Fórum Inter-religioso do G20 é sobre conexões e solução de problemas mundiais, dizem líderes religiosos

BOLONHA, Itália — Aqui, neste fim de semana, em um palácio italiano de 775 anos e um hotel histórico vizinho, um apóstolo santo dos últimos dias se reuniu com o Bispo Auxiliar do Catolicismo de Bagdá, o Grande Mufti do Islã do Cáucaso e o ministro dos assuntos religiosos do Sudão, que tomou posse após uma revolução.

Conexões notáveis ilustram o impacto crescente do Fórum Inter-religioso anual do G20, que começou no domingo com uma mensagem do Papa Francisco e discursos do presidente da Eslovênia, do primeiro-ministro do Sri Lanka e do presidente do Congresso Mundial Judaico, entre outros.

Esta é uma das razões pela qual a Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, com sede em Salt Lake City, Utah, tem enviado um apóstolo por quatro anos consecutivos para discursar e participar do Fórum Inter-religioso, que defende parcerias entre a religião e o governo, e visa influenciar a reunião anual do Grupo de 20 países participantes, mostrando a força que os líderes religiosos globais trazem para resolver os maiores problemas da sociedade. A Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do G20 deste ano está agendada para o final de outubro em Roma.

“Esta é a primeira vez em meus 21 anos de serviço como autoridade geral que todo o meu foco durante 11 dias será para as relações governamentais e inter-religiosas”, disse Élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos.

Os palestrantes de domingo se concentraram imediatamente no tema deste ano para o fórum, “Hora de curar: Paz entre culturas, compreensão entre religiões”, observando que o tema também se refere à pandemia da COVID-19.