Sarah Jane Weaver: O que uma profecia de 1926 ensina sobre profetas atuais

Em 1925, três líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias — Élder Melvin J. Ballard, Élder Rey L. Pratt e Élder Rulon S. Wells — embarcaram em uma jornada de 34 dias, por terra e mar, de Salt Lake City a Buenos Aires, Argentina.

Eles encontraram um apartamento para alugar e foram ao trabalho — pregando nas ruas da Argentina.

No dia de Natal de 1925, no parque Tres de Febrero em Buenos Aires, Argentina, Élder Melvin J. Ballard dedicou a América do Sul para a pregação do evangelho.

“Abençoe os presidentes, governadores e as principais autoridades destes países sul-americanos, para que nos recebam amavelmente e nos deem permissão para abrirmos as portas da salvação ao povo destas terras”, orou ele.

No início da missão, Élder Wells adoeceu e teve que voltar para Salt Lake City. Élder Ballard e Élder Pratt permaneceram, caminhando pelas ruas de Buenos Aires e distribuindo panfletos sobre a Restauração do evangelho; seus esforços resultaram em uma única conversão.

Então, no dia 4 de julho de 1926, enquanto Élder Ballard se preparava para retornar a Utah, ele falou sobre o futuro da Igreja na América do Sul: “A obra do Senhor crescerá devagar por algum tempo aqui, assim como o carvalho cresce lentamente a partir de um bulbo. Ela não se desenvolverá em um dia, como acontece com o girassol, que cresce rápido e depois morre. Porém, milhares se filiarão à Igreja aqui. A obra se dividirá em mais de uma missão e será uma das mais fortes da Igreja. … A Missão da América do Sul se tornará uma força na Igreja.”

Podemos nos perguntar se Élder Ballard, que trabalhou tanto por vários meses com pouco sucesso, refletiu antes de proferir uma profecia tão otimista.

No entanto, nove décadas mais tarde, a América do Sul é uma força na Igreja. O número de santos dos últimos dias no continente chegou a 4.178.375, com 692 estacas, 5.570 alas e ramos, 95 missões e 21 templos em funcionamento, de acordo com as estatísticas da Igreja [em inglês]. Desde 1970, mais de 187 mil missionários serviram na América do Sul.

Presidente Russell M. Nelson aperta a mão de Martín Vizcarra, Presidente do Peru, na presença de Élder Gary E. Stevenson, à esquerda, após uma reunião no palácio presidencial em Lima, Peru, no sábado, dia 20 de outubro de 2018.
Presidente Russell M. Nelson aperta a mão de Martín Vizcarra, Presidente do Peru, na presença de Élder Gary E. Stevenson, à esquerda, após uma reunião no palácio presidencial em Lima, Peru, no sábado, dia 20 de outubro de 2018. Credit: Cortesia do Presidente do Peru

Presenciei esse crescimento enquanto escrevia sobre duas das visitas de Presidente Russell M. Nelson ao continente.

Em uma dessas visitas, fora do imponente Palácio do Governo na capital peruana de Lima, Presidente Nelson fez uma pausa antes de se encontrar com o Presidente do Peru, Martín Vizcarra.

Naquele momento, ele chamou a atenção de uma guia turística local que não conhecia a Igreja ou seu líder. “Quem é aquele homem?” perguntou ela. Um santo dos últimos dias na multidão simplesmente respondeu: “Ele é um profeta.”

A guia turística deve ter sentido algo poderoso, porque ela imediatamente se virou e gritou para Presidente Nelson: “Você abençoará o Peru?”

Naquele dia, Presidente Nelson discursaria para missionários na Área América do Sul Noroeste e para quase 6 mil pessoas em um devocional para membros, transmitido para todo o país do Coliseo Mariscal Cáceres em Lima.

Então, no final do dia, ele ofereceu uma bênção sobre a terra e o povo do Peru.

Ele prometeu, em espanhol, que os peruanos encontrariam alegria nas palavras de Jesus Cristo ao aplicarem Seus ensinamentos todos os dias. “Ao fazerem isso, vocês terão alegria”, disse Presidente Nelson.

Desde então, Presidente Nelson tem proferido uma promessa semelhante ao redor do mundo. Encontraremos alegria ao seguirmos o Salvador e aqueles que lideram Sua Igreja, disse ele repetidamente aos santos dos últimos dias.

Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, acenam para participantes após um devocional em Lima, Peru, no dia 20 de outubro de 2018.
Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, a irmã Wendy Nelson, acenam para participantes após um devocional em Lima, Peru, no dia 20 de outubro de 2018. Credit: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Há dois anos, neste mês, Presidente Nelson compartilhou cinco verdades durante um devocional da BYU. Elas resumem seus ensinamentos.

• Deus ama Seus filhos.

• As leis eternas dirigem nossa vida e são simplesmente verdadeiras.

•  Aqueles que aprenderem e viverem de acordo com as leis de Deus receberão grandes bênçãos e felicidade.

• Os profetas e apóstolos falam pelo Senhor e sempre ensinarão essas leis.

• Podemos saber todas estas coisas por nós mesmos.

Poucas horas depois da interação de Presidente Nelson com a guia turística no Peru, embaixo das arquibancadas do estádio antes do devocional do Peru, um pequeno grupo de adolescentes se reuniu em uma sala improvisada para conversar com Presidente Nelson. Poucos na sala esquecerão a pergunta sincera e comovente de uma jovem: “O que devo fazer se meus pais não forem mais ativos na Igreja?”

A resposta de Presidente Nelson à jovem é a resposta para todos nós que vivemos nesta época desafiadora. É mais um exemplo de um profeta que pede aos filhos de Deus que sigam o exemplo do Salvador, guardem Seus mandamentos e encontrem alegria.

Olhando nos olhos da jovem, Presidente Nelson lhe prometeu que os membros de sua família notariam a luz do Salvador refletida em sua vida e seriam atraídos por ela.

É a mesma luz que uma guia turística notou do lado de fora do palácio do governo no Peru e que outro líder profetizou, nove décadas atrás, que encheria toda a América do Sul — onde um bulbo se transformou em um forte carvalho.

— Sarah Jane Weaver é editora do Church News.