Élder Cook diz a professores da BYU-Idaho: Enfatizem os quatro princípios que definem a obra de salvação e exaltação

Há alguns meses, Élder Quentin L. Cook teve a oportunidade de se reunir virtualmente com dois funcionários para revisar o credenciamento da BYU-Idaho.  

Ele falou do excelente ensino fornecido pela instituição e depois, sem hesitação, enfatizou o fato de que existe uma forte cultura de inclusão na BYU-Idaho. 

“Ela é contagiante e se estende a todos — membros e não-membros”, disse Élder Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Ela se estende às pessoas de diferentes raças e nacionalidades. A inclusão é uma parte fundamental da BYU-Idaho.”

Ao falar com professores e funcionários da BYU-Idaho em um discurso transmitido para a universidade na terça-feira, dia 7 de setembro, Élder Cook abordou o tema “Alicerces para a Eternidade”.

Seus comentários vieram durante a comemoração do 20º aniversário da BYU-Idaho como uma instituição que oferece programas de quatro anos de duração.

Citando a declaração da missão da BYU-Idaho, Élder Cook observou que a universidade foi “fundada e é apoiada e guiada por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.” Sua missão é formar discípulos de Jesus Cristo para serem líderes em seus lares, na Igreja e em suas comunidades.”

A irmã Mary Cook e Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, posam para uma foto antes de gravar um discurso para professores e funcionários da BYU-Idaho no Edifício dos Escritórios da Igreja em Salt Lake City, na quinta-feira, dia 2 de setembro de 2021.
A irmã Mary Cook e Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, posam para uma foto antes de gravar um discurso para professores e funcionários da BYU-Idaho no Edifício dos Escritórios da Igreja em Salt Lake City, na quinta-feira, dia 2 de setembro de 2021. Credit: Kristin Murphy, Deseret News

Élder Cook disse que admira há muito tempo o discurso que o então Élder Spencer W. Kimball, que se tornaria o 12º presidente da Igreja, apresentou em 1967 para o corpo docente e para os funcionários da BYU, intitulado “Educação para a Eternidade”.

Ao observar que a palestra é igualmente aplicável aos professores e funcionários da BYU-Idaho hoje, Élder Cook disse que Élder Kimball desafiou a BYU e seus professores e funcionários a expandirem sua visão em muitas áreas. Ele também os desafiou a se inspirarem em uma profecia de Presidente John Taylor, que declarou: “Vocês verão o dia em que Sião estará muito à frente do mundo secular em tudo que diz respeito a todo tipo de aprendizado, como estamos hoje em relação aos assuntos religiosos.”

Élder Cook disse que acredita pessoalmente que a “BYU-Idaho tem um papel único a desempenhar para alcançar estes princípios, e um papel único em todo o sistema educacional da Igreja com respeito aos conselhos de Élder Kimball.”

Élder Cook também citou Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos e ex-presidente da BYU-Idaho, que emitiu uma “admoestação à BYU-Idaho” em três ocasiões diferentes.

Élder David A. Bednar levanta suas escrituras, algo que se tornou tradição nos devocionais da BYU-Idaho.
Élder David A. Bednar levanta suas escrituras, algo que se tornou tradição nos devocionais da BYU-Idaho. Credit: Michael Lewis

“Caso chegue o dia em que a arrogância intelectual, a falta de apreço e um espírito de exigência de direitos se enraízem neste campus — entre os estudantes, professores, funcionários, ou entre membros da administração, ou no seio da comunidade — esse será o dia em que o espírito da Ricks [College] estará caminhando rumo à extinção — e a influência celestial e as bênçãos que fizeram esta instituição e as pessoas associadas a ela prosperarem serão removidas”, disse Élder Bednar. “Por outro lado, enquanto a modéstia intelectual, a humildade, a gratidão, a obediência e a frugalidade continuarem a caracterizar aqueles que aprendem e servem na BYU-Idaho, esta universidade brilhará cada vez mais como um farol de retidão e de inovação educacional inspirada.”

Élder Cook disse que a BYU-Idaho está brilhando. “Nossos esforços devem ser motivados pelo desejo de nos mantermos concentrados em nossa responsabilidade de ajudarmos a edificar a fé em Jesus Cristo e em Sua Igreja restaurada”, disse ele.

Pedindo aos membros da congregação para consultarem a Seção 105 de Doutrina e Convênios, Élder Cook falou sobre o Acampamento de Sião — um grupo de homens organizado por Joseph Smith que marchou de Kirtland, Ohio, até o Condado de Clay, Missouri, durante maio e junho de 1834, em uma tentativa fracassada de “redimir Sião” e recuperar a terra da qual os santos haviam sido expulsos.

Alguns declararam que o Acampamento de Sião havia sido um fracasso, mas Orson F. Whitney relatou que, para aqueles que participaram, “ele não havia sido um fracasso. A prova de sua fé estava completa.”

Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, grava um discurso para professores e funcionários da BYU-Idaho no Edifício dos Escritórios da Igreja em Salt Lake City, na quinta-feira, dia 2 de setembro de 2021.
Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, grava um discurso para professores e funcionários da BYU-Idaho no Edifício dos Escritórios da Igreja em Salt Lake City, na quinta-feira, dia 2 de setembro de 2021. Credit: Kristin Murphy, Deseret News

Referindo-se ao Acampamento de Sião, Wilford Woodruff disse em dezembro de 1869: “Ganhamos experiência que não poderíamos ter adquirido de nenhuma outra forma. Tivemos o privilégio de contemplar a face do profeta e de viajar mais de 1.600 km com ele e ver o Espírito de Deus agir por meio dele, e as revelações que ele recebeu de Jesus Cristo, bem como o cumprimento delas.”

