Dentro do Quórum dos Doze Apóstolos: O que Presidente Ballard aprendeu em mais de 40 anos de serviço

Nota do editor: Em 2018, o Church News entrevistou e publicou em inglês, uma série de artigos como parte de uma série sobre o Quórum dos Doze Apóstolos, com todos seus membros da época. Os líderes abordaram o chamado espiritual dos Doze de testificar do Salvador ao redor do mundo, a conexão especial que compartilham com os missionários e a importância de ensinar e treinar. Eles falaram sobre ser um “profeta, vidente e revelador”, o chamado para ministrar e a importância de apoiar os líderes locais e gerais. Eles também abordaram as concepções errôneas que os membros têm daqueles que servem no Quórum dos Doze Apóstolos. Este artigo da série foi originalmente publicado em 14 de junho de 2018 e se concentra no Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, Presidente M. Russell Ballard.

Presidente M. Russell Ballard admite que nunca está totalmente sozinho em seu escritório na sede da Igreja.

Os bustos esculpidos de três veneráveis líderes santos dos últimos dias — Joseph Smith, Joseph F. Smith e Hyrum Smith — ficam em destaque sobre um aparador perto da janela de seu escritório.

O Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos compartilha laços eclesiásticos e consanguíneos com esses três líderes. Os Smiths são outros líderes dos Santos dos Últimos Dias. Eles também são seus parentes queridos. O Profeta Joseph Smith é o tio-bisavô de Presidente Ballard e Hyrum Smith é o seu trisavô. O sexto presidente da Igreja, Joseph F. Smith, é seu bisavô.

Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, com os bustos em seu escritório em Salt Lake City, na terça-feira, dia 13 de março de 2018.
Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, com os bustos em seu escritório em Salt Lake City, na terça-feira, dia 13 de março de 2018. Credit: Ravell Call, Deseret News

“Eles estão olhando para mim o tempo todo e, às vezes acho que os ouço dizer: ‘Vamos lá com isso, garoto, não fique aí parado. Faça algo’”, brinca Presidente Ballard, sorrindo ironicamente.

Podemos ter a certeza que o líder de 89 anos já fez muito. [Hoje ele tem 92 anos].

Ele é a Autoridade Geral mais antiga da Igreja — foi apoiado para o Primeiro Quórum dos Setenta em 1976 — e já serviu no Quórum dos Doze por mais de um terço de século.

Um rosto amigo

Enquanto isso, seus deveres apostólicos o levaram a dezenas de países, lhe permitindo ministrar face a face a inúmeros membros e missionários. Outros milhões se sintonizaram para ouvir seus discursos na conferência geral e devocionais — cada um com uma boa dose de bom senso e sabedoria de um membro respeitado da família.

Élder M. Russell Ballard, na época membro do Quórum dos Doze Apóstolos, cumprimenta uma família durante sua visita a Edmonton, Canadá, entre os dias 10 e 11 de junho de 2017.
Élder M. Russell Ballard, na época membro do Quórum dos Doze Apóstolos, cumprimenta uma família durante sua visita a Edmonton, Canadá, entre os dias 10 e 11 de junho de 2017. Credit: Linda J. Purnell

“Gostaria que vocês me imaginassem como um avô que acredita em vocês e está torcendo por seu sucesso”, disse ele aos alunos da BYU em 2017. “Eu os amo e oro constantemente por vocês.”

Ele também é a segunda Autoridade Geral mais velha, quatro anos mais jovem que seu amigo e colega, Presidente Russell M. Nelson. “Adoro ser confundido com Russell Nelson —  é o melhor elogio que vocês me podem dar.”

Por quase três anos, o Presidente Ballard observou seu antecessor cumprir o chamado de liderança dos Doze que ele agora ocupa. “Presidente Nelson é um líder nato”, comentou ele. “Ele tem uma mente brilhante e um espírito de amor e de compaixão. Ele é um homem gentil. Um homem generoso. E como profeta, ele sente uma urgência em fazer as coisas acontecerem.”

Verdadeira fraternidade

O 17º Presidente da Igreja, assegurou Presidente Ballard, “terá um tremendo impacto na Igreja”.

Enquanto isso, os conselheiros da Primeira Presidência, Presidente Dallin H. Oaks e Presidente Henry B. Eyring, são apóstolos com uma capacidade e profundidade notáveis.

“Temos uma Primeira Presidência composta de grandes homens”, comentou o Presidente Ballard. “Vou ter de me apressar para poder acompanhá-los.”

O então Élder Russell M. Nelson, Élder M. Russell Ballard e Élder Neal A. Maxwell, todos do Quórum dos Doze Apóstolos, assistem com rostos sorridentes à saída do Presidente Howard W. Hunter no final da conferência.
O então Élder Russell M. Nelson, Élder M. Russell Ballard e Élder Neal A. Maxwell, todos do Quórum dos Doze Apóstolos, assistem com rostos sorridentes à saída do Presidente Howard W. Hunter no final da conferência. Credit: Kristan Jacobsen, arquivo do Deseret News

Os associados do Presidente Ballard nos Doze consideram seu líder de quórum da mesma forma. Élder Gary E. Stevenson chama seu amigo e mentor apostólico de “homem prático” que entende e tem empatia pelas pessoas a quem serve.

“Do púlpito, Presidente Ballard fala sobre desafios práticos”, disse ele. “Ele fala sobre questões como doença mental e suicídio, e os desafios das famílias no mundo de hoje.”

