Primeira Presidência pede que santos dos últimos dias no mundo todo usem máscaras nos templos

A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias está instruindo todos os usuários e oficiantes a usarem uma máscara facial durante todo o tempo que estiverem dentro dos templos. Os líderes também reiteraram seu apelo para que membros da Igreja sejam vacinados contra a COVID-19.

A diretriz veio em uma carta enviada nesta quarta-feira, 22 de setembro de 2021, aos líderes da Igreja ao redor do mundo, a qual também indica que, no passado, outras Primeiras Presidências compartilharam mensagens similares: em 1900 sobre a vacina contra a varíola e em 1957, contra a pólio.

Na declaração desta quarta-feira, a Primeira Presidência — Presidente Russell M. Nelson e seus conselheiros, Presidente Dallin H. Oaks e Presidente Henry B. Eyring — expressaram sua gratidão por ter sido reiniciado nos últimos meses, a algum nível, o trabalho das ordenanças em todos os templos em funcionamento.

“Nosso desejo é o de manter os templos abertos”, escreveram eles, adicionando que, embora os casos de COVID-19 estejam aumentando em muitas áreas, eles querem fazer “tudo o que for possível” para permitirem que [os templos] continuem abertos.

“Portanto, a partir de agora, todos os frequentadores e oficiantes do templo devem usar máscaras o tempo todo enquanto estiverem no templo. Esses protocolos de segurança, que têm como base as circunstâncias da Covid-19, são temporários. Eles serão descontinuados assim que as circunstâncias permitirem.”

A carta conclui dizendo: “Temos precedentes para que os membros da Igreja sejam vacinados e protejam a si mesmos e a outras pessoas contra a disseminação da doença. …Pedimos que façam tudo o que puderem para proteger[em] a si mesmos e a outras pessoas de modo que a obra do Senhor em ambos os lados do véu possa seguir adiante.”

Com relação às declarações anteriores feitas pela Primeira Presidência relativas a doenças e vacinação, Lorenzo Snow, quando Presidente da Igreja, e George Q. Cannon, seu primeiro conselheiro na Presidência Geral, compartilharam uma mensagem, publicada no dia 17 de novembro de 1900 [em inglês], no antigo jornal Deseret Evening News, relacionada à epidemia de varíola da época.

“Aproveitamos esta oportunidade para sugerir [aos santos] … que tenham todo o cuidado para prevenirem a propagação do contágio”, escreveram eles.

Posteriormente, eles acrescentaram: “Quanto à questão da vacinação, refletimos e consideramos cuidadosamente [.] … Estamos cientes que há uma diferença de opinião na comunidade quanto ao mérito da questão; e … temos estado relutantes a nos expressarmos publicamente a este respeito. Entretanto, agora sentimos… sugerir e recomendar que as pessoas em geral, se beneficiem com a oportunidade de serem vacinadas[.]”  

Seis décadas mais tarde, com o mundo lutando contra a pólio, a Primeira Presidência endossou a campanha de arrecadação de fundos da National Foundation for Infantile Paralysis [Fundação Nacional para a Paralisia Infantil]. Na mesma declaração, publicada em 30 de janeiro de 1957 no Deseret News [artigo em inglês], David O. McKay e seus conselheiros, Stephen L. Richards e J. Reuben Clark, fizeram um apelo aos santos dos últimos dias para que fossem vacinados contra a pólio.

“Somos gratos que há segurança e esperança na perspectiva de proteção universal com a vacinação. Cumprimentamos todos nossos cidadãos, particularmente as mulheres, que estão dando generosamente seu tempo e esforço em apoio à campanha.

“Não hesitamos em apelar a todos os membros da Igreja e outros cidadãos, a apoiarem a atual campanha em andamento, doando o quão generosamente puderem e, assegurando que todos os membros das famílias, a menos que estejam isentos por ordens médicas, a tomarem a vacina.”

A carta de 22 de setembro, em sua íntegra diz:

Estimados irmãos e irmãs,

Somos gratos pelo fato de que, nos últimos meses, diversas ordenanças tenham sido realizadas em todos os templos. Nosso desejo é o de manter os templos abertos.

Conforme os casos de Covid-19 aumentam em muitas regiões, queremos fazer tudo o que for possível para permitir que os templos permaneçam abertos. Portanto, a partir de agora, todos os frequentadores e
oficiantes do templo devem usar máscaras o tempo todo enquanto estiverem no templo. Esses protocolos de segurança, que têm como base as circunstâncias da Covid-19, são temporários. Eles serão descontinuados assim que as circunstâncias permitirem.

Temos precedentes para que os membros da Igreja sejam vacinados e protejam a si mesmos e a outras pessoas contra a disseminação da doença. No passado, outros irmãos da Primeira Presidência compartilharam mensagens semelhantes, em 1900 sobre a [varíola] e em 1957 sobre a poliomielite. Pedimos que façam tudo o que puderem para proteger[em] a si mesmos e a outras pessoas de modo que a obra do Senhor em ambos os lados do véu possa seguir adiante.

Atenciosamente,

Russell M. Nelson
Dallin H. Oaks
Henry B. Eyring