Cada consultor tem dons e talentos necessários para elevar e abençoar a nova geração. Que época maravilhosa para servir no reino de Deus.