Élder Cook disse que tinha os mesmos sentimentos em relação ao Presidente Russell M. Nelson, após acompanhá-lo durante longas viagens pela América Central e do Sul.

Em fevereiro de 1835, em Kirtland, o Profeta Joseph Smith explicou um pouco sobre o significado do Acampamento de Sião aos irmãos que haviam participado. “Ele lhes disse: ‘Deus não desejava que vocês lutassem. Ele não poderia organizar Seu reino com 12 homens para abrir as portas do evangelho para as nações da Terra … a menos que Ele os tirasse de um corpo de homens que ofereceram a própria vida, e que fizeram um sacrifício tão grande quanto o de Abraão.’”

Élder Cook disse que é interessante observar que a maioria dos primeiros Apóstolos da Restauração e todos os membros do primeiro Quórum dos Setenta fossem veteranos do Acampamento. “É justo dizer que a maioria da liderança de toda a Igreja durante os 50 anos seguintes havia participado do Acampamento de Sião.

“Não conhecemos todas as razões pelas quais temos desafios nesta vida. Sabemos que alguns desafios nos refinam e nos preparam para o futuro, tanto aqui na Terra como nas eternidades.”

Élder Cook disse ter tido a impressão espiritual de que muitas lições resultantes da pandemia de COVID-19 irão abençoar o reino agora e no futuro. 

Embora o “aspecto da liderança do Acampamento de Sião seja marcante, a clara doutrina básica é ainda mais importante”, disse Élder Cook. Primeiro, a redenção de Sião “… não poderá acontecer até que meus élderes sejam investidos de poder do alto.”(Doutrina e Convênios 105:11), e segundo, os santos do Senhor devem sempre prover aos “pobres e aflitos entre eles” (Doutrina e Convênios 105:3).

Recontar a história do Acampamento de Sião é necessário para compreendermos os quatro princípios essenciais, disse Élder Cook. “Além de tudo que vocês ensinarão como membros do corpo docente para prepararem os estudantes para o seu dia a dia, estes princípios abrangentes são fundamentais para que eles compreendam.”

Os santos dos últimos dias, especialmente aqueles que trabalham com a nova geração, devem enfatizar os quatro princípios que constituem a obra de salvação e exaltação, e que estão definidos na Seção 110 de Doutrina e Convênios e no Manual Geral:

  • Viver o evangelho de Jesus Cristo
  • Cuidar dos necessitados
  • Convidar todos a receberem o evangelho
  • Unir as famílias pela eternidade

Cuidar dos necessitados é um compromisso vitalício para cada membro da Igreja. “Para sermos aceitos pelo Senhor, e para que as gerações mais jovens cumpram suas responsabilidades, precisamos cuidar dos necessitados.”

Referindo-se às ofertas de jejum, ministrações e contribuições humanitárias, Élder Cook disse: “Abençoaremos a nova geração se enfatizarmos os princípios de cuidarmos dos necessitados e permitirmos que eles sejam marcados profundamente em sua alma.” Também precisamos ajudar outras pessoas a se tornarem autossuficientes.”

As chaves para compartilharmos o evangelho têm a mesma importância, acrescentou ele. “Estamos preparando os jovens para servirem missões, mas também para serem missionários durante toda sua vida, independentemente de seus outros chamados ou circunstâncias.”

A ênfase da Igreja em “amarmos, compartilharmos e convidarmos” descreve a responsabilidade de todos os santos dos últimos dias de serem emissários do Salvador.

“As chaves para prepararmos as pessoas para se encontrarem com Deus ao viverem o evangelho de Jesus Cristo, e a nossa responsabilidade individual, são muito amplas”, disse ele. “Nada poderia ser mais importante do que a orientação reveladora que recebemos de Presidente Russell M. Nelson para transformarmos nossos lares em santuários de fé.” Presidente Nelson também enfatizou o exercício da fé em Jesus Cristo, ao nos arrependermos diariamente, ao fazermos os convênios do batismo e do templo com Deus conforme recebemos as ordenanças de salvação e exaltação, e ao perseveramos até o fim, guardando esses convênios.”

As chaves para redimirmos os mortos e o poder selador são essenciais para a nova geração — independentemente do que estão estudando, não importa quais sejam seus interesses particulares, disse Élder Cook. “Cada estudante deveria ter incutido em seu coração o desejo de receber o poder do alto representado pela investidura e pelos convênios sagrados do templo. … Não conheço nenhuma outra instituição que tenha dado maior ênfase ao templo do que a BYU-Idaho. Esta ênfase, e o poderoso ensino que ocorreu no templo de Rexburg, é um modelo de como enfatizar o templo e os convênios, feitos ali com Deus, e as bênçãos em um ambiente educacional.”

Em conclusão, Élder Cook disse: “Estou confiante de que esta maravilhosa instituição será uma voz inspiradora para a edificação da fé no Senhor Jesus Cristo e Sua Expiação, e na preparação para a Segunda Vinda do Salvador.”