O Salvador ensinou que os dois grandes mandamentos eram, primeiro, amar a Deus e, segundo, amar o próximo. “Presidente Ballard nos ensina como fazer isso”, comentou Élder Stevenson. Ele promove a inclusão, declarando que todos têm um papel a cumprir no evangelho. Mas também defende a obediência e as bênçãos disponíveis para todos os que vivem os mandamentos.

Em 2018, Élder Ulisses Soares era apóstolo há pouco mais de dois meses. Mas seu líder veterano do quórum fez sentir-se imediatamente bem-vindo.

“O Quórum dos Doze é uma fraternidade e uma irmandade — todos se apoiam uns aos outros”, comentou Élder Soares. “Presidente Ballard considera minhas opiniões como se tivéssemos o mesmo nível de experiência, percepção e sentimentos. Ele é muito atencioso e quer ouvir o que tenho a dizer.”

“É lindo ver este processo em ação.”

Testemunha do Salvador

Presidente Ballard está em sua quarta década de serviço nos Doze. Mas o chamado nunca se torna em um lugar comum. E ele nunca perdeu a humildade que sentiu quando foi chamado para o Quórum, em 1985.

“Às vezes me pergunto: ‘Como é que estou aqui entre estes grandes homens?’”

O Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
O Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Credit: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Mas ele é rápido em acrescentar que seu chamado apostólico vem de Deus. “O céu é responsável por isso.”

Nos 188 anos desde a Restauração, mais de 100 homens foram chamados como apóstolos. Muita coisa mudou desde a humilde fundação da Igreja — mas os deveres fundamentais dos Doze permanecem os mesmos.

Quando solicitado a descrever o sagrado e antigo encargo dos apóstolos, Presidente Ballard cita Doutrina e Convênios 107, que define os Doze como “testemunhas especiais” do Salvador, que possuem as chaves para “abrirem a porta pela proclamação do evangelho de Jesus Cristo”.

O Quórum dos Doze Apóstolos tem a “responsabilidade de apascentar a Igreja sob a direção da Primeira Presidência”, adiantou Presidente Ballard. “Esta é a Igreja do Senhor, e nosso maior desafio é ter a certeza de que estamos em sintonia com a forma como Ele deseja que realizemos Seu reino aqui na terra.”

A humildade define o apostolado, acrescentou Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos. Seus chamados os tornam reconhecíveis em quase todos os lugares por onde viajam, “mas sabemos que não se trata de nós — é sobre Ele que se trata. Estamos representando-O. … É sobre a Sua grandeza.”

Como apóstolos, Presidente Ballard e seus associados desfrutam de um relacionamento sagrado com dezenas de milhares de missionários que compartilham o evangelho em todo o mundo.

“Temos de estar perto dos esforços missionários, dos líderes de missão e dos próprios missionários”, comentou ele. “Sempre que podemos, nos reunimos com os missionários. Deixamos que eles façam perguntas. Tentamos ajudá-los a encontrar, ensinar, batizar e reter os filhos de nosso Pai Celestial.”

Como um rio que corre, a Igreja está sempre mudando. É uma organização dinâmica que requer liderança no terreno e direção.

Cristo orientou os antigos apóstolos: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). Como a Igreja de hoje continua a dar os primeiros passos em, por exemplo, África e Ásia, os membros do Quórum dos Doze Apóstolos continuam a ser agentes de crescimento de pleno direito, enchendo as páginas de seu passaporte com carimbos de todo o mundo.

“É muito importante para os membros, principalmente os jovens, ver e apertar a mão de um membro do Quórum dos Doze”, afirmou Presidente Ballard. “Mas não se trata apenas do que podemos dar às pessoas — é sobre o que as pessoas retribuem para nos ajudar a entender melhor como devemos gastar nosso tempo.”

Seu companheiro apostólico de longa data, Élder Jeffrey R. Holland, concorda.

“Há muitas reuniões [de membros] em que acabo aprendendo muito mais do que ensino, ou pelo menos aprendo coisas diferentes do que ensino”, esclareceu. “Se estou simplesmente ensinando, falando, provavelmente não estou aprendendo muito. Mas, se estou ouvindo, então posso levar comigo o que estou aprendendo para nossos quóruns e conselhos”.

Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, posa para uma foto em seu escritório em Salt Lake City, na terça-feira, dia 13 de março de 2018.
Presidente M. Russell Ballard, Presidente em Exercício do Quórum dos Doze Apóstolos, posa para uma foto em seu escritório em Salt Lake City, na terça-feira, dia 13 de março de 2018. Credit: Ravell Call, Deseret News

São vastos os desafios que enfrentam os apóstolos de nossos dias. Eles ministram a uma congregação mundial que está sendo testada por implacáveis pressões das mídias sociais, agitação política, pornografia e incertezas econômicas. É essencial que os apóstolos ouçam atentamente a voz orientadora de Deus.

“Esta é a Igreja do Senhor, e nosso maior desafio é nos certificarmos que estamos em sintonia com a maneira como Ele deseja que cumpramos Seu reino aqui na Terra”, disse Presidente Ballard.

Ele se regozija com o paradoxo que define sua vocação apostólica. Sim, de fato ele tem uma responsabilidade global. Mas o Espírito Santo permite que ele conecte e abençoe as pessoas individualmente. É o caminho do Salvador, assegurou ele.

“Às vezes recebo uma carta de alguém comentando: ‘Participei de uma reunião em que o senhor disse algo que mudou minha vida.’

“Esse é o poder do Espírito Santo. O Senhor microgerencia Sua Igreja